Lyoto admite hesitação em aceitar luta no UFC Belém, mas diz: ‘Quero lutar’

Brasileiro, que vem de derrota por nocaute, ficou com receio de não poder lutar pela proximidade do evento

Lyoto volta ao octógono em fevereiro (Foto: Reprodução/Twitter UFCBrasil)

Após algumas semanas de especulação sobre a luta principal do UFC Belém, Lyoto Machida foi confirmado como grande atração do show do dia 3 de fevereiro. O brasileiro volta à cidade onde foi criado para enfrentar o norte-americano Eryk Anders, em duelo peso médio. Vindo de derrota por nocaute no fim de outubro, o carateca admitiu que hesitou em aceitar o duelo pela proximidade entre os dois compromissos, mas garantiu estar pronto.

Veja Também

Alan Nuguette volta contra Damir Hadzovic no UFC Belém
Godofredo Pepey é escalado contra Mirsad Bektic no UFC Charlotte
Cyborg diz que Ronda subestimou Holly Holm: ‘Já pensava em mim’

Lyoto disse que conversou com sua equipe e passou um tempo corrigindo alguns erros com seu pai, seu primeiro mestre, quando o brasileiro ainda treinava apenas caratê e está pronto para enfrentar seu adversário, invicto no MMA com dez vitórias em dez lutas.

“Lutar em Belém é uma grande oportunidade. Eu achava que talvez não conseguiria porque o evento está muito perto, mas conversei com meus treinadores e eles concordaram que é uma boa escolha. Estou com muita vontade de lutar lá, então isso já é um passo muito importante (…) Meu pai passou um mês conversando comigo e corrigindo os erros. É importante saber que o treinamento também acontece fora do tatame”, comentou Machida, em entrevista ao site oficial do UFC Brasil.

Apesar de Anders ser dos Estados Unidos, o ex-jogador de futebol americano tem uma forte ligação com o Brasil: é casado com um brasileira e, por isso, pediu o duelo especificamente com Lyoto para o UFC Belém. O ex-campeão disse ter ouvido falar do desafio e diz que conta com o apoio da torcida local para voltar a vencer.

“Não vi o que ele falou, mas fiquei sabendo. Vai ser bom para mim. Ele é um lutador que vem de vitórias, forte fisicamente, tem muita pujança. Já voltei para a academia, nunca paro de treinar (…) Não tem coisa melhor do que lutar na minha casa, com toda a galera que eu conheço, muitos amigos que estarão na arena fizeram parte da minha criação. Eu sei como é a torcida no Pará, não apenas no MMA, mas em qualquer outro esporte. O pessoal gosta, os eventos lá sempre são grandiosos”, declarou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments