Após derrota, Masvidal pede revanche imediata contra Usman: ‘Quero aquele cinturão’

Batido pelo nigeriano na disputa do título dos meio-médios, norte-americano quer nova luta e afirma que dinheiro não vai ser problema

J. Masvidal (dir.) foi derrotado por K. Usman (esq.) no UFC 251. Foto: Reprodução/Instagram

Responsável por protagonizar, junto a Kamaru Usman, um dos cards mais rentáveis da história do Ultimate, Jorge Masvidal não desistiu da ideia de se tornar campeão linear dos meio-médios (até 77kg.). Derrotado pelo nigeriano no UFC 251, o norte-americano pediu uma revanche imediata à organização e descartou, por ora, superlutas contra Conor McGregor ou qualquer outro rival.

Veja Também

De olho em Volkanovski, Calvin Kattar e Dan Ige fazem duelo perigoso nesta quarta-feira
Borrachinha acusa Adesanya de ‘fugir’ de luta e propõe cinturão interino: ‘Já está ficando feio’
Vitor Belfort sai em defesa de Bolsonaro e é criticado por fãs
Nova estrela brasileira, Amanda Ribas pede calma ao falar de sucesso no UFC: ‘Ainda estou começando’

“Eles (UFC) poderiam me oferecer nomes maiores que me pagariam mais? Sim. Mas, se eu pudesse escolher, seria o Usman. Eu aceitei a luta seis dias antes e ninguém mais fez isso”, afirmou Jorge em entrevista ao ‘Ariel Helwani’s MMA Show’.

Nos últimos meses, Masvidal esteve imerso a uma guerra financeira pública com o UFC. O atleta questionava os valores pagos para suas apresentações e se recusava a lutar pelos valores estabelecidos. Após topar substituir Gilbert Durinho no UFC 251, a situação se resolveu. Desta forma, o ‘Jesus das Ruas’ explica que o lado financeiro não é mais um problema e que seu foco, portanto, está voltado para a conquista do cinturão de sua divisão.

“Pode até se dizer que uma luta contra McGregor renderia não sei quantos dólares – o maior pay-per-view da história, certo? – e eu ganharia muito. Eu acho que ganho o bastante agora. Se eu tomar as decisões corretas como tenho feito até agora, terei dinheiro para sempre. Então, não é pelo dinheiro. Eu sou teimoso e quero aquele cinturão”, explicou.

Por ter se apresentado contra um dos grandes nomes atuais do Ultimate com pouco tempo de preparação, Masvidal acredita que, com um período de treinos adequado, seria capaz de chocar o mundo e se tornar o novo campeão. Assim, o norte-americano insistiu para que o UFC promova uma reedição do confronto do último dia 11.

“Eu quero provar que sou melhor do que o Usman. Quero lutar com ele de novo. Sei que ele venceu a primeira. Vamos fazer de novo”, finalizou.

A vontade de Jorge, no entanto, pode não ser atendida. Logo após o UFC 251, o presidente da empresa, Dana White, afirmou que Durinho será o próximo desafiante ao cinturão dos meio-médios. Diagnosticado com COVID-19 no início deste mês, o brasileiro aguarda a recuperação total para voltar aos treinamentos.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments