Com duelo brasileiro no sábado, Sorriso busca nocaute e critica lutadoras inativas que ‘seguram posições’

Promessa dos palhas, combatente fala com exclusividade ao SUPER LUTAS sobre desafio no UFC Las Vegas 40 e futuro na empresa

A. Sorriso é promessa brasileira no peso palha do UFC. Foto: Reprodução/Instagram

Promessa brasileira nos palhas (até 52,1kg.), Ariane Sorriso terá um duro compromisso neste fim de semana. Adversária de Istela Nunes no confronto tupiniquim do UFC Las Vegas 40, deste sábado (16), a combatente prevê pedreira. Antes do duelo, a paulista falou com exclusividade ao SUPER LUTAS, analisando o embate, e aproveitou para ‘cutucar’ algumas companheiras de divisão.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Neste fim de semana, Sorriso fará sua segunda luta em 2021. Em abril, a combatente deu um verdadeiro show no octógono ao nocautear Na Liang, conseguindo o primeiro resultado positivo na companhia.

Enfrentar compatriotas

No UFC Las Vegas 40, Ariane não viverá uma experiência inédita em sua carreira. Acostumada a enfrentar compatriotas ao longo de sua trajetória no MMA, a brasileira falou como se sente ao ter que executar as funções.

PUBLICIDADE:

“Se puder evitar, é melhor. A gente prefere enfrentar atletas de outros países, mas é trabalho. Estamos aqui para trabalhar. Então, fazemos o máximo para a vitória, independente da adversária”, contou.

Experiência conta? Ariane responde

Em sua terceira luta pelo Ultimate, Sorriso terá pela frente uma adversária com menos da metade de seu número de compromissos no MMA. A paulista, então, fala sobre a experiência sobressair em um embate profissional.

PUBLICIDADE:

“Com certeza, a experiência conta muito. Acho que sou uma pessoa mais completa no MMA, então, vamos buscar a vitória de qualquer jeito”, disse.

PUBLICIDADE:

Análise da adversária

Mesmo mais experiente, Ariane sabe que qualquer descuido pode ser fatal diante de Istela. Sorriso, assim, mostrou ter conhecimento sobre a rival no UFC Vegas.

“Ela é uma atleta que veio da trocação, muito boa, mas, na trocação, eu também sou boa. Então, vai ser guerra. Nós vamos dar um show, tenho certeza”, garantiu.

Momento crítica

Disposta a seguir a trajetória rumo ao topo da divisão liderada por Rose Namajunas, Ariane Sorriso aproveitou o momento para criticar algumas companheiras de peso palha. Segundo a lutadora, o grupo acaba prejudicado pela inatividade de combatentes que seguem no ranking, mesmo sem atuar há algum tempo.

“A categoria está muito movimentada. Têm atletas, por exemplo a Felice Herrig, que fez uma cirurgia – eu venho de três – e ela está a parada até hoje. Precisa colocar essas atletas para lutar. Quero enfrentá-la logo em seguida, se o UFC me der a oportunidade. A (Cláudia) Gadelha também está no ranking e quer escolher luta. Faz muito tempo que não luta. Também tem a Joanna (Jedrzejczyk). É uma categoria que tem muita menina querendo chegar no topo, e muita menina enrolando, escolhendo luta”, explicou.

Desfecho ideal

Conhecida pela força física, Ariane tem em mente como pretende vencer no fim de semana. A lutadora quer usar de sua principal característica para desbancar a compatriota no fim de semana.

“Como tenho muito nocaute, quero mais um (risos). Quero chegar ao 10º nocaute na minha carreira”, encerrou.

Histórico das atletas

Aos 28 anos, Ariane Sorriso se encaminha para sua 16ª luta como profissional no MMA. A paulista, hoje, soma 13 vitórias e duas derrotas na carreira.

Em sua luta de estreia no UFC, Istela Nunes, 29, fará o oitavo embate na modalidade. A paranaense tem seis triunfos, um revés e um ‘no contest’.

Podcast #40: José Aldo ainda pode ser campeão no UFC?