Treinador de Chimaev mostra confiança em tática ousada para vencer Durinho no UFC 273

Em entrevista exclusiva do SUPER LUTAS, Alan Finfou diz que sueco pode finalizar brasileiro e fazer história no próximo sábado (9)

Escalado para enfrentar Gilbert Durinho no próximo sábado (9), no card principal do UFC 273, Khamzat Chimaev chega para o combate de olho em eventual chance pelo título dos meio-médios (até 77kg.). E, para isso, conta com o apoio do treinador de jiu-jitsu e brasileiro Alan Finfou, que acompanha o sueco em sua trajetória na organização.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Em entrevista ao SUPER LUTAS, Finfou abriu o jogo e analisou o duelo para seu pupilo. Ele, ainda, definiu uma tática ousada e mostrou confiança em ‘tática ousada’ de Chimaev finalizar Durinho, feito que seria inédito, já que o brasileiro nunca bateu em desistência no MMA.

“O Durinho é muito bom de chão e já provou isso, dentro e fora do UFC. Ele provou o valor dele. É um campeão de jiu-jitsu peso leve, com e sem quimono. (…) eu trabalho em prol da vitória, seja ela como for, desde que seja justa. Seja nocaute ou por pontos, só o que importa é a vitória. Mas uma finalização, para mim, como treinador de chão, seria muito mais gratificante. Eu sou o treinador dele de jiu-jitsu desde o primeiro dia”, antes de concluir.

PUBLICIDADE:

“O Durinho nunca foi finalizado, mas não quer dizer que não aconteça. Com todo respeito ao Durinho – que eu tenho amizade com ele e a gente já chegou a competir -, e acredito que seja um atleta muito duro, mas não existem seres-humanos invencíveis. E o jiu-jitsu ensina que, toda vez que vamos lutar, estamos dispostos a tudo. Por mais que possa ser difícil, não é impossível e a gente sabe. Estamos trabalhando muito para buscar uma finalização, caso a luta vá para o chão”, ressaltou.

Passado com Durinho

Apesar de afiar o jogo de Chimaev para medir forças contra Durinho no solo, Alan Finfou revela certa amizade com o compatriota. O treinador, que já conviveu com Gilbert em competições de jiu-jitsu, destaca momento nobre do ex-desafiante ao título dos meio-médios (até 77kg.), em encontro no passado.

PUBLICIDADE:

“Na primeira vez que cheguei aos Estados Unidos, ainda em 2008, para disputar o campeonato mundial, eu ainda não tinha dinheiro para comprar um presente para meu filho mais velho. E o Durinho estava em uma loja junto comigo e falou para eu pegar um presente pro meu filho”, contou o brasileiro.

PUBLICIDADE:

Cuidado especial…

Promessa dos meio-médios (até 77kg.), Khamzat é, frequentemente, desafiado por outros atletas na organização, até mesmo de outras divisões. Um confronto, no entanto, não é tão simples de ser marcado pelo ‘poder de barganha’ de Chimaev no Ultimate. Inclusive, Finfou diz que sueco vai enfrentar apenas lutadores que representem um poder de venda em pacotes de pay-per-views em cards vistosos na franquia.

“O UFC também quer colocá-lo com um oponente que, realmente, possa vender. Hoje, ele (Chimaev) tem um poder de venda muito grande, então acho que o UFC quer sempre promover lutas que o pessoal se sinta entusiasmado com aquele evento. É uma empresa e tudo é gerado pelo dinheiro. Eles não querem jogar para perder e colocar o Chimaev contra alguém que não seja interessante para o público”, finalizou.

Vai pegar fogo!

O duelo entre Gilbert Durinho e Khamzat Chimaev fará parte do card principal do UFC 273, marcado para o dia 9 de abril e será realizado na VyStar Veterans Memorial Arena, em Jacksonville, Flórida (EUA).

Nas lutas principais, a organização promove a disputa do cinturão dos penas (até 65,7kg) entre Alexander Volkanovski e Zumbi Coreano e a aguardada revanche pelo título dos galos (até 61,2kg) entre Aljamain Sterling e Petr Yan.

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276