Jon Jones elogia atuação de Marreta: ‘É o cara mais forte que enfrentei’

Campeão revela que brasileiro superou suas expectativas e diz que se impressionou com o poder dos golpes do carioca

J. Jones em coletiva após o UFC 239. Foto: Reprodução/YouTube UFC

Jon Jones travou um combate que, certamente, ficará para sempre em sua memória. Após colocar novamente seu cinturão dos meio-pesados (até 93kg.) em jogo, neste sábado (6), pelo UFC 239, e derrotar o brasileiro Thiago Marreta, o norte-americano afirmou que o carioca é o atleta mais forte contra quem já lutou. O campeão falou sobre o embate em entrevista coletiva após o evento. ‘Bones’ surgiu na sala de imprensa em uma cadeira de rodas.

Veja Também

Após defesa de cinturão, Amanda manda recado para mulheres: ‘Acreditem em vocês mesmas’
Dana especula próxima luta de Amanda após vitória sobre Holm: ‘Tentaremos Cyborg’
Juízes e jornalistas divergem sobre resultado de Jon Jones x Thiago Marreta; Veja o cartão de pontuação

“Ele é o cara mais forte que já enfrentei. Ele me acertou golpes muito duros. Mesmo quando eu bloqueava seus socos, eu sentia. Acredito que Thiago representou sua equipe e seu país muito bem. Eu desejo tudo de melhor para ele. Ele deve se sentir muito orgulhoso”, declarou ‘Bones’, que ainda falou mais sobre o que o embate representou para sua carreira. “Estou muito satisfeito. Ter uma luta como essa é extremamente satisfatório. Ela te estimula a estudar mais, trabalhar mais forte e levar seu trabalho ainda mais a sério”, disse o campeão.

O norte-americano também foi questionado sobre suas condições físicas após enfrentar o carioca. Após o triunfo, ambos os atletas deixaram o octógono amparados pelas suas equipes demonstrando visivelmente sentir no corpo as consequências dos duros golpes desferidos durante a peleja.

“No momento, meu pé dói e outra partes do corpo. Mas acredito que sejam apenas dores. Não acho que seja alguma lesão séria”, afirmou Jones.

‘Bones’ ainda comentou sobre sua estratégia durante o combate. Segundo o norte-americano, ele quis atuar na área de melhor conhecimento de seu adversário. Marreta é faixa-preta de muay thai e, segundo o campeão, ele queria derrotar seu oponente em seu melhor estilo.

“Ele (Marreta) é um faixa-preta de muay thai, então, quis lutar com ele em pé. Eu poderia ter levado a luta para o chão e ver o que aconteceria. Mas quis vencê-lo naquilo que ele faz melhor. As dores no corpo são consequência de ter traçado essa estratégia”, comentou Jon.

Perguntado sobre se aceitaria possível duelo na categoria dos pesados (até 120,2kg.) contra o vencedor entre Daniel Cormier (campeão) e Stipe Miocic, que acontece no dia 17 de agosto, pelo UFC 241, caso fosse oferecida uma significante quantia, Jones não fugiu da resposta.

“Com certeza. Eu e Daniel (Cormier) estamos falando a mesma língua. Essa luta ainda não aconteceu porque o UFC já tinha agendado nossos compromissos, mas acredito que, se surgir a oportunidade, eu e Daniel ficaremos felizes”, confirmou Jones. O campeão também disse que enfrentaria Miocic, caso ele derrote DC no combate de agosto, mas sua preferência é, de fato, pelo seu eterno rival. “Eu lutaria, também, com Stipe, mas minha preferência é por Cormier, porque já seus segredos”, finalizou o atleta.

Com o triunfo sobre Marreta, Jones completou sua segunda defesa de cinturão desde que recuperou o posto de número um ao bater Alexander Gustafsson após cumprir suspensão em um caso de doping. O atleta não sabe o que é perder há quase 10 anos.

 

 

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário