Azarão, Alex Cowboy promete 'quebrar a banca' e nocautear Randy Brown no UFC 261 | SUPER LUTAS

Azarão, Alex Cowboy promete ‘quebrar a banca’ e nocautear Randy Brown no UFC 261

Em conversa exclusiva com o SUPER LUTAS, brasileiro diz estar chateado com adversário e falou que pensa em desafiar Robbie Lawler em caso de vitória

A. Cowboy (foto) promete nocautear no UFC 261. Foto: Reprodução/Instagram

Um dos representantes brasileiros no UFC 261, que acontece neste sábado (24), em Jacksonville (EUA), Alex Cowboy deseja voltar a vencer para se aproximar do top 15 da divisão dos meio-médios (até 77kg.). Ele terá pela frente Randy Brown no card preliminar do evento. Com exclusividade ao SUPER LUTAS, o brasileiro afirmou se diz ‘chateado’ com seu oponente e quer ‘quebrar a banca’ no combate.

Veja Também

Em entrevista ao site ‘BJPenn.com’, Randy Brown, afirmou que está ‘pronto para a guerra’ e que vai nocauteá-lo. O brasileiro, no entanto, revela mágoa com seu adversário e promete dar a resposta no duelo. Ele também falou sobre ser azarão nas casas de apostas.

“O cara falou que vai me nocautear (risos). A gente só fala quando ‘deita o boi’. Por enquanto, o ‘boi está em pé’. Então, estou pronto. Enquanto ele falar e o ‘boi estiver em pé’, não vai acontecer nada. Mas fiquem ligados, porque agora estou chateado com ele e vou ‘plantar’ a mão na cara dele. Eu fiquei sabendo que estou como azarão, mas com certeza é um motivo a mais para quebrar a banca. Quem apostou contra, vai perder seu dinheiro. E quem apostou em mim, vai ganhar. Eu vou nocauteá-lo”, prometeu Cowboy.

ALÍVIO POR LUTAR

Em fevereiro, o combate entre Alex Cowboy e Randy Brown estava marcado para acontecer. Porém, na semana da luta, o norte-americano precisou sair do combate após testar positivo para COVID-19. Em seguida, o Ultimate definiu o estreante Ramazan Kuramagomedov como oponente do brasileiro, mas o russo ficou doente e também não lutou no evento. Agora, o duelo inicial deve sair do papel para alívio do representante tupiniquim, que desabafou sobre as frustrações dos cancelamentos.

“Eu fiquei meio chateado por causa (do cancelamento) da luta. A gente tem uma preparação, treinamos muito e fazemos a dieta toda. Eu treino pesado e o adversário pegou COVID. Tira nossa base. A gente fez os treinamentos e últimos ajustes, mas não rolou. A luta tinha de tudo para não acontecer, mas agora vai rolar e estou pronto para a guerra”, destacou o brasileiro.

PRESENÇA DE FÃS

Além de ter a oportunidade de se recuperar da derrota sofrida para Shavkat Rakhmonov em outubro de 2020, o combatente de Três Rios, no Rio de Janeiro, também falou sobre o retorno do público às arenas. Segundo ele, é um outro incentivo para o show, independentemente se a torcida estiver torcendo a favor ou contra.

“Eu lutei no evento em (Las) Vegas no último evento com torcedores (contra Max Griffin, em março de 2020). E, agora, com certeza dá um gás a mais. Graças a Deus vai estar todo mundo de volta, torcendo e gritando. Mesmo sendo a favor ou contra. Quem não gosta da galera lá?”, ressaltou o lutador.

LUTA CONTRA ROBBIE LAWLER?

Cowboy revelou que pensa no futuro e já planeja no próximo passo, caso vença Randy Brown no UFC 261. O brasileiro indicou que planeja enfrentar o ex-campeão da divisão, Robbie Lawler, na sequência. Ainda assim, ele afirmou que quer confrontos contra lutadores do ‘top 15’ dos meio-médios.

“Eu sempre falei que não escolho adversário e quem o UFC quiser me botar, eu luto. Só que eu estou disposto a lutar no top 15 e quero pegar o Robbie Lawler, que é o primeiro ranqueado. É o certo começar de cima e ir crescendo para, se Deus quiser, chegar em uma disputa de cinturão no futuro”, disse o meio-médio.

CARINHO DOS FÃS BRASILEIROS

Dono de um estilo agressivo, Cowboy atraiu os fãs brasileiros desde que estreou pelo Ultimate, ainda em 2015. Em sua 20ª luta na organização, ele agradeceu o carinho e disse que trará a vitória ao Brasil.

“Muito obrigado pela galera que torce por mim, me apoiando e mandando mensagem. Eles são tão fãs que descobrem até o número do telefone (risos). E sábado o ‘bicho vai pegar’, podem contar comigo. Eu vou para cima do problema e resolvê-lo. Vou levar essa vitória para o Brasil, sem dúvidas”, finalizou.

Alex Cowboy também está em busca de sua reabilitação no Ultimate. Com um cartel de 22 vitórias e nove derrotas, o meio-médio planeja voltar ao top-15 da divisão. Em seu último combate, ele foi finalizado pelo uzbeque Shavkat Rakhomonov no UFC 254 em outubro de 2020.

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments