Aposentadoria precoce: além de Khabib, relembre outros atletas que se retiraram de seus esportes cedo

Depois de surpreender e pendurar as luvas no último sábado, russo entra para lista de esportistas que decidiram interromper suas carreiras antes do previsto

K. Nurmagomedov se aposentou aos 32 anos. Foto: Reprodução/Facebook UFC

A aposentadoria precoce de Khabib Nurmagomedov, de 32 anos, no último sábado (24), depois de unificar o cinturão do peso leve (até 70,3kg.) do UFC, segue dando o que falar. O atleta, no entanto, não foi o primeiro e nem será o último a tomar a difícil decisão.

Veja Também

Khabib eterno: quem é o atleta por trás das 29 vitórias? Acompanhe a trajetória do russo, que deixa o MMA invicto
Sensibilizado com a aposentadoria de Khabib no UFC 254, Cormier celebra a carreira do amigo: ‘Maior de todos!’
Surpreso com aposentadoria de Khabib no UFC 254, GSP o enaltece: ‘Talvez seja o melhor da história’
Dana White lamenta e não acredita que Khabib Nurmagomedov volte a lutar: ‘Aposentadoria real’
VÍDEO: Assista à finalização de Khabib Nurmagomedov sobre Justin Gaethje no UFC 254

No mundo esportivo, muitos atletas buscam estender ao máximo suas carreiras, seja por amor ao esporte, lado financeiro e também a capacidade de manterem o alto rendimento por longos anos. Casos como os de Romário, Floyd Mayweather, Anderson Silva, Zé Roberto e Evander Holyfield são exemplos de pessoas que tentam ou tentaram lutar contra o tempo e prolongaram suas trajetórias em suas respectivas modalidades.

Por outro lado, há aqueles que absorvem antes suas permanências em competições e decidem que está na hora de se retirar. Pensando nestes casos, nossa equipe selecionou alguns exemplos de atletas que interromperam suas carreiras, muitas das vezes, em seus auges. Confira.

1) Georges St. Pierre

G. St-Pierre não luta desde 2017. Foto: Reprodução/Instagram @georgesstpierre

 

Considerado, por muitos, como um dos melhores lutadores de MMA de todos os tempos, Georges St-Pierre fez história enquanto calçava as luvas do UFC. No seleto grupo de combatentes que ostentaram mais de um cinturão em categorias diferentes na companhia, o canadense deixou oficialmente o esporte em 2017.

Na ocasião, Georges acabava de conquistar seu segundo título da empresa, ao bater Michael Bisping, em disputa pela cinta dos médios (até 83,9kg.). Ao que tudo indicava, o canadense daria início a um novo reinado na organização, mas o atleta surpreendeu a todos ao anunciar que deixaria o MMA de vez, aos 36 nos.

Nos últimos anos, o atleta, algumas vezes, ensaiou uma possível volta. St-Pierre nunca escondeu que uma superluta contra Khabib Nurmagomedov poderia motivá-lo ao retorno. O embate, no entanto, nunca saiu do papel e o anúncio recente do russo pode encerrar a conversa definitivamente.

2) Ronda Rousey

R. Rousey não cogita retorno ao MMA. Foto: Reprodução/Facebook RondaRousey

Um dos nomes mais importantes para a difusão do MMA feminino, Ronda Rousey reinou absoluta no Ultimate por alguns anos. Medalhista olímpica (Pequim, 2008), a norte-americana estreou nas artes marciais mistas em março de 2011. Representante do peso galo (até 61,2kg.), a atleta liderou a divisão no UFC entre 2013 e 2015.

Com uma luta de chão que parecia indecifrável, Ronda dominava as adversárias com facilidade e, por anos, foi um dos maiores nomes da organização. O reinado de Rousey foi encerrado em novembro de 2015, quando a loira viu seu trono ser ocupado pela compatriota Holly Holm.

Muitos achavam que a derrota para Holm seria o fim da carreira de Ronda. No entanto, em dezembro de 2016, a ex-campeã chocou o mundo ao anunciar seu retorno e tentaria recuperar a cinta contra a já campeã, Amanda Nunes. A tentativa acabou dando errado. No embate contra a ‘Leoa’, a norte-americana acabou se tornando presa fácil para a agressividade da brasileira, perdendo com um nocaute brutal ainda no primeiro round.

Depois do revés para a baiana, Ronda se retirou oficialmente do MMA, aos 29 anos, e passou a se apresentar no WWE.

3) Michael Phelps

M. Phelps se aposentou em 2016. Foto: Reprodução/Instagram

Maior medalhista olímpico da história – entre todas as modalidades -, com 28 pódios, Michael Phelps também completa a lista. Dono de inúmeros recordes mundiais, o norte-americano se tornou um fenômeno mundial dado ao seu alto grau de competitividade na natação.

Profissional no esporte desde 2000, Michael conquistou seu primeiro ouro olímpico em Atenas, em 2004 e, a partir daí, não parou mais. Ao todo, foram cinco participações em Olimpíadas e sempre surpreendendo.

Em 2012, Phelps acabou chocando seus fãs ao anunciar sua aposentadoria do esporte, aos 27 anos. O nadador, no entanto, voltou atrás na decisão para se testar mais uma vez em uma das principais competições da história. De volta, em 2016, voltou a brilhar nos jogos olímpicos do Rio de Janeiro, levando para casa mais seis medalhas (cinco de ouro).

Depois do Rio, Michael confirmou que não voltaria a competir e estava definitivamente fora, aos 31 anos.

4) Tite

Tite teve uma carreira curta como jogador e se aposentou aos 27 anos. Foto: Reprodução/Instagram

Atual técnico da seleção brasileira de futebol, Tite, para quem não sabe, teve uma carreira curta no como jogador. Volante de ofício, o treinador passou por quatro equipes profissionais antes de optar por atuar fora das quatro linhas.

Com a bola nos pés, Tite defendeu as cores do Caixas, Esportivo, Portuguesa (SP) e Guarani. Seu período como atleta, no entanto, foi curto e se encerrou em 1985, devido a uma série de lesões. Hoje, treinador, ele deixou o esporte com 28 anos.

5) Tostão

Tostão se aposentou aos 27 de anos. Foto: Reprodução/Instagram

Ainda no futebol, Tostão, o ‘Doutor da Bola’, apesar da fama mundial, também teve uma carreira curta. Ídolo do Cruzeiro (MG), e com uma Copa do Mundo no currículo, muitos não sabem que ele parou com apenas 27 anos.

Conhecido pela técnica apurada, o atacante optou por interromper a carreira por conta de um problema no olho, que poderia deixá-lo cedo a longo prazo. A lesão foi consequência de um lance durante uma partida contra o Corinthians, em São Paulo, em 1969. Tostão passou por cirurgia e conseguiu se recuperar a tempo de disputar a copa de 70, onde foi campeão junto à Seleção Brasileira.

Anos depois, no entanto, olho voltou a preocupar e, por recomendação médica, o jogador optou por deixar oficialmente ao esporte, prestando, em seguida, vestibular para medicina e se graduando na profissão.

6) Van Basten

V. Basten deixou o futebol aos 30 anos. Foto: Reprodução/Instagram

Famoso atacante dos anos 1980 e 1990, Van Basten é um dos casos que acabaram perdendo a batalha para lesões. Atleta de apenas dois clubes, Ajax e Milan, o holandês era temido com a bola nos pés. Eleito o melhor jogador da FIFA em 1992, o jogador, no entanto, foi vítima das does crônicas no tornozelo.

Basten tentou prologar ao máximo sua carreira nos gramados. No entanto, o jogador deixou o esporte em 1995, aos 30 anos.

7) Usain Bolt

U. Bolt deixou o atletismo aos 30 anos. Foto: Reprodução/Instagram

Considerado o homem mais rápido do mundo, Usain Bolt também foi veloz para decidir deixar o atletismo. Fenômeno na modalidade, com oito medalhas de ouro em jogos olímpicos, o jamaicano escolheu o Brasil como palco para seu adeus.

Bolt, que se profissionalizou no esporte em 2004, aos 17 anos, viveu uma trajetória de glórias dentro das pistas. Após grandes conquistas e fama mundial, o atleta se aposentou do esporte em agosto de 2017, aos 30 anos.

8) Zidane

Z. Zidane se aposentou com 33 anos. Foto: Reprodução/Instagram

Na seleta categoria de atletas do futebol que ‘jogam de terno’, Zidane, sem dúvidas, deixou sua marca como um dos melhores representantes do esporte. Uma vez campeão da Copa do Mundo (1998) e três vezes eleito pela FIFA como o melhor jogador (1998, 2000, 2003), Zinedine encantava por onde se apresentava.

Dono de uma técnica ímpar, Zidane deixou o esporte em 2006. Em sua última partida, que marcou a final da copa daquele ano, o francês acabou marcado por uma cabeçada desferida no zagueiro italiano Marco Materazzi, depois de ter sido provocado. Após a ação, Zinedine foi expulso de campo e, aos 33 anos, anunciou a aposentadoria para se dedicar ao trabalho de técnico.

9) Adriano

Adriano não joga desde 2016. Foto: Reprodução/Instagram

Uma figura carismática do futebol brasileiro, Adriano segue vivo no imaginário dos fãs do esporte, principalmente flamenguistas. Atleta que uniu força física e técnica, o carioca encantou o mundo em cerca de 15 anos de carreira.

Profissional desde 2000, o ‘Imperador’ explodiu para o futebol entre 2004 e 2006, quando vestia a camisa da Inter de Milão (ITA). Pelo clube, o atleta recebeu o apelido que carrega até hoje. Na seleção, Adriano disputou a copa de 2006, sendo um dos nomes mais badalados de um time repleto de estrelas. O jogador, no entanto, passou por um drama pessoal com a perda do pai, Almir Leite Ribeiro. Depois da tragédia, Adriano teve dificuldades de se reencontrar na modalidade.

Mesmo abalado, o jogador conquistou títulos importantes, como Campeonato Brasileiro de 2009, pelo Flamengo. Mesmo sem nunca tornar pública sua aposentadoria oficial, o ‘Imperador’ não se apresenta oficialmente desde 2016, quando tinha 34 anos. Seu último clube brasileiro foi o Athlético Paranaense, em 2014.

10) Michael Jordan

M. Jordan teve três aposentadorias na carreira. Foto: Reprodução/Instagram

Considerado um dos maiores fenômenos na história dos esportes, Michael Jordan não poderia ficar de fora da lista. Para muitos, o melhor jogador de basquete de todos os tempos, o norte-americano também passou pelo duro processo da aposentadoria precoce.

Conhecido pela dedicação, perfeccionismo e gana para vencer, Jordan é um dos exemplos de ‘vai e vem’ na carreira. Maior ídolo da história do Chicago Bulls, equipe da NBA, Michael havia conquistado três títulos nacionais junto à equipe e, após uma tragédia pessoal, quando perdeu o pai, optou por deixar o basquete, em 1993, aos 30 anos, e se dedicar ao baseball.

Em 1995, no entanto, o astro voltou ao esporte e conquistou, com o Bulls, os campeonatos de 1996, 1997 e 1998. No último, Jordan voltou a abandonar o esporte.

O atleta chegou a retomar a carreira em 2001, atuando pelo Washington Wizzards. No entanto, aos 38 anos, a forma física já não era a mesma.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments