Com luta neste sábado, Cerrone afirma que ainda quer lutar em dezembro entre os meio-médios

Norte-americano confirma desejo de realizar sua quarta apresentação de 2019; alvo seria a divisão dos meio-médios

D. Cerrone tranquiliza fãs e afirma que está bem. Foto: Reprodução/Instagram @cowboycerrone

Um dos atletas mais ativos do UFC estará de volta neste sábado (14). Donald Cerrone trava, junto ao compatriota, Justin Gaethje, a luta principal do UFC Vancouver. Para o combate, está em jogo o sonho de enfrentar o atual campeão, Khabib Nurmagomedov pelo título dos leves (até 70,3kg.). ‘Cowboy’, no entanto, está afim de compromisso. O revelou o desejo de lutar mais uma vez ainda este ano, mas na categoria dos meio-médios (até 77kg.). A declaração foi feita ao ‘MMA Junkie’.

Veja Também

Cara de Sapato aposta no jiu-jitsu para vencer Uriah Hall: ‘Vi que ele aceita o chão’
Pai de Khabib confirma aposentadoria de filho após mais dois combates: ’30 lutas está bom’
Stefan Struve explica decisão de voltar a lutar após anunciar aposentadoria: ‘Precisava descansar’

“Depois que eu bater Gaethje, não existe mais ninguém (com exceção de Nurmagomedov). É isso, não tem mais ninguém na minha frente. Eu ainda gostaria de lutar em dezembro. Eu vou ter que tirar uma pequena folga dos leves e ir para os meio-médios. Vamos ver.

Donald é conhecido no meio do MMA por não recusar combate algum. O atleta, por diversas vezes, já foi escaldo de última hora para substituir atletas que estiveram a impossibilidade de cumprir o compromisso com algum card. Neste caso, o norte-americano preenchia o espaço e, em muitas ocasiões, saía vitorioso.

Desde 2013, não há um ano sequer em que Cerrone não realize, ao menos, três combates por temporada. Caso seja, de fato, escalado para atuar em algum card de dezembro, o lutador repetirá o feito ocorrido em 2014 e 2015, quando o ‘Cowboy’ atuou por quatro vezes.

Além de ter muitas lutas em seu cartel profissional e poder ostentar a fama de ‘pau para toda obra’, Donald, também, é um atleta muito respeitado dentro do octógono. Mesmo vindo de derrota para o desafiante número um dos leves, Tony Ferguson, o lutador tem muito prestígio dentro da organização e figura sempre na parte de cima do ranking da divisão.

Aos 36 anos, o ‘Cowboy’ soma 48 combates em seu cartel, com 36 vitórias e 12 derrotas.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário