Durinho admite que 'se sente melhor por não ter lutado' contra Usman após testar positivo para a COVID-19 | SUPER LUTAS

Durinho admite que ‘se sente melhor por não ter lutado’ contra Usman após testar positivo para a COVID-19

Brasileiro diz que teve seu condicionamento comprometido e não estaria 100% para o combate contra Kamaru Usman pelo título dos meio-médios

G. Durinho (foto) em ação pelo UFC. Foto: Reprodução/Instagram @gilbert_burns

Conhecido por não recusar lutas no Ultimate, Gilbert Durinho teve um árduo caminho até receber a chance de disputar o cinturão dos meio-médios (até 77,1 kg.) contra Kamaru Usman. Porém, quando finalmente lutaria pelo título, o brasileiro foi obrigado a se retirar do UFC 251, em julho, após ter testado positivo para a COVID-19.  Apesar da difícil recusa, o atleta diz que assistir ao evento foi um dos momentos mais difíceis da carreira e revelou que se sentiu melhor por não ter lutado, preferindo estar bem fisicamente para a luta.

Veja Também

“Eu estava assistindo aquela luta e quase chorando porque, quando Masvidal estava entrando para a luta, (senti que) era para ser eu. Eu aguentei porque meus filhos estavam aqui, mas quase chorei. Essa era a minha chance”, revelou Durinho, em entrevista ao site MMA Fighting.

Na ocasião, Jorge Masvidal aceitou substituí-lo no combate, ainda que tenha sido derrotado na decisão unânime dos juízes. O brasileiro afirmou que, um mês após o diagnóstico, ainda sentia os efeitos colaterais da doença, com danos no condicionamento.

“Meu nível de energia não estava normal. É um processo longo. Eu não estava 100% (um mês após o teste ser positivo). Me sinto melhor por não ter lutado. Sei que parece estranho, mas se eu pegasse aquele vírus e por algum motivo o teste fosse negativo, eu estava indo para a luta e não estava me sentindo bem. Não me entenda mal, mesmo que não esteja me sentindo bem, vou lutar de qualquer maneira. Não vou desistir, principalmente por uma luta pelo título. Vou dar o meu melhor. Não sei se o meu melhor será o suficiente, mas nunca vou desistir da luta”, concluiu.

Aos 34 anos, Gilbert Durinho conta com um cartel de 19 vitórias e três derrotas. Ele recebeu a confirmação da disputa do título após a vitória diante do ex-campeão da divisão, Tyron Woodley, em maio. O embate pelo cinturão dos meio-médios deve acontecer no dia 13 de fevereiro de 2021, no UFC 258. É importante ressaltar que essa é a terceira vez que o Ultimate tenta realizar a importante luta. Na primeira, o brasileiro teve que ser retirado, após testar positivo para Covid-19. Na segunda, foi Usman que não pôde atuar.

 

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments