Thominhas Almeida explica ausência no UFC e comemora luta marcada: ‘A porrada vai comer’

Longe do octógono há mais de dois anos, brasileiro comenta período de inatividade e mostra entusiasmo para o embate contra Alejandro Perez em 10 de outubro

Os fãs de lutadores agressivos têm motivos de sobra para comemorar. Thominhas Almeida está de volta ao octógono após mais de dois anos afastado e mostra entusiasmo para seu confronto contra Alejandro Perez, em 10 de outubro, na ‘Ilha da Luta’, em Abu Dhabi. Em entrevista exclusiva ao canal no YouTube do SUPER LUTAS, o brasileiro explicou o período de inatividade e falou sobre a expectativa para o retorno ao UFC.

Veja Também

Polêmico como sempre, Covington provoca Woodley, Usman, Masvidal e até Durinho antes do UFC Las Vegas 11
Mesmo mais calmo, Johnny Walker espera luta movimentada neste sábado: ‘Soco para todo lado’
Mackenzie Dern quer chocar o mundo com finalização inédita no Ultimate: ‘Nunca aconteceu’
Vídeo: lutador aplica surra em invasor por usar brinquedo sexual no banheiro de sua academia

Thominhas não se apresenta desde janeiro de 2018, quando foi derrotado por Rob Font em uma das lutas do UFC 220. Desde o revés, o brasileiro não foi mais visto em ação, o que gerou muitos questionamentos para os fãs.

O que realmente aconteceu?

Conhecido pela agressividade e a forma incisiva com que conduz seus combates, não demorou muito para que Almeida caísse nas graças do público tupiniquim. O atleta, no entanto, acabou tendo sua trajetória na companhia interrompida e explicou os motivos.

“Eu lutei pela última vez em janeiro de 2018, depois fiz minha mudança para os Estados Unidos e teve um período de adaptação. Por isso, demorou para marcar a luta. Depois, marquei uma luta contra o Marlon Vera e, no final da minha preparação, tive um problema no olho. Tive que operar o olho, retornei para o Brasil, fiquei esse tempo afastado, recuperando. Até que a recuperação foi rápida, mas voltar a ter uma vida 100% de um atleta, para fazer camp (treinamento), isso que foi o demorado”, explicou o peso galo.

Influência da pandemia

Embora esteja voltando apenas em 2020, Thominha contou que já estava se preparando para retornar ao octógono em 2019. A pandemia do coronavírus, no entanto, acabou atrasando ainda mais sua reestreia.

“Eu já estava liberado desde o final do ano passado, enchendo o saco do UFC, do Sean Shelby, responsável por marcar as lutas do meu peso, e aí veio a pandemia. Estava olhando para lutar no UFC São Paulo, em maio, mas veio a pandemia e os planos atrasaram”, contou.

Luta contra Alejandro Perez

Em outubro, além do retorno oficial, Thominhas terá pela frente um oponente perigoso, que também é conhecido pela força nos punhos. O atleta, então, analisou a luta contra Perez e garantiu show de ambos para os fãs.

“Acho que vai ser uma luta muito boa. Ele é um cara duro, já foi top 15 e isso me dá mais vontade de treinar. Ele aceita a trocação, a porrada, mas gosta de botar para baixo também. Acredito que ele não tem o nível técnico que eu tenho de jiu-jitsu, nem de wrestling, mas luta é luta e nunca desmereci ninguém. (…) Quem vai ganhar são todos os fãs. A porrada vai comer, com certeza”, disse Almeida, antes de arriscar um palpite para o resultado. “Não posso fugir, é o nocaute, com certeza”, finalizou.

Aos 29 anos, Almeida, hoje, soma 24 apresentações como profissional no MMA. O brasileiro tem 21 vitórias e três reveses.

Perez, de 31, tem 30 compromissos, com 21 resultados positivos, oito reveses e um empate.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments