Saiba como apostar no UFC 231, com seis brasileiros em ação

Evento, que traz esquadrão brasileiro e duas disputas de cinturão tem ótimas oportunidades de lucro

Marreta (esq.), Cowboy (c) e Claudinha (dir.) estão no card do UFC 231. Foto: Montagem SL / MMA Press

O MMA está vivendo um fim de ano realmente dos mais frenéticos. O fã nem bem assimilou o UFC Adelaide, no último fim de semana, e já tem um cardápio dos mais completos com o UFC 231, que será realizado em Toronto, no Canadá, na noite deste sábado (8).

O Brasil estará representado com força mais uma vez, com as presenças de Thiago Marreta, Claudia Gadelha, Alex Cowboy, Gilbert Durinho e Dhiego Lima. Haveria mais um, Carlos Diego Ferreira, mas seu adversário estava muito acima do peso e o duelo foi cancelado.

A presença verde-amarela é um baita convite a quem pretende acompanhar o UFC também apostando nos combates que vão ser realizados nos cards. Não tem experiência e não sabe como começar? Sem problemas. Explicamos tudo a partir de agora.

Como faço para apostar?  

Quem nunca apostou não precisa se preocupar. É fácil, uma verdadeira moleza, ver as lutas e buscar os seus primeiros lucros com segurança: basta entrar no OddsShark.com, um site parceiro que é dos mais respeitados deste ramo em todo o mundo, escolher uma casa de apostas e criar uma conta. É muito simples, como criar um login em qualquer outro ramo da internet atual.

Uma vez efetuado o cadastro e inserido os créditos, é só ficar de olho nas opções mais rentáveis, incluindo uma infinidade de combinações. As lutas são as opções mais simples do mundo das apostas. Não tem como errar. É escolher quem vai ganhar e em que assalto o combate vai acabar.

Mas antes de destrinchar as lutas dos brasileiros no UFC 231, é essencial ressaltar a necessidade de que cada um deve estudar o evento em detalhes. Afinal, não dá para sair queimando dinheiro por aí, e o fato de usar uma casa de apostas hospedada na internet não deve mudar em nada o cuidado ao se fazer os investimentos nos combates.

No caso do MMA, as dicas básicas são a análise do retrospecto de cada um dos lutadores e a busca pelo noticiário sempre atualizado para saber lesões ou demais limitações que possam mudar a perspectiva do investimento. O mundo das apostas está em franco crescimento em todo o mundo, e no Brasil não é diferente. Vale demais a pena tentar usar o conhecimento sobre tudo o que acontece no octógono na possibilidade de reforçar o caixa, especialmente neste fim de mês – e o que é ainda mais importante, neste fim de ano.

E quais os lucros?

O “main event” da noite promete ser quente – e, segundo as casas de apostas, o favoritismo é bem tímido do norte-americano Max Holloway diante do compatriota Brian Ortega. Holloway paga R$ 1,80 a cada R$ 1,00 investido em sua vitória, enquanto Ortega devolve R$ 2,00/R$ 1,00, uma diferença realmente muito pequena. Um exemplo de como funcionam os ganhos? Quem apostar R$ 10,00 na vitória de Ortega e ver o resultado se concretizar pode receber R$ 20,00. Quanto mais se investe, mais se ganha, é a lógica do mundo das apostas.

O combate, não custa reforçar, vale pelo peso pena. Ortega está invicto, com 13 vitórias, e Holloway também tem um cartel muito bom, com 19 vitórias e 3 derrotas. O que chamou a atenção no noticiário antes deste combate foi a declaração de Holloway admitindo que se livrou de uma depressão apenas recentemente.

No que diz respeito às apostas, é claro que as cotações simples se desmembram em muitas outras, em todos os confrontos. As opções são de tirar o fôlego, para desafiar o conhecimento de qualquer um. Há, por exemplo, alternativas para se lucrar com o método de vitória (se nocaute, nocaute técnico ou decisão dos árbitros), em que assalto a luta termina e muito mais.

Como citamos, nada menos que seis brasileiros subirão ao octógono montado na Scotiabank Arena, em Toronto. Nos meio-médios, Alex Cowboy encara Gunnar Nelson, da Islândia, que não luta há mais de um ano. Os odds são parelhos: enquanto Cowboy paga R$ 2,10/R$ 1,00, Nelson devolve R$ 1,72/R$ 1,00.

Entre os meio-pesados, Thiago Marreta vai encarar Jimi Manuwa, e a condição do brasileiro é de favorito destacado: enquanto Thiago entrega R$ 1,47 a cada R$ 1,00, Manuwa devolve R$ 2,75/R$ 1,00. Pelo peso leve, Gilberto Durinho é azarão diante de Olivier Aubin-Mercier, canadense que vai contar com o apoio da torcida da casa. Durinho devolve exatos R$ 2,00/R$ 1,00, contra R$ 1,80 de Aubin-Mercier. Tem tudo para ser uma grande luta, pois o estilo do brasileiro permite que ele atue para buscar a vitória.

Quem está a fim de fortes emoções e lucros altos pode apostar em Dhiego Lima contra o também canadense Chad Laprise. O retrospecto é um adversário para Dhiego, pois ele perdeu todas as suas últimas quatro lutas, enquanto Laprise ganhou três na mesma quantidade de combates. Até por isso, o lucro é realmente destoante. O canadense devolve R$ 1,28 a cada R$ 1,00 apostado, enquanto Dhiego retorna R$ 3,75/R$ 1,00.

Por fim, Claudia Gadelha, potência do peso-palha, vai tentar a sua segunda vitória seguida, desta vez diante da norte-americana Nina Ansaroff. Os odds são bem claros na hora de dizer quem é quem: Gadelha devolve R$ 1,30/R$ 1,00, enquanto Ansaroff paga R$ 3,50/R$ 1,00. Claudia é a terceira no ranking da sua categoria, enquanto Nina surge na 11ª colocação.

O UFC 231 tem as seguintes cotações, segundo o OddsShark.com:

Brad Katona (R$ 1,53) x Matthew Lopez (R$ 2,62)

Carlos Diego Ferreira (1.22) x Kyle Nelson (.425)

Chad Laprise (R$ 1,28) x Dhiego Lima (R$ 3,75)

Devin Clark (R$ 5,00) x Aleksandar Rakic (R$ 1,18)

Claudia Gadelha (R$ 1,30) x Nina Ansaroff (R$ 3,50)

Elias Theodorou (R$ 1,80) x Erik Anders (R$ 2,00)

Katlyn Chookagian (R$ 1,58) x Jessica Eye (R$ 2,40)

Olivier Aubin-Mercier (R$ 1,80) x Gilbert Durinho (R$ 2,00)

Alex Cowboy (R$ 2,10) x Gunnar Nelson (R$ 1,72)

Hakeem Dawodu (R$ 1,58) x Kyle Bochniak (R$ 2,40)

Jimi Manuwa (R$ 2,75) x Thiago Marreta (R$ 1,47)

Joanna Jedrzejczyk (R$ 3,75) x Valentina Shevchenko (R$ 1,28)

Max Holloway (R$ 1,80) x Brian Ortega (R$ 2,00)

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments