Com luta marcada entre as moscas, Amanda Ribas sugere seguir passos da xará Amanda Nunes no UFC

Com campeã das galos e penas como referência, brasileira faz, em 11 de julho, sua estreia na divisão até 56,7kg. contra Paige VanZant

A. Ribas em vitória pelo UFC. Foto: Reprodução/Instagram

Invicta desde sua estreia no Ultimate, Amanda Ribas vem se consolidando como uma das gratas surpresas brasileiras na organização. Atualmente como 14ª no ranking das palhas (até 52,1kg.), a mineira terá o desafio de subir de divisão para enfrentar Paige VanZant entre as moscas (até 56,7kg.), no UFC 251, em 11 de julho. Pensando em manter os 100% de aproveitamento dentro da organização, Amanda sugere seguir os passos de Amanda Nunes, que segue inquestionável em duas categorias na empresa.

Veja Também

Vídeo: Dana White divulga imagens de estruturas da ‘Ilha da Luta’ sendo montadas
Técnico de McGregor confirma aposentadoria de irlandês: ‘Não posso convencê-lo a voltar’
Após derrota para Dustin Poirier, Dan Hooker sugere luta contra Charles do Bronx

“Se eu conseguir ficar ranqueada entre as moscas também, muito melhor. Quem sabe eu consiga seguir os passos de Amanda Nunes, nossa amada ‘Leoa’, e atuar em alto nível em duas divisões?”, disse Ribas em entrevista ao ‘MMA Junkie’.

Sem lutar desde março deste ano, quando bateu Randa Markos em uma das lutas do UFC Brasília, Amanda sabe que não terá compromisso fácil contra VanZant. A norte-americana não se apresenta há mais de um ano, no entanto, a brasileira reconhece que estará diante de uma oponente perigosa.

“Acho que ela não é famosa à toa. Ela conseguiu um belo nocaute (contra Bec Rawlings, em agosto de 2016). Ela também tem vitórias por finalização. Suas lutas são sempre muito rápidas. Eu preciso tomar cuidado contra ela. Sua última luta aconteceu no início de 2019, mas não acho que vá ser um problema para ela”, explicou a mineira.

Embora tenha feito três lutas na divisão das palhas desde sua estreia no UFC, Ribas contou o motivo pelo qual aceitou enfrentar Paige na divisão de cima. Segura de seu talento, a brasileira acredita que o confronto pode somar em suas técnicas e experiência enquanto atleta de MMA.

“Eu teria lutado contra ela entre as palhas, mas não tenho certeza do porquê o UFC me ofereceu o confronto entre as moscas. Eu aceitei. Não é minha categoria usual, mas eu queria me testar. Eu quero ver como me saio subindo de divisão. Eu não gosto de ficar muito confortável. Gosto de me testar”, finalizou.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments