Johnny Walker aposta em nocaute sobre Nikita Krylov no UFC Brasília, neste sábado

Com confiança renovada após derrota para Corey Anderson, brasileiro quer mostrar que retomou a boa forma contra ucraniano

J. Walker (foto) aposta em nocaute no UFC Brasília. Foto: Reprodução/Facebook @ufcbrasil

O brasileiro Johnny Walker terá um duro compromisso neste sábado (14), pelo UFC Brasília, quando enfrenta Nikita Krylov em uma das lutas mais aguardadas do card. Vindo de derrota para Corey Anderson, o meio-pesado (até 93kg.) precisa vencer para provar que não é apenas uma promessa, mas uma realidade no esporte e que pode disputar de igual para igual contra adversários da elite da divisão. Em entrevista ao ‘BJPenn.com’, o atleta de Belford Roxo (RJ) mostrou entusiasmo e comentou sobre a expectativa para a nova peleja.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Você não tem ideia do quanto eu quero lutar. Estou muito animado. Quero derrotar alguém, me testar. Não quer machucar alguém, mas nocautear”, disse o brasileiro.

PUBLICIDADE:

Walker, que vinha sendo considerado um dos possíveis nomes para colocar em risco o título de Jon Jones acabou tendo seu ímpeto interrompido depois do duro revés sofrido para Corey Anderson em uma das lutas do UFC 244, em novembro do ano passado. Quatro meses após o revés, o atleta mostrou empolgação sobre o encontro contra Krylov.

“Eu gosto muito dessa luta. Eu realmente acho que ele (Nikita) é realmente um bom adversário para meu retorno, porque ele é um lutador muito bom. Ele tem um bom jogo de pé, um bom jogo de chão. Ele tem um pouco de wrestling, ele tem um pouco de cardio. Então, é um lutador completo. Vai ser um teste muito bom para mim. Derrotar este tipo vai me dizer que estou pronto para o próximo nível”, disse.

PUBLICIDADE:

Johnny ainda fez uma previsão para seu futuro em 2020. Para ele, uma boa apresentação contra o ucraniano pode, enfim, colocá-lo na linha de frente para uma luta pelo título.

PUBLICIDADE:

“Vou trabalhar para isso (nocaute). Vou lutar o melhor que puder e pelo que treinei. Se eu tiver uma oportunidade de lutar pelo cinturão até o fim do ano ou no início do ano que vem, é o que eu quero”, finalizou.

Podcast #41: José Aldo de volta ao topo + Charles do Bronx e Amanda Nunes no UFC 269

Comentários

Deixe um comentário