Ex-lutador do UFC é preso nos Estados Unidos

Aposentado desde 2016, Jason Miller novamente, marcou presença nas páginas policiais

J. Miller adicionou mais uma prisão à sua extensa lista. Foto: Divulgação

Jason Miller se envolveu em mais uma grande polêmica. Aos 39 anos, o ex-lutador do UFC e Strikeforce foi preso, após ter cometido vários crimes nesta terça-feira (25) e está sob custódia em uma prisão em Newport Beach, Califórnia, e, atualmente, sem direito a fiança. Conforme o relatório, ‘Mayhem’ foi acusado de roubo de primeiro grau, tomada ilegal de um veículo e roubo de carro enquanto estava em liberdade condicional em um caso de violência doméstica. Ele se declarou inocente em uma audiência pré-julgamento marcada para o dia 2 de setembro.

Veja Também

Mesmo com aposentadoria encaminhada, Anderson Silva volta a sugerir luta contra McGregor
Anderson Silva narra roteiro dos sonhos para o fim de sua carreira
Com luta na próxima semana, Michel Pereira mantém sonho de título no UFC: ‘Tenho as ferramentas’

O ocorrido não é novidade. Pelo contrário, foi apenas mais um caso de uma longa lista. Em julho de 2019, o norte-americano se declarou culpado de vandalismo, violação de contravenção de uma ordem de proteção de afastamento e foi condenado a um ano de prisão e colocado em liberdade condicional de três anos. Segundo os registros do tribunal, Miller quebrou uma mesa de mármore na casa de sua namorada, enquanto também fazia furos em sua parede, removendo portas da casa e descarrilhando a porta da garagem.

Em setembro, Miller se pronunciou, pedindo desculpa por seu comportamento.

“Nem é preciso dizer que agi como um louco por um bom tempo da minha vida após lutar e não posso dar desculpas para o meu comportamento. Não fiquei com a mente certa por muito tempo, como evidenciado pela minha constante guerra com a lei, destruição de propriedade pública, distúrbios domésticos e evasão, mas fui pego e forçado a dar uma longa olhada no espelho. Gostaria de aproveitar esta oportunidade para pedir desculpas a todos que afetei negativamente durante esses tempos sombrios, incluindo amigos, família, policiais. Eu sinto Muito.”, escreveu Miller em seu Facebook.

Em 2017, Miller se declarou culpado por uma única acusação de violência doméstica, enquanto recebia uma sentença suspensa de quatro anos e três anos de liberdade condicional por incidentes com três namoradas diferentes entre 2015 e 2017.

Outro incidente grave aconteceu em 2014, quando ele se envolveu em um impasse de cinco horas com uma equipe da SWAT, fora de sua casa, enquanto atualizava sua conta no Twitter, mesmo com a chegada dos policiais para cumprir um mandado de “suposta perseguição em casa”.

Jason Miller se aposentou em 2016 e sua última luta foi diante de Mattia Schiavolin, no Venator FC. O norte-americano chegou a ter alguns momentos de destaque no MMA, como ser treinador da 14ª temporada do TUF (The Ultimate Fighter), ao lado de Michael Bisping e ter disputado o cinturão do peso médio (83,9kg) do Strikeforce e Dream, respectivamente, contra Jake Shields e Ronaldo ‘Jacaré’.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments