Jacaré revela que pensou em se aposentar e enfrentou problemas psicológicos nos últimos meses

Agora nos meio-pesados, brasileiro afirma que reencontrou a motivação para retornar ao octógono e se diz empolgado com a nova fase; atleta volta no UFC São Paulo, em novembro

R.Jacaré sobe de peso e encara Blachowicz no UFC São Paulo. Foto: Reprodução/Facebook RonaldoJacareSouza

O brasileiro Ronaldo Jacaré está de volta aos octógonos após ser derrotado por Jack Hermansson no UFC Sunrise, em abril. O atleta, que encabeça o UFC São Paulo, em 16 de novembro, revelou que passou por dificuldades nos últimos meses e precisou de acompanhamento psicológico para retomar o gosto pelo trabalho. As declarações foram feitas em entrevista recente ao ‘MMA Fighting’.

Veja Também

Donald Cerrone recebe três meses de suspensão médica após UFC Vancouver
Sarah Frota é flagrada em antidoping, recebe dois anos de suspensão e é dispensada pelo UFC
Após cirurgias, Marreta admite que pensou em aposentadoria: ’Não conseguia fazer coisas simples’

“Cara, eu estava pensando em parar (de lutar). Eu tinha um problema psicológico, eu estava exausto. Eu dirigia até a academia, chorava no carro e dizia: ‘O que eu estou fazendo indo para a academia?”, disse o lutador.

Após os momentos de angústia e sem saber a real causa de suas dificuldades, o atleta aceitou o conselho de sua esposa de procurar uma profissional para buscar a solução para seus problemas. O manauara, então, encontrou ajuda de um psicólogo para iniciar um tratamento.

“A minha esposa encontrou um psicólogo para mim. Estou a trabalhando nisso uma vez por semana e isso tem-me ajudado muito”, confessou Ronaldo.

Jacaré esteve próximo algumas vezes de se tornar um desafiante ao cinturão dos médios (até 83,9kg.), no entanto, o atleta foi derrotado em algumas oportunidades e nunca chegou a lutar por um título do UFC. Agora, o manauara tem um novo desafio. O lutador decidiu se arriscar na categoria dos meio-pesados, hoje reinada por Jon Jones.

“Estou muito feliz com a oportunidade de voltar a lutar. Estou feliz, entusiasmado e trinando como nunca. Há muitas coisas boas acontecendo na minha vida. Três meses atrás, eu estava chorando no caminho para a academia, lágrimas saíam dos meus olhos e eu não sabia por quê. ‘O que estou fazendo, cara? Eu vou parar de lutar, não quero isso para a minha vida’. E, de repente, as coisas voltaram a ser novidades”, afirmou Ronaldo.

O atleta não revelou quais os motivos que o mantiveram mal nos últimos tempos. Para ele, expor os problemas ao público apenas prejudicariam o seu dia a dia, mas, no entanto, o lutador afirmou que a causa foi encontrada e ele tem trabalhado para minimizar os fatores.

“Honestamente, não quero falar sobre isso. Eu só quero dizer que minha família me ajudou muito. Minha esposa me ajudou muito, e foi isso que me ajudou a me levantar. Foi a minha parceira que encontrou este psicólogo para mim. Eu disse a ela: ‘Você está louca? Por que vou falar com um psicólogo? Eu não sou louco’. E essa foi a melhor coisa que eu já fiz, aceitar e trabalhar nisso”, declarou o brasileiro.

Após seu último revés, Ronaldo terá a oportunidade de ser um dos protagonistas do UFC São Paulo. O atleta subirá ao octógono para enfrentar o quinto no ranking dos meio-médios, Jan Blachowicz. Um triunfo sobre o polonês, que vem de ótima vitória sobre o ex-rival de Jacaré, Luke Rockhold, pode colocar o brasileiro em ótima condição no ranking da categoria logo em sua estreia no novo peso.

Jacaré, que completa 40 anos em dezembro, hoje, soma 33 lutas como profissional no MMA, com 26 triunfos e apenas sete reveses.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments