VÍDEO: De olho no futuro, Henry Cejudo ataca Deiveson Figueiredo e José Aldo | SUPER LUTAS

VÍDEO: De olho no futuro, Henry Cejudo ataca Deiveson Figueiredo e José Aldo

Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, 'Triplo C' também fala sobre carinho dos brasileiros e revela o que falta para seu retorno ao octógono

Disposto a voltar da aposentadoria, que já dura cerca de um ano, Henry Cejudo segue analisando as possibilidades para sua reestreia. Em entrevista exclusiva ao canal do SUPER LUTAS no YouTube, o ‘Triplo C’ voltou a provocar o campeão dos moscas (até 56,7kg.), Deiveson Figueiredo e também não descartou enfrentar o ex-campeão dos penas (até 65,7kg.), José Aldo.

Veja Também

Com uma trajetória de sucesso, Cejudo faz questão de valorizar seus feitos nos esportes de combate e diz que conseguiria vencer Deiveson em todas as áreas. Apesar de destacar que uma luta contra Aldo também está mais distante, o norte-americano se vê vencendo ambos os duelos com facilidade.

“Vocês devem ficar ligados. Quando o rei quiser voltar, vocês vão saber. Vou desafiar Deiveson e seu irmão (Francisco Figueiredo). Um round luta Deiveson, outro round luta seu irmão. No quinto round, podem entrar os dois que eu finalizo também. José Aldo também (é uma luta que gostaria). Ele é uma versão do Deiveson mais chata e feia. Mas qualquer um que vier, eu vou assassinar”, disparou Henry Cejudo.

Em um exercício de imaginação, o ex-duplo-campeão do Ultimate afirma que seria capaz de nocautear os brasileiros no octógono.

“Eu iria nocauteá-lo e até deixá-lo bonito. Hoje, Deiveson Figueiredo é muito feio. Ele receberia tantos socos que ficaria até bonito. Esse cara, para mim, não é do Brasil. Ele é do Paraguai. José Aldo é uma lenda, mas é uma luta fácil para mim. Ele sofre muito para lutar nos galos e eu sou totalmente diferente. Tenho muito respeito por ele, mas sou até melhor do que Petr Yan – que o venceu. Sou mais novo, inteligente e tenho wrestling. Isso que me faz perigoso. É uma pressão diferente”, complementou o lutador.

CARINHO PELO BRASIL

Treinado por Eric Albarracin, que é responsável pela preparação de lutadores na ‘Pitbull Brothers’, de Patrício e Patricky, Henry Cejudo também demonstrou carinho aos brasileiros. Em português, o lutador ressaltou que seus fãs são mais empáticos com seu ‘personagem’ e sempre mandam mensagens de apoio.

“Eu acho que o brasileiro aceita mais a figura que eu sou. Na América, a galera pega mais no pé. No Brasil, já me recebem melhor. Ainda que eu fale do José ‘Careca’ Aldo e Deiveson ‘Cabeça de Limão’ Figueiredo, o público aceita um pouco mais. Eu brinco, mas quando entro no octógono, é outra história. Fiquei apaixonado na cultura do Brasil. A música, o jeito e carisma. Sinto que meu coração é mais latino do que qualquer outra coisa. Então, o Brasil é uma coisa diferente para mim. Tenho uma namorada brasileira e comecei a treinar meu português. É uma cultura muito abençoada e eu gosto muito de vocês”, revelou o ‘Triplo C’.

VOLTA DE CEJUDO

Aposentado desde maio da temporada passada, quando atropelou Dominick Cruz e defendeu o título dos galos (até 61,2kg.), Henry não esconde que deve voltar ao esporte. O lutador, no entanto, revela que se planeja em sua vida e pede recompensa financeira para que possa voltar.

“Sou um cara muito inteligente e planejo muito minha vida. Ninguém na história dos esportes de combate fez o que eu fiz. Sou o campeão olímpico mais novo da história e defendi dois cinturões contra três dos maiores nomes da história – Demetrious Johnson, TJ Dillashaw e Domininck Cruz. Já falei para o Dana White que quero o ‘verde’. As duas coisas que mais gosto na vida são ‘verdes’ e ouros”, finalizou.

ENTRE OS MELHORES DA HISTÓRIA

Depois de se tornar o medalhista de ouro olímpico mais novo da história (21 anos) no wrestling, Henry Cejudo também marcou história no Ultimate ao conseguir os cinturões peso mosca (até 56,7kg.) e galo (até 61,2kg.) da organização. Aos 34 anos, ele falou sobre seu ‘lugar na história’ e se colocou entre os melhores.

“Talvez eu seja o sexto maior da história. Coloco Demetrious Johnson, Jon Jones, Anderson Silva, Georges St-Pierre, Randy Couture e acho que depois eu. Mas estou bem com isso. Ainda assim, nos esportes em combate, eu sou número um. Ninguém fez o que eu fiz”, palpitou o norte-americano.

Hoje, com 34 anos, Henry Cejudo ostenta um cartel com 16 triunfos e dois reveses nas artes marciais mistas. Em sua carreira, o ‘Triplo C’ já venceu nomes como Demetrious Johnson, TJ Dillashaw, Marlon Moraes e Dominick Cruz.

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments