Com brasileiros em destaque, relembre as melhores lutas do primeiro semestre de 2022

Para coroar o encerramento da primeira metade da temporada, o SUPER LUTAS lembra o leitor os confrontos que mais empolgaram os fãs de MMA nesse início de ano

K. Chimaev (esq.) e G. Durinho (dir.) protagonizaram ‘guerra’ no UFC 273. Foto: Reprodução/Instagram

O primeiro semestre de 2022 chegou ao fim e até aqui, a temporada tem entregado grandes e inesquecíveis combates aos fãs de MMA de todo o mundo. Para relembrar o que de melhor aconteceu no esporte na primeira metade do ano, a equipe do SUPER LUTAS se reuniu para eleger as cinco melhores lutas desse período. Confira a lista:

PUBLICIDADE:

Veja Também

1 – Gilbert Durinho x Khamzat Chimaev – UFC 273

Apesar de contar com duas disputas de cinturão, a luta mais aguardada do estrelado card do UFC 273 era o confronto entre o astro em ascensão Khamzat Chimaev e o ex-desafiante dos meio-médios (até 77,1kg), Gilbert Durinho. O sueco vinha assombrando a divisão ao vencer seus quatro duelos anteriores sem praticamente ser tocado e encontrava dificuldades para encontrar algum adversário disposto a enfrentá-lo.

Dentro do octógono, Chimaev pela primeira vez encontrou um oponente de alto calibre e não teve a facilidade dos duelos anteriores. Durinho mostrou ao sueco porque é considerado um dos melhores atletas de toda a divisão e entregou 15 minutos de uma verdadeira ‘guerra’ ao seu rival. No fim, vitória de Khamzat na decisão unânime dos juízes e vitória dos fãs de MMA que acompanharem esse eletrizante duelo.

PUBLICIDADE:

2 – Charles do Bronx x Justin Gaethje – UFC 274

C. do Bronx finalizou J. Gaethje no UFC 274 (Foto: Instagram/UFC)

O duelo contra Justin Gaethje foi agendado para ser a segunda defesa de cinturão do brasileiro Charles do Bronx, porém, o então campeão dos leves (até 70,3kg) não contava com uma desagradável surpresa. Devido a um problema com a balança oficial da organização, o atleta tupiniquim ficou 220g acima do limite de peso da divisão e teve o seu cinturão retirado antes mesmo do combate contra o norte-americano.

No octógono, Charles ignorou toda a situação mas passou por maus bocados no início do round. Gaethje aplicou dois knockdowns no atleta paulista e deixou a torcida brasileira apreensiva. Restando pouco mais de dois minutos para o fim da primeira parcial, Do Bronx conectou um cruzado que derrubou Justin. O atleta tupiniquim pegou as costas do seu rival e encaixou um mata-leão. Ao norte-americano, restou apenas bater em desistência. Para Charles, restou o título de ‘campeão sem cinturão’.

PUBLICIDADE:

3 – Glover Teixeira x Jiri Prochazka – UFC 275

G. Teixeira (esq.) foi superado por J. Prochazka (dir.) no UFC 275. Foto: Reprodução/Instagram

Logo em sua primeira defesa do cinturão dos meio-pesados (até 93kg), Glover Teixeira encontraria um desafiante indigesto: o tcheco Jiri Prochazka que vinha em ascensão meteórica na organização e, com apenas duas lutas, chegava na sonhada disputa de título. O aguardado embate aconteceria no UFC 275, realizado em Singapura (SIN).

PUBLICIDADE:

Apesar de ser considerado azarão nas casas de apostas, Glover entregou um duro combate ao desafiante e era considerado vencedor na papeleta dos juízes, até então. Porém, no minuto final, o brasileiro castigava Prochazka no ground and pound quando o tcheco ‘explodiu’ e conseguiu chegar ás costas do brasileiro e encaixar um mata leão. Só restou ao mineiro bater em desistência e ver o sonho de permanecer campeão dos meio-pesados ruir faltando 28 segundos para o soar do gongo.

4- Brandon Moreno x Deiveson Figueiredo – UFC 270

D. Figueiredo e B. Moreno se enfrentaram em três lutas seguidas. Foto: Reprodução/Instagram

Deiveson Figueiredo e Brandon Moreno protagonizaram nos últimos meses uma situação inédita no Ultimate: Pela primeira vez na história, dois atletas fizeram uma trilogia consecutiva, ou seja: se enfrentaram três vezes em sequência, todos os duelos, válido pelo cinturão dos moscas (até 56,7kg). E a luta co-principal do UFC 270 foi cercada de polêmicas e provocações nos bastidores.

No octógono, Moreno chegava como favorito após conquistar uma vitória e um empate diante de Deiveson nos duelos anteriores. Para a trilogia, o brasileiro fez sua preparação na academia de Henry Cejudo, ex-campeão dos galos (até 61,2kg) e dos moscas. Em confronto repleto de tensão, o atleta tupiniquim se aproveitou de alguns knockdowns em momentos decisivos e saiu vitorioso na decisão unânime dos juízes. Deiveson voltava a reinar da divisão até 56,7kg.

5 – Alex Poatan x Bruno Blindado – UFC Las Vegas 50

A. Poatan e B. Blindado protagonizaram uma verdadeira batalha no UFC Vegas 50. Foto: Reprodução/Instagram

Prospectos da divisão dos médios (até 83,9kg), Alex Poatan e Bruno Blindado foram colocados frente a frente para abrir o card principal do UFC Vegas 50. Dentro do octógono, sobrou tensão no combate entre os dois brasileiros e o que vimos foi um show de trocação e uma verdadeira guerra durante os 15 minutos previstos. Ao fim dos três rounds, o ex-campeão do Glory foi declarado vencedor na decisão unânime dos juízes e continuou sua caminhada de olho no campeão Israel Adesanya.

Podcast #73: MAIOR DE TODAS? Amanda Nunes volta a reinar no UFC