Após bater na trave e quase desistir do MMA, Puro Osso estreia no UFC 267 ‘mais maduro e mais completo’

Em entrevista ao SUPER LUTAS, Allan Nascimento falou sobre o período de três anos sem lutar e a emoção de estrear no Ultimate

A. Puro Osso estreia no UFC neste sábado (30) (Foto: Instagram/allanpuroosso)

O UFC 267, neste sábado (30), marca a estreia de Allan “Puro Osso” Nascimento no octógono mais famoso do mundo.  O brasileiro, que enfrenta Tagir Ulanbekov logo na abertura do card preliminar, chega ao Ultimate pouco mais de três anos após bater na trave durante participação no Dana White Contender Series Brasil.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, Puro Osso falou sobre a frustração de não ter conseguido o contrato com o UFC em 2018, quando acabou derrotado na decisão dividida dos juízes após grande luta contra Raulian Paiva. O paulista, no entanto, acredita que as coisas aconteceram no tempo certo.

“Frustrante foi pela derrota, óbvio, mas foi eleita a melhor luta da temporada na época, fiquei muito feliz pela apresentação e pelo papo que tive logo em seguida com o Dana White. É lógico que eu queria o contrato com o UFC. Já estaria lá há três anos, mas, como a gente fala, tudo acontece no momento certo e não no nosso momento. Agora chegou minha hora de poder cultivar isso, curtir esse momento fazendo parte do UFC”, disse Puro Osso.

PUBLICIDADE:

Três anos sem lutar quase levaram Puro Osso a desistir do MMA

Após bater na trave por uma chance de contrato com o UFC na luta contra Raulian Paiva, Puro Osso ficou três anos afastado da luta. Cancelamentos, lesões e a pandemia do coronavírus afastaram o atleta das competições e quase o fizeram desistir da carreira de lutador.

“Realmente foi um período muito difícil. Tive muitas lutas canceladas nesses últimos três anos, inclusive uma luta cancelada no dia, em Miami. Fiz a pesagem na sexta-feira e no sábado o promotor ligou cancelando. Outros eventos também caíram, tive uma cirurgia que me deixou afastado por um bom tempo e depois veio a pandemia. Realmente tumultuou minha cabeça e pensei em desistir. Nesse tempo comecei a dar muita aula. Lutador não tem salário garantido. Comecei a dar aula para caramba, estava bom para mim, mas eu tinha um objetivo maior na minha carreira e na minha vida. Quem me ajudou muito foi o Diego Lima, meu treinador, que me falou para continuar focado, continuar tentando, que uma hora iria dar certo. Essa hora chegou agora”, afirmou Allan.

PUBLICIDADE:

Allan Puro Osso voltou a pisar em um cage em julho deste ano, mas não ficou muito tempo nele. O atleta da Chute Boxe Diego Lima finalizou seu oponente em pouco mais de três minutos ainda no primeiro round.

PUBLICIDADE:

“Não deu nem para esquentar o corpo (risos). Mas é isso, na luta você não pode testar. Na oportunidade que você tem, tem que acabar com ela, encerrar. Teoricamente é o que eu quero fazer no sábado. Na hora que tiver uma oportunidade, definir a luta. Mas foi muito bom voltar a lutar, peguei a luta em cima da hora, com uma semana de antecedência e em uma categoria diferente. Fiquei muito feliz. Foi a luta que me abriu as portas para o UFC. Dois dias depois, me ligaram meu manager, Jorge Patino Macaco e meu treinador, Diego Lima, em uma ligação de vídeo. Quando atendi, já estavam os dois emocionados, o Diego quase chorando e me deram a notícia de que já estava com o contrato na mão, assinado e com data de luta marcada. Foi muito emocionante para mim. Um momento único, para ficar na minha memória”, recordou Allan.

Mais maduro, mais completo e em busca de uma vitória na estreia

Três anos após perder a luta para Raulian Paiva e, consequentemente, a chance de entrar no UFC em 2018, Allan Nascimento garante que é hoje um atleta mais maduro, mais completo e que busca capitalizar as oportunidades de definir as lutas.

” O Allan de hoje é um Allan bem mais maduro, um pouco mais completo, com um jogo de luta buscando definição. Às vezes eu acabava deixando passar algumas oportunidades e a ideia agora é não deixar mais. Às vezes um nocaute ou uma finalização passam, você não abraça e acaba perdendo a luta. Não deixar para os juízes, pois eles vão fazer você chorar. O Allan que vem hoje é mais completo, mais maduro, com a cabeça boa e preparado para qualquer tipo de guerra”, finalizou Puro Osso.

Podcast #40: José Aldo ainda pode ser campeão no UFC?