Cinco motivos para assistir o UFC 240, com luta pelo cinturão e retorno de Cris Cyborg

Max Holloway busca apagar tentativa frustrada de conquistar o título dos leves e defende seu cinturão entre os penas contra experiente Frankie Edgard; curitibana pode fazer despedida do Ultimate

Holloway (esq.) encara Edgar (dir.). Foto: Montagem SL MMA Press

O Ultimate chega em solo canadense neste final de semana para a realização do UFC 240, na cidade Edmonton. Com uma disputa de título em sua luta principal, o evento traz ao público 11 combates que prometem agitar o final de semana dos aficionados por artes marciais mistas.

Veja Também

Como assistir o UFC 240 AO VIVO pela televisão e internet
Holloway e Edgar batem peso e confirmam luta pelo cinturão neste sábado
Vídeo: Assista à pesagem do UFC 240, com Max Holloway e Frankie Edgar, que lutam pelo título dos penas. AO VIVO!

No principal confronto da noite, Frankie Edgar tentará colocar fim ao reinado de Max Holloway, dono da cinta desde que desbancou o brasileiro José Aldo, em combate válido pelo UFC 212, em 2017. Esta será a terceira vez que o havaiano subirá ao octógono na intenção de se manter no posto de número um da divisão dos penas (até 65,7kg.).

Outro combate aguardado será o retorno da curitibana Cris Cyborg ao campo de batalha do UFC. A lutadora, que em dezembro de 2018, sofreu uma amarga e surpreendente derrota para a compatriota Amanda Nunes, que lhe rendeu a perda do título das penas. Desde então, a brasileira não se apresentou pela organização.

Além de Cyborg, mais quatro atletas representarão as terras tupiniquins no território gelado do Canadá. Os lutadores realizarão seus confrontos no card preliminar do evento, que terá início a partir das 19:15 (horário de Brasília).

Para você entrar no clima do UFC 240, preparamos cinco motivos para você assistir o evento.

1 – Max Holloway e a construção de sua hegemonia

M. Holloway ostenta cinturão dos penas. Foto: Reprodução/Facebook @ufcbrasil

Ao longo dos anos, Max Holloway vem se mostrando ser um atleta extremamente talentoso, além de carismático. Aos 27 anos, o lutador é dono de uma técnica de boxe e capacidade de nocaute impressionantes. Ao longo de sua atividade profissional, o lutador já realizou 23 combates, vencendo 20 e sendo derrotado em apenas três situações.

Um dos grandes momentos da carreira de Max aconteceu em 2017, quando o havaiano bateu o brasileiro José Aldo, a quem o atleta declara publicamente ser fã. Na ocasião, o ‘Campeão do Povo’ sofreu para suportar os duros golpes conectados por Holloway e acabou sendo derrotado por nocaute. Cerca de seis meses depois, Aldo ganhou uma nova chance de recuperar sua cinta, mas, novamente, sucumbiu ao talento do jovem.

Recentemente, o campeão dos penas tentou se tornar mais um atleta a fazer parte do seleto grupo dos que ostentam dois cinturões em categorias diferentes. Holloway subiu de categoria para enfrentar o norte-americano Dustin Poirier pelo cinturão interino dos leves (até 70,3kg.) em abril deste ano, pelo UFC 236. Max, apesar de ter se saído bem, foi derrotado na decisão unânime dos juízes.

Neste sábado, de volta à sua categoria de origem, o lutador irá enfrentar outro atleta experiente. Contra Edgar, Max terá pela frente um oponente com características deferentes das do manauara. Frankie é mundialmente conhecido no universo das artes marciais mistas pela qualidade do seu Wrestling, o que proporcionará um problema diferente para ser resolvido por Holloway. Caso saia vitorioso, Max continuará sua saga de se tornar o maior peso pena de todos os tempos.

2 – Frankie Edgar e sua terceira chance pelo título dos penas

F. Edgar (foto) tenta, pela terceira vez, ser campeão dos penas. Foto: Reprodução / Instagram @frankieedgar.

O norte-americano Frankie Edgar terá, no UFC 240, sua terceira chance de conquistar seu tão sonhado título dos penas. O lutador, que já foi campeão da categoria de cima (leves), entre 2010 e 2012, já subiu ao octógono como desafiante dos atletas até 65,7kg. em duas situações. Ambas ocorreram contra o brasileiro José Aldo. Na primeira tentativa, em 2013, Aldo e Edgar travaram um duelo eletrizante de cinco rounds. Ao fim do confronto, os juízes avaliaram que o ‘Campeão do Povo’ foi mais efetivo e merecia manter seu título.

A segunda tentativa, também contra o manauara, aconteceu pouco mais de três anos depois. Mais experiente e rodado, o norte-americano voltou a fazer frente para o brasileiro, mas, novamente, acabou sucumbindo ao talento de Aldo, que, outra vez, venceu na decisão unânime dos avaliadores.

Desta vez, aos 37 anos, Frankie pode ter sua última chance de conquistar o cinturão dos penas. Contra Holloway, Frankie terá de usar todo o seu talento a fim de evitar os golpes efetivos do adversário para que possa sair ileso das investidas. O confronto contra Max marcará o 31º do norte-americano na carreira, que teve início em 2005, há quase 15 anos. Edgar, em seus compromissos passados, soma 23 vitórias, seis derrotas e um empate.

3 – Cyborg x UFC, última luta pela empresa?

Cris Cyborg pode realizar última luta pelo UFC. Foto: Divulgação UFC

A brasileira Cris Cyborg realizará, neste sábado, a sua primeira luta desde que foi destronada de seu posto de campeã das penas. A lutadora saiu derrotada do combate contra Amanda Nunes, realizado em dezembro do ano passado e, desde então, não havia se apresentado novamente pela organização.

Sem revanche imediata, a lutadora aceitou a proposta do UFC para encarar a ex-campeão do Invicta FC, Felícia Spencer. Sempre confiante, a curitibana topou viajar até o Canadá, país natal de Spencer, para realizar seu último embate antes do fim do seu contrato com o Ultimate.

Cyborg subirá no octógono em meio a uma polêmica envolvendo seu nome e o do presidente do UFC, Dana White. Recentemente, as duas partes vêm trocando farpas pela imprensa a respeito do motivo pelo qual Cris não realizou a revanche contra Amanda. Segundo White, foi oferecida a Cyborg uma nova luta contra a ‘Leoa’, que foi prontamente rejeitada pela atleta. Cris, por sua vez, nega as informações divulgadas pelo mandatário e afirma que, um dia após o nocaute sofrido, enviou mensagem a Dana solicitando que uma nova peleja fosse agendada.

A brasileira, no entanto, durante esta semana, evitou comentar sobre o assunto, alegando que seu foco estava apenas em Spencer e que, após o evento, irá responder a todos os questionamentos feitos a respeito do tema.

O combate contra Felícia, de certa forma, pode ser encarado como uma despedida, ou o início de uma nova história para Cyborg dentro do UFC.

4 – Duelo Tupiniquim

A. Pantoja (esq.) enfrenta D. Figueiredo (dir.) no UFC 2040, em julho. Foto: Montagem SL / MMA Press

Com o sonho de lutar pelo cinturão dos moscas (até 56,7kg.) os brasileiros Alexandre Pantoja e Deiveson Figueiredo se enfrentam na terceira luta do card preliminar do UFC 240. Na terceira e quarta colocação na categoria (respectivamente), os lutadores trocam forças a fim de se manterem estáveis dentro da categoria, que passou por um momento de dúvida extrema sobre sua continuidade ou não.

Atualmente, o campeão dos moscas, Henry Cejudo, se arriscou na categoria dos galos (até 65,7kg.) e conquistou o título da divisão, que foi deixado vago por TJ. Dillashaw após o norte-americano ser flagrado em um exame antidoping. Na ocasião, o campeão olímpico foi declarado o novo detentor da cinta após bater o brasileiro Marlon Moraes no UFC 238, ocorrido em junho deste ano.

Após a conquista, Cejudo foi obrigado a passar por uma intervenção cirúrgica no ombro e só deve retornar ao octógono em 2020. Enquanto o campeão não está em condições de atuar, os atletas da categoria continuam se enfrentando em busca do posto de desafiantes.

Pantoja, atualmente, vem em uma ótima fase dentro do UFC. O atleta se encontra com três vitórias consecutivas e soma 18 triunfos em seus últimos 20 compromissos profissionais. Deiveson, por sua vez, sofreu seu primeiro revés na carreira no encontro com o compatriota Jussier Formiga, ocorrido em março deste ano. Ao todo, Figueiredo já lutou em 16 ocasiões, vencendo 15 e perdendo uma.

5 – Mais brasileiros no card

S. Frota é escalada para lutar no UFC 240. Foto: Reprodução/ Instagram @atretaufc

Com 11 lutas programadas, o UFC 240 trará, além de Cyborg e o duelo entre Pantoja Figueiredo, mais dois atletas escalados para participar do card.

A peso mosca, Sarah Frota, realizará seu segundo embate desde que assinou contrato profissional com o Ultimate. Em sua luta de estreia, a brasileira foi surpreendida pela compatriota Livinha Souza, em peleja realizada em fevereiro deste ano. A brasiliense de 32 anos, desta vez, trocará forças contra a canadense Gillian Robertson, que vem de vitória sobre Verônica Macedo, também em fevereiro.

Vivi Araújo é outra atleta tupiniquim a desembarcar no Canadá para realizar mais um embate pelo UFC. Após estrear com o pé direito na companhia, no UFC 237, no Rio de Janeiro, a atleta de Ceilândia (DF), desta vez, irá encarar a experiente Alexis Davis, que vem de duas derrotas consecutivas e passa por um momento complicado dentro do Ultimate. A brasileira, caso vença, continuará sua caminhada na tentativa de chegar à elite da categoria das moscas, que hoje tem Valentina Shevchenko como grande campeã.

Relação de lutas para o UFC 240

CARD PRINCIPAL (23h, horário de Brasília)

Peso pena (até 65,7kg.): Max Holloway x Frankie Edgar

Peso pena (até 65,7kg.): Cris Cyborg x Felicia Spencer

Peso meio-médio (até 77kg.): Geoff Neal x Niko Price

Peso leve (até 70,3kg.): Olivier Aubin-Mercier x Arman Tsarukyan

Peso médio (até 83,9kg.): Marc-Andre Barriault x Krzysztof Jotko

CARD PRELIMINAR (19h15, horário de Brasília)

Peso mosca (até 56,7kg.): Alexis Davis x Viviane Araújo

Peso pena (até 65,7kg.): Hakeem Dawodu x Yoshinori Horie

Peso pena (até 65,7kg.): Gavin Tucker x Seung Woo Choi

Peso mosca (até 56,7kg.): Alexandre Pantoja x Deiveson Figueiredo

Peso mosca (até 56,7kg.): Sarah Frota x Gillian Robertson

Peso leve (até 70,3kg.): Erik Koch x Kyle Stewart

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments