Com suspensão de 15 meses, Jones poderá voltar a lutar ainda em 2018

‘Bones’ estará apto para retornar ao octógono a partir do dia 28 de outubro e já está cotado para o UFC 230, 3 de novembro, no Madison Square Garden em Nova York (EUA)

J. Jones não luta desde julho de 2017. Foto: Reprodução/Instagram @jonnybones

Jon Jones foi flagrado no exame antidoping após a vitória contra Daniel Cormier, em julho de 2017. Desde então, o lutador estava sem lutar e esperava uma decisão da Agência Antidoping dos Estados Unidos. Nesta quarta-feira (19), ‘Bones’ recebeu uma suspensão de 15 meses da USADA. Como o gancho é retroativo, o ex-campeão dos meio-pesados estará pronto para retornar no dia 28 de outubro.

Veja Também

Jones pede duas lutas para poder ‘roubar’ cinturões de Cormier
Jon Jones promete voltar melhor do que nunca: ‘você não viu nada como o que está vindo’
Jon Jones ainda se considera campeão, com ou sem o cinturão

A volta de ‘Bones’ pode acontecer no UFC 230, dia 3 de novembro, no Madison Square Garden em Nova York, sua cidade natal. A luta principal do evento ainda não foi confirmada pela organização.

Logo após a divulgação da punição pela USADA, Jon Jones postou em seu Intagram um agradecimento aos fãs. Ele reconheceu a importância das pessoas que permaneceram a seu lado durante o tempo que ficou fora do octógono.

“É difícil me expressar neste momento, mas posso dizer com certeza que meu coração está cheio de gratidão e apreço. Quero agradecer a todos vocês que ficaram comigo durante o período mais difícil da minha vida. Significou o muito para mim. Mas agora é a hora de mudar o foco para frente e para o centro. O caminho para recuperar meu trono está oficialmente aberto”, escreveu ‘Bones’.

Com uma das mais impressionantes carreiras do MMA, Jon Jones em 23 lutas profissionais tem apenas uma derrota para Matt Hamill em 2009. Em seu último compromisso o norte-americano enfrentou Daniel Cormier em disputa pelo cinturão dos meio-pesados em julho de 2017. Mesmo vencendo, ‘Bones’ foi testado positivo no exame antidoping, em consequência, o confronto tornou-se uma luta sem resultado.

O histórico de Jones

Antes de conquistar o cinturão dos meio-pesados, em 2011, Jones se envolveu em um acidente de trânsito, onde ele e alguns colegas de equipe escaparam ilesos, mas a mulher que dirigia o outro carro foi levada de maca para o hospital. Neste caso, a polícia inocentou o lutador.

Em 2012, Jones foi preso por acidente e embriaguez ao volante. Duas mulheres que estavam com ele no carro sofreram lesões devido ao incidente. O lutador foi liberado após pagar fiança de US$ 1 mil e passou por um curso de reciclagem para reaver a carteira de motorista.

Jon Jones voltou a ter problemas com a lei em 2016, quando foi pego dirigindo em alta velocidade sem habilitação. Dias depois, o campeão foi fichado pela polícia de Albuquerque por violar os termos de sua liberdade condicional ao receber cinco multas por participar de um racha. Ele perdeu sua carteira de motorista e foi sentenciado a passar por um curso de controle de raiva, nova reciclagem de direção e mais 60 horas de serviço comunitário.

Além dos problemas com a justiça, Jones teve três exames antidoping positivos. Após Jones vencer Cormier pela primeira vez, no UFC 182 em 2015, ‘Bones’ falhou pela primeira vez em um exame antidoping por uso de cocaína.

Em 2016, Jon flagrado pela segunda vez num exame antidoping após vitória com vitória sobre Ovince St-Preux. Ele comprovou por meio de julgamento que havia sido vítima da contaminação cruzada de medicamentos.

A última vez que o lutador se envolveu com a USADA foi em 2017. Após vencer Daniel pela segunda vez, ‘Bones’ foi flagrado no exame antidoping por uso de esteroide anabolizante turinabol.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário