SUPER LUTAS 14 anos: Relembre 14 nocautes que marcaram, de 2007 aos dias atuais

Equipe destaca interrupções brutais, não só no MMA, mas também no boxe ao longo dos anos

Buckley (dir.) consegue o ‘maior nocaute da história do UFC. Foto: Reprodução / Twitter @ufc

Em comemoração aos 14 anos do SUPER LUTAS, seguimos presenteando os maiores responsáveis pelo sucesso do site: você, leitor. Seguindo a programação de conteúdos iniciais, chegou o momento de relembrar 14 nocautes que marcaram época, não só no MMA, mas também no boxe.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Aqui, você voltará no tempo e lembrará atropelos dentro do octógono e, também, poderá rever alguns nocautes da história recente nos esportes de combate.

Estão preparados? Então, sigam a lista, produzida em ordem cronológica.

PUBLICIDADE:

1) Chute histórico de ‘Spider’

A. Silva derrotou V. Belfort em 2011. Foto: Reprodução/YouTube UFC

O cenário era de rivalidade total e o confronto foi vendido com ‘A Luta do Século’. De um lado, Anderson Silva, lenda viva e campeão dos médios do UFC. Do outro, o ‘Fenômeno’, Vitor Belfort, temido por sua explosão e capacidade de apagar os rivais.

PUBLICIDADE:

Com dois brasileiros dividindo o octógono, a expectativa era de uma dura parelha, mas a genialidade de ‘Spider’ falou mais alto. O paulista precisou de pouco mais de 3 minutos para conectar um chute de rara perfeição no queixo do rival, que desabou. A imagem da cena passou a estampar os materiais esportivos com o nome de Anderson.

PUBLICIDADE:

2) Lyoto apaga lenda à la ‘Karatê Kid’

L. Machida aplica chute brutal em R. Couture. Foto: Reprodução/YouTube UFC_Brasil

Que Lyoto Machida possui técnicas apuradas e um karatê de alto nível, isso poucos questionam. O atleta, no entanto, fez história no Ultimate ao protagonizar um atropelo brutal diante de uma lenda da modalidade. Em 2010, quando foi escalado para encarar Randy Couture, o brasileiro fez seu trabalho e não tomou conhecimento do norte-americano.

Meses depois de Anderson passar por Belfort, Machida encontrou uma maneira de fazer parecido com o compatriota.  Contra Couture, no melhor estilo Daniel-San, personagem de franquia de sucesso nos cinemas, o ‘Dragão’ levou o público ao delírio ao apagar o veterano ainda no segundo round. Com o resultado, Machida conquistou o direito de desafiar Jon Jones pelo cinturão dos meio-pesados (até 93kg.), além de receber o prêmio de ‘Nocaute do Ano’.

3) Cigano massacra Velasquez

Cigano foi campeão do UFC entre 2011 e 2012. Foto: Reprodução / Twitter

O ano de 2011 definitivamente foi de grande importância para o Brasil dentro do UFC. Depois de shows de Anderson Silva e Lyoto Machida no primeiro semestre daquela temporada, Júnior Cigano fechou a lista com chave de ouro.

Depois de colecionar sete vítimas com nocautes contundentes no peso pesado (até 120,2kg.), o catarinense chegou à sua luta pelo cinturão do grupo. Pela frente, o perigoso Cain Velasquez. O brasileiro, no entanto, voltou a se destacar com seu boxe de alto nível e, com pouco mais de um minuto, desbancou o então campeão, levando para casa o cinturão da categoria.

4) Barboza escreve seu nome no UFC

E. Barboza (foto) é conhecido por sua agressividade no MMA. Foto: Reprodução/Instagram

Conhecido por sua agressividade dentro do octógono, a fama de Edson Barboza foi ampliada por uma luta específica, realizada em 2012. Depois de quase 10 anos, o confronto do friburguense contra Terry Etim ainda é lembrado por diversos fãs do esporte.

O embate aconteceu no UFC 142, em janeiro daquela temporada. Depois de dois rounds bem disputados, foi na terceira etapa que Barboza chocaria. Com um chute rodado impecável, o brasileiro ‘desmontou’ o oponente de forma plástica. Após receber o ataque, Etim simplesmente ‘desligou’ e caiu em câmera lenta, permanecendo estático por alguns momentos.

5) Weidman faz Brasil chorar

C. Weidman choca o mundo ao nocautear A. Silva. Foto: Reprodução/Instagram

Um dos nocautes mais tristes para os fãs brasileiros de MMA é, também, um dos mais emblemáticos para o esporte em geral. Em 2013, Anderson Silva reinava como o principal nome do UFC.

Técnico, ágil e contundente, ‘Spider’ foi escalado para encarar o, até então, pouco conhecido, Chris Weidman. Na luta mais aguardada daquela temporada, o brasileiro parecia ter controle da situação, no entanto, bastou uma distração para que o norte-americano encontrasse o queixo da lenda e, com um cruzado, fizesse um dos melhores da história apagar. Com o resultado, Weidman encerrava uma das trajetórias mais vitoriosas no esporte.

6) Holm: a mulher que mudou a história

H; Holm (foto) em ação pelo UFC. Foto: Reprodução/Facebook @ufc

Embora não tenha sido uma campeã dominante dentro do UFC, Holly Holm está inserida na história do MMA como a mulher que mudou a direção do peso galo (até 61,2kg.). Ex-campeã mundial de boxe, a ‘Filha do Pastor’ traçava uma trajetória impecável nas artes marciais mistas e tentava repetir o sucesso obtido na ‘nobre arte’.

Depois de nove lutas de invencibilidade, duas no UFC, chegava a hora de dividir o octógono contra uma lenda: a invicta Ronda Rousey. Diante da campeã, em 2015, conhecida por finalizar todas as oponentes, Holm precisava encontrar uma maneira de anular a principal arma da adversária, e conseguiu. Com um boxe de altíssimo nível, Holly chocou o mundo ao atropelar a oponente. Para chegar ao cinturão, a antiga pugilista conquistou um nocaute devastador no segundo round.

7) Amanda atropela Cyborg

Cyborg (Esq.) foi batida por Amanda (dir.) no UFC 232. Foto: Reprodução / YouTube @ufc

Campeã dos galos (até 61,2kg.) do UFC desde 2016, Amanda Nunes chegou ao topo do MMA e passou a consolidar, a cada apresentação, seu nome como uma das melhores atletas na história da modalidade. Em 2018, a baiana teve aquele que pode ter marcado sua consagração absoluta.

Escalada como uma das estrelas do UFC 232, a brasileira precisava comprovar mais uma vez sua evolução na modalidade e tentava o feito inédito de se tornar a primeira mulher a conquistar dois cinturões em categorias distintas. Contra a temida Cyborg, a ‘Leoa’ atropelou. Sem dar chances à lenda, a baiana conquistou um nocaute brutal logo no primeiro round e faturou seu segundo título. A atleta, ainda hoje, segue no topo das duas divisões.

8) Masvidal e o nocaute relâmpago

J. Masvidal (foto) em vitória pelo UFC Foto: Reprodução/Facebook UFC

O que se pode fazer em cinco segundos? Muitos podem encontrar coisas simples, mas Jorge Masvidal foi além.

Famoso por suas lutas em quintais nos Estados Unidos, o atleta chegou ao estrelato no UFC com um nocaute histórico que bateu o recorde de desfecho mais rápido. O adversário era Ben Askren, wrestler condecorado e ex-campeão do Bellator e ONE Championship. Luta de destaque em 2019, o confronto era aguardado pela provocação entre os combatentes. No duelo em si, não houve tempo para conversa. Assim que o gongo soou, ‘Jesus das Ruas’ encaixou uma joelhada voadora limpa no rosto do rival, que imediatamente caiu apagado.

9) Adesanya cala Borrachinha

I. Adsanya derrotou P. Borrachinha no UFC 253. Foto: Reprodução/Instagram

No confronto que encerraria uma das maiores rivalidades na história recente do UFC, Israel Adesanya voltou a provar porque tem sido um nome respeitado na organização. Diante do perigoso Paulo Borrachinha, o nigeriano teve um embate de ‘Davi e Golias’ e, para manter o título, precisava desbancar o ‘gigante’ brasileiro.

Após meses de provocações, chegava o momento do acerto de contas. Tudo aconteceu no UFC 253, com palco montado na ‘Ilha da Luta’. Famoso por seu estilo agressivo, Paulo acabou sucumbindo ao talento do nigeriano. Afiado, Israel não deu chances ao mineiro no confronto e, no segundo round, impôs, de forma imponente, a primeira derrota na carreira do tupiniquim.

10) Buckley choca o mundo

Buckley (dir.) consegue o ‘maior nocaute da história do UFC. Foto: Reprodução / Twitter @ufc

Outubro de 2020 ficou marcado como o mês em que os fãs de MMA acompanharam um dos mais belos nocautes na história da modalidade. O protagonista da ação não chega a ser uma estrela, ostentar cinturão ou ser um milionário do esporte.

O evento era o ‘modesto’ UFC Ilha da Luta 5 e o herói improvável foi Joaquin Buckley. Diante do promissor Impa Kasanganay, o atleta chamou o protagonismo do espetáculo e conectou um chute rodado de raríssima felicidade, fazendo com que o oponente desabasse em câmera lenta. O atropelou rendeu bônus ao lutador, além do troféu de ‘Nocaute do Ano’.

11) Youtuber massacra ex-UFC

J. Paul (esq.) nocauteou B. Askren (dir.) em menos de dois minutos. Foto: Reprodução/Twitter @triller

Atropelado por Jorge Masvidal no UFC 239, Ben Askren acabou se aposentando no MMA, mas decidiu se testar no boxe contra o fenômeno da internet, Jake Paul. Com dois cinturões de grandes organizações dos esportes de combate no currículo, o veterano achou que poderia passar com facilidade pelo influenciador digital em superluta de boxe.

Famoso pelo wrestling, Askren nunca se destacou pela força nos punhos. Um confronto nas regras da ‘nobre arte’, então, poderia se tornar um problema; e se tornou. Contra o youtuber, que investiu em treinadores de alto nível para seus desafios, Ben acabou massacrado e durou pouco tempo nas mãos de Jake. Sem chances, o veterano foi apagado com um nocaute fulminante ainda no primeiro round.

12) Com ferro foi ferido

K. Usman brutalizou J. Masvidal no UFC 261. Foto: Reprodução/Instagram

Protagonista do nocaute mais rápido na história do Ultimate, Jorge Masvidal sentiu na pele como é ser duramente apagado no octógono. Famoso por sua trocação de alto nível, o norte-americano teve a oportunidade de conquistar o cinturão dos meio-médios pela segunda vez consecutiva, mas acabou esbarrando em um Kamaru Usman impiedoso e contundente.

Contra o nigeriano, que segue colecionando vítimas na divisão, Jorge não teve chances. Vítima da evolução do campeão do grupo, Masvidal sequer chegou a perceber a potente mão do adversário tocar seu rosto e o apagar logo no segundo round. As imagens do nocaute sofrido pelo ‘Jesus das Ruas’ circularam o mundo.

 13) Belfort atropela lenda no boxe

V. Belfort atropelou E. Holyfield em duelo no boxe. Foto: Reprodução/Twitter @trillerfight

Com uma carreira de sucesso dentro do MMA, Vitor Belfort foi outro que decidiu se testar no universo do boxe. Inicialmente, seu teste em 2021 seria contra Oscar De La Hoya, no entanto, depois que o multicampeão foi diagnosticado com Covid-19, Evander Holyfield topou assumir o embate.

O que se viu no confronto foi uma disparidade técnica incômoda. Mesmo sendo uma lenda do boxe, o norte-americano, perto de seus 60 anos, pouco produziu diante de um ‘faminto’ Belfort. O confronto sequer chegou a três minutos e foi interrompido depois que o brasileiro levou o oponente ao chão por duas vezes de forma dura.

14) Anderson segue intocável

A. Silva em vitória no boxe. Foto: Reprodução/Instagram

Depois de deixar o Ultimate e realizar o sonho de se apresentar na ‘nobre arte’, Anderson Silva tem dado alegria aos seus fãs com apresentações convincentes no boxe. Depois de surpreender e vencer Julio Cesar Chaves Jr., em março, Silva topou o desafio de encarar Tito Ortiz, lenda do Ultimate.

Em embate realizado no mesmo card de ‘Belfort x Holyfield’, ‘Spider’ brilhou como no passado. Após dar show de esquivas, o antigo campeão do UFC precisou de poucos golpes para liquidar a fatura contra Ortiz, que desabou após um cruzado certeiro aplicado por Anderson.

Podcast #46: Aquecimento para o UFC 270 com duas disputas de cinturão + Amanda Nunes fora da ATT e Jake Paul rico