Após críticas, Dana White defende contratação de lutadora do Contender Series: ‘Já assinei com piores’

Presidente do UFC assina com lutadora que estreou no MMA em seu programa e justifica a aposta de forma curiosa

D. Wolff (esq.) ganha contrato com o UFC. Fonte: Reprodução/Instagram @ufc

Não são apenas as organizações de MMA as responsáveis pelo desenvolvimento e consolidação dos lutadores no esporte. Programas como o TUF (The Ultimate Fighter) e o Dana White Contender Series também são importantes, já que têm como objetivo revelar talentos, porém nem todos os atletas que participam são contratados. E essa foi a polêmica do sétimo episódio da quarta temporada do DWCS, realizado no dia 15 de setembro.

A proposta do reality é premiar, justamente, os atletas que vencem por nocaute ou finalização, mas Danyelle Wolf, que tem um grande currículo no boxe e fazia a sua estreia no MMA, teve trabalho para superar Taneisha Tennant e, mesmo assim, foi contratada. Ao tomar conhecimento das críticas pela decisão, Dana White não só se defendeu, como justificou a aposta pela baixa quantidade de atletas no peso pena (65,8kg) do UFC.

Veja Também

Vídeo: lutador aplica surra em invasor por usar brinquedo sexual no banheiro de sua academia
Com os ânimos exaltados, Chimaev e Meerschaert se estranham antes da luta no UFC Las Vegas 11
Sem chegar a um acordo com o UFC, Patricky Pitbull desafia Dustin Poirier: ‘Venha para o Bellator!’

“Wolf fez sua primeira luta no MMA, contra uma adversária mais experiente e foi uma batalha. Ela a machucou algumas vezes e seus golpes são bem fortes, por isso dei uma chance a ela. Wolf tem cerca de 43 lutas profissionais. Não é como se ela não pudesse lutar ou que nunca tenha lutado. As pessoas criticaram e acham que ela perdeu, mas já contratei atletas sem as qualidades que ela possui. O peso pena não é profundo. Wolf sempre quis estar no UFC e lutou para isso e acho que ela mereceu o contrato. Cabe a ela se manter ou não”, disse Dana.

Assim como os fãs, Megan Anderson, uma das lutadoras mais conhecidas da divisão, estranhou a decisão de Dana White e ainda citou uma atleta que merecia, de fato, a aposta do mandatário do UFC.

“Alguém que possui apenas uma luta no MMA é contratada e Pam Sorenson, campeã dos penas do Invicta e uma das pioneiras da categoria, não”, postou Megan em seu Twitter.

Danyelle Wolf, de 37 anos, é bastante popular nos Estados Unidos, possui um excelente histórico no boxe, inclusive, sendo campeã, costuma participar de maratonas e, além do Contender Series, participou de um reality da MTV.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments