Lineker diz que Dillashaw é um “bom teste” antes de luta pelo cinturão

Brasileiro acredita que estilo de luta de TJ pode ajuda-lo em um eventual confronto contra Dominick Cruz, atual campeão dos galos

Lineker enfrenta Dillashaw no UFC 207. (Foto: Getty Images)

Lineker enfrenta Dillashaw no UFC 207. (Foto: Getty Images)

Número 2 no ranking dos galos, John Lineker retornar ao octógono contra TJ Dillashaw nesta sexta-feira (30), no UFC 207, com um só pensamento: vencer e se tornar o próximo desafiante da categoria. Invicto desde que subiu de divisão, com quatro vitórias consecutivas, o brasileiro acredita que seu próximo adversário pode ser o teste ideal para um eventual duelo contra Dominick Cruz, atual campeão até 61kg.

Veja Também

Garbrandt desdenha de Dillashaw e Lineker: “Seriam lutas fáceis para mim”
Lineker assume segunda colocação no ranking dos galos

“Eu acredito muito em Deus, se ele quer que eu lute com Dillashaw, que tem um estilo bastante semelhante ao de Cruz, é porque ele está me preparando para o que eu vou enfrentar em seguida. Estou feliz por estar lutando com um ex-campeão, vai ser uma luta dura. Dillashaw é realmente duro, mas estou feliz pela oportunidade de enfrentá-lo. Se Deus quiser, vou conquistar outra vitória e receber o title shot”, declarou, em entrevista ao site ‘MMA Fighting’ (EUA).

Vindo de vitória sobre John Dodson, em outubro passado, Lineker admite que os problemas com a balança atrasaram seu caminho para uma disputa de título. “Eu realmente esperava ser o próximo desafiante depois de bater o Dodson, mas eu acredito que a meia libra (Lineker ficou acima do peso em sua última apresentação) fez o chefe decidir. Mas eu entendo. E é bom porque vou ficar mais preparado e mais forte quando for hora de lutar pelo cinturão.”

Questionado sobre qual a estratégia traçada para o confronto contra Dillashaw, o “Mãos de pedra”, como é conhecido, acredita que irá conseguir impor seu boxe e forçar o adversário a entrar em seu jogo.

“Eu vou conseguir usar meu jogo. Dillashaw tem boas quedas, mas ele ataca mais do que Dodson, que fugiu da luta. Eu não sei se Dillashaw vai trocar comigo, mas eu acredito que sim. Eu me vejo usando meu boxe com ele. Eu aprendi muito com a minha última luta. Corri muito atrás dele (Dodson), e eu não vou mais fazer isso. Eu arrumei este detalhe. Vou obrigá-lo a vir, forçá-lo a lutar comigo no meu jogo”, concluiu.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments