Equipe de Jon Jones recusa oferta de exame antidoping voluntário proposto pela CSAC

A Comissão Atlética da Califórnia ofereceu a ‘Bones’ os testes voluntários na VADA para que o lutador pudesse limpar seu nome das acusações de uso de substancias proibidas

J. Jones está liberado para lutar no UFC 232. Foto: Reprodução/Instagram @jonnybones

Em audiência da Comissão Atlética da Califórnia (CSAC), Jon Jones recebeu uma licença provisória para voltar a lutar depois de 15 meses de suspensão. Com isso, ‘Bones’ foi autorizado a enfrentar Alexander Gustafsson pelo cinturão dos meio-pesados no UFC 232, dia 29 de dezembro. Entretanto, um dos membros do órgão propôs o lutador fizesse exames antidoping periódicos pela Agência de Antidoping Voluntário (VADA).

Veja Também

Jones propõe doar US$ 100 mil a instituição de caridade, se Cormier aceitar encerrar trilogia
Treinador de Jones acredita que tempo afastado prolongou carreira do lutador

Com os testes feitos pela VADA, Jones poderia limpar completamente seu nome das acusações de uso de substâncias proibidas. Mesmo assim, a equipe do ex-campeão dos meio-pesados recusou a oferta da Comissão Atlética.

“É complicado. Dizer que recusamos é errado. Tinha problemas com a proposta. Fizemos perguntas e eles não puderam responder”, disse o advogado de Jones, Howard Jacobs em entrevista ao site norte-americano MMA Junkie.

Mesmo com a negativa de Jones aos testes antidoping, o lutador continua autorizado a entrar no octógono em Las Vegas no último evento do UFC no ano. Isso porque a oferta do comitê era algo optativo ao atleta.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments