Amanda Ribas adota cautela, mas prevê disputa de cinturão em breve: ‘Preciso de mais lutas’

Promessa brasileira na divisão das palhas, mineira mostra pés no chão para lidar com trajetória rumo ao cinturão

A. Ribas em vitória pelo UFC. Foto: Reprodução/Instagram @ufc

Invicta no Ultimate com três lutas, Amanda Ribas já é uma realidade brasileira dentro da divisão das palhas (até 52,1kg.). Mineira de Varginha, a atleta vem, a cada apresentação, mostrando que chegou ao UFC para ficar. Com atuações seguras, a combatente adota cautela para falar sobre o futuro na divisão, mas vislumbra uma disputa de cinturão em breve.

Veja Também

Cody Garbtrandt e Petr Yan criticam desafio de Cejudo a Dominick Cruz
Justin Gaethje responde a Tony Ferguson sobre bater o peso na sexta-feira: ‘Não vou!’
Volta de WWE na Flórida pode favorecer retorno das atividades do UFC

“Sou ambiciosa. Então, eu acho que no fim deste ano ou no começo do próximo (posso lutar pelo cinturão). Preciso de mais lutas. Eu sei disso. Não apenas para o ranking, mas para mim. Eu preciso ter mais experiência no UFC, com os fãs e, talvez no final desse ano, ou começo do próximo, (disputarei o título)”, afirmou a brasileira em entrevista ao ‘MMA Junkie”.

Com apenas 26 anos, Ribas mostra maturidade ao tratar a carreira, ainda mais no início de seu contrato com o Ultimate. A combatente entende que o caminho até o topo é longo e acelerar um processo pode ser fatal, caso seja cometido algum equívoco.

“Acho que quando apressamos as coisas, nos colocamos muito à frente. Acho que precisamos ir passo a passo para chegar onde queremos. Algumas vezes meu pai e meus treinadores dizem: ‘Se acalme. Relaxe. Treine. Tudo acontece na hora certa”, finalizou.

O título das palhas, hoje, pertence à chinesa Weili Zhang. A campeã conquistou o cinturão depois de bater Jéssica Andrade na luta principal do UFC Shenzhen, em agosto do ano passado.

Ribas, atualmente, tem 10 lutas como profissional no MMA. A mineira soma nove vitórias e apenas uma derrota. Sua última apresentação aconteceu em março deste ano, quando derrotou Randa Markos em uma das lutas do UFC Brasília.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário