AO VIVO

Assista à coletiva pós-UFC 276 com Adesanya, Poatan e mais

Miesha Tate explica mudança para o peso mosca e mira duelo com Valentina Shevchenko no futuro

A ex-campeã peso galo estreia na nova divisão em maio, quando enfrenta Lauren Murphy

M. Tate após vitória sobre M. Reneau no UFC Las Vegas 31. Foto: Reprodução/Instagram

Uma das pioneiras do MMA feminino e ex-campeã peso galo (até 61,2 kg) do UFC, Miesha Tate está pronta para, aos 35 anos, recomeçar sua trajetória em uma nova divisão de peso. No dia 14 de maio, Tate enfrenta a também veterana Lauren Murphy em sua estreia no peso mosca (até 56,7 kg).

PUBLICIDADE:

Veja Também

Durante participação no “MMA Hour”, podcast do site norte-americano “MMA Fighting”, Miesha Tate explicou os motivos que a levaram a descer de categoria.

“Eu assumi o compromisso de descer para os 56,7 kg. Quando eu cheguei ao Strikeforce, só existiam os pesos galo (até 61,2 kg) e pena (até 65,7 kg). Quando eu fui para o UFC, só existia o galo. No momento que criaram o peso mosca, eu já estava muito envolvida nos 61,2 kg, tentando conquistar o título e no meio da rivalidade com Ronda Rousey. Depois eu consegui o título contra Holly Holm, mas conforme o esporte foi evoluindo, eu raramente tive vantagem de alcance e de altura”, explicou.

PUBLICIDADE:

Outro fator determinante para a decisão de Miesha Tate foi a conquista de sua amiga Julianna Peña, que se tornou campeã peso galo ao finalizar Amanda Nunes no UFC 269.

“Outro motivo é que, apesar de estar um pouco distante de uma potencial luta por cinturão, com o fato de Julianna Peña ter sido coroada campeã no peso galo, eu preferiria que nós duas fôssemos campeãs ao mesmo tempo”, justificou Tate.

PUBLICIDADE:

Miesha Tate chega ao peso mosca como oitava colocada no ranking do peso galo e vinda de derrota para a brasileira Ketlen Vieira, em novembro de 2021. Apesar disso, o foco da veterana está na campeã Valentina Shevchenko.

PUBLICIDADE:

“Já estou de olho na Valentina. Não importa com quem eu lute no peso mosca, o objetivo a longo prazo é enfrentá-la. Sempre vou ter objetivos a longo prazo e não me culpo por isso”, finalizou.

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276