Covington afirma que UFC ameaçou tirar o cinturão de Kamaru Usman caso campeão não aceitasse revanche

De acordo com o desafiante, esse foi o único motivo pelo qual o nigeriano aceitou enfrentá-lo novamente

K. Usman (esq.) e C. Covington (dir.) protagonizaram uma das melhores lutas de 2019. Foto: Reprodução/YouTube TheMacLife

A rivalidade entre Colby Covington e Kamaru Usman continua esquentando. Restando pouco mais de duas semanas para medirem forças em uma das revanches mais aguardadas dos últimos tempos, na luta principal do UFC 268, no dia 6 de novembro, os rivais continuam se provocando.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Em entrevista à ESPN norte-americana, Colby Covington afirmou que Kamaru Usman fez de tudo para não enfrentá-lo novamente. De acordo com o desafiante, o UFC precisou ameaçar tirar o cinturão do nigeriano para que a revanche fosse marcada.

“Foi difícil. Não era pra acontecer. Eles não queriam que acontecesse. Ele e o empresário estavam recusando e procurando qualquer maneira de evitar essa revanche. Eles não queriam a luta e só aceitaram porque o UFC não os deu escolha. Eles falaram: ‘ou você luta com ele, ou nós tiramos seu cinturão, um ou outro’. Você tem que provar que é o melhor do mundo, não pode haver controvérsia em torno dessa luta, então foi díficil”, revelou Covington.

PUBLICIDADE:

Kamaru Usman e Colby Covington se enfrentaram pela primeira vez em dezembro de 2019, na luta principal do UFC 245. Na ocasião, o nigeriano defendeu o cinturão dos meio-médios pela primeira vez com um nocaute no quinto assalto de uma luta que estava empatada nas papeletas dos juízes.

De lá para cá, Covington entrou em ação apenas uma vez, quando derrotou Tyron Woodley por nocaute técnico em setembro de 2020. Usman, por sua vez, defendeu o título em mais três oportunidades, contra Gilbert Durinho e Jorge Masvidal (duas vezes).

PUBLICIDADE:

“Eu precisei acabar com o ex-campeão Tyron Woodley. Ele recebeu dois pagamentos fáceis contra pesos leves que nunca deveriam estar ali. Na última luta ele bateu um tal de ‘Judas das ruas’, Masvidal. Eu bati nesse cara décadas atrás. Isso não é uma conquista. Você está orgulhoso de bater nele? O cara é um peso leve, nem deveria estar aqui no topo da montanha”, argumentou o norte-americano.

PUBLICIDADE:

Por fim, Covington afirmou que não enxergou nenhuma evolução no jogo do campeão nas três defesas bem sucedidas do título dos meio-médios.

“Eu não vi nada. Vejo o mesmo lutador que vem com um jab pesado e tem uma grande mão direita. Essa foi a história da carreira dele. Então sim, ele está nocauteando pesos leves, caras que não deveriam estar ali com ele. É dinheiro fácil”, finalizou.

Podcast #39: Prévia de Aldo, Charles e Amanda + 14 anos de SUPER LUTAS