VÍDEO: Vicente Luque destaca evolução no wrestling e lista possíveis adversários para se aproximar do cinturão | SUPER LUTAS

VÍDEO: Vicente Luque destaca evolução no wrestling e lista possíveis adversários para se aproximar do cinturão

Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, o brasileiro se diz pronto para enfrentar os cinco melhores da divisão dos médios (até 77kg.)

Promessa brasileira na divisão dos meio-médios (até 77kg.), Vicente Luque deu um importante passo rumo ao cinturão da divisão. Em combate válido pelo UFC 260 do último sábado (27), o brasileiro finalizou Tyron Woodley ainda no primeiro round com um triângulo de mão. Em entrevista ao canal do SUPER LUTAS no Youtube, o atleta destacou sua evolução para o duelo e ainda citou os nomes de Nate Diaz, Leon Edwards e Colby Covington como possíveis oponentes em sua trajetória pelo título.

Veja Também

Com a vitória diante do ex-campeão Tyron Woodley, Vicente Luque chegou em seu terceiro triunfo e subiu quatro posições na divisão dos meio-médios. Agora, o lutador é o sexto, atrás apenas de Stephen Thompson, Jorge Masvidal, Leon Edwards, Gilbert Burns, Colby Covington, além do campeão Kamaru Usman. Planejando seu futuro, ele acredita que pode chegar em uma disputa de título com apenas ‘uma ou duas boas apresentações’ contra alguns dos top-5 da categoria.

“Fico aberto para (os lutadores) do top-5 e faz sentido pela minha sequência. Agora, está muito indecisa a categoria. (O Ultimate) fechou Kamaru Usman x Jorge Masvidal. Se o Nate Diaz quisesse lutar, seria uma maneira de me manter ativo enquanto tudo isso se resolve. Mas se não rolar, eu vou ter paciência e procurar alguém ali de cima. (…) Se eu pudesse desenhar da forma que eu gostaria, queria um combate contra Leon Edwards. Também gostaria de enfrentar o Colby Covington. Acho que o jogo dele é muito parecido com o do Kamaru Usman e é um grande teste para mim”, analisou Vicente Luque.

EVOLUÇÃO NO OCTÓGONO

Para um lutador alcançar o tão almejado topo da divisão, é necessário que ele consiga entender quais são seus pontos de evolução e trabalhe para que tenha êxito em qualquer destino na luta. Para Luque, o combate contra Woodley serviu justamente para atestar seu valor e mostrar que ele pode enfrentar qualquer competidor na divisão.

“Eu estou pronto para enfrentar o pessoal do topo da divisão. Eu me sinto preparado para isso. Tive a experiência com o (Stephen) Thompson, onde eu perdi, mas consegui crescer muito. Foi o teste para eu poder mostrar minha evolução técnica, física e mental. Hoje, me sinto em um nível bom para enfrentar os tops. E também (mandar uma mensagem) para uma galera que sempre me viu como um trocador, mas também mostrei nesta luta a minha evolução no wrestling também”, complementou o lutador.

DUELO CONTRA WOODLEY

Ainda que tenha vencido Tyron Woodley no primeiro round com um triângulo de mão, Vicente Luque sabia que precisava se preparar ao máximo para que não fosse surpreendido. O ex-campeão vinha de três derrotas seguidas e precisava do triunfo para ‘respirar’ na divisão. Assim, ele começou o combate já de forma agressiva, em busca do término rápido. Luque, porém, diz que se preparou justamente para esse início e soube trabalhar de forma que não precisasse cansar ou se desesperar.

“É a maior vitória da minha carreira, pois é um ex-campeão. Não é sempre que enfrentamos alguém que dominou por um bom tempo a categoria. (…) Eu já estava preparado para o início. Logo no início, eu tentei jogar uma cotovelada de encontro. Já estava preparado para ele vir muito agressivo. Mas mesmo assim dá uma surpreendida, porque quando ele clinchou, estava para sentir que ele estava gastando toda energia que tinha”, ressaltou.

No combate, o brasileiro ainda falou que conseguiu observar que o norte-americano havia sentido os golpes em pé. Por isso, ele também destacou a inteligência de identificar que Woodley teria certa dificuldade em defender suas ações, além de observar necessidade de buscar a finalização ao invés do nocaute.

“Eu esperava que ele tentaria me colocar para baixo e na trocação, mais conservador. Ele estava jogando os golpes com tudo e acabou abrindo brechas para um contra-ataque. Eu tento ver uma brecha. Então, se eu não vejo a finalização, eu acabo nem indo. Como ele já estava tonto e sentindo, provavelmente eu conseguiria um nocaute. Mas, quando o cara está tonto, é muito mais difícil defender a finalização. Sabia que ele estava sentindo os golpes e aproveitei. Tinha tempo de fechar o triângulo de mão”, finalizou.

Atualmente, Vicente Luque conta com um cartel de 20 triunfos, sete reveses e um empate na carreira. Em seu retrospecto, destacam-se as vitórias contra Belal Muhammad, Niko Price, Mike Perry, além do próprio Tyron Woodley.

Podcast SUPER LUTAS: Qual o futuro de McGregor após o UFC 264?

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments