Dana White justifica luta entre Khamzat Chimaev e Nate Diaz no UFC 279: ‘Os fãs querem assistir’

Mandatário do Ultimate revela gostar da realização do confronto e reforça desejo de 'bad boy' por embate contra o sueco

D. White em coletiva de imprensa do UFC. Foto: Reprodução/YouTube

Depois de anunciar o combate entre Khamzat Chimaev e Nate Diaz para a edição de nº 279, que acontece em 10 de setembro, Dana White, justificou o casamento da luta. Em conversa com os jornalistas após o ‘Contender Series’, o presidente do UFC citou a motivação pelo último embate no contrato do ‘bad boy’, além de acreditar ser o confronto que os fãs desejam assistir na sequência dos meio-médios (até 77kg.).

PUBLICIDADE:

Veja Também

277999256_352302953628304_5148115889021389967_n

“Conseguimos e aqui estamos. É uma boa luta. É uma luta que os fãs querem assistir e as pessoas vão se interessar. Vamos fazer isso. Me preocupo muito com o Nate (Diaz), que veio aqui, muito antes de fecharmos a luta pedir para lutar. E terminar uma luta contra ele não é tão fácil quanto parece. Todo mundo fica tipo: ‘Bem, por que você não luta logo?’ Ele pediu Francis Ngannou. Eu poderia continuar com ele para sempre, mas não vou. Conseguimos. Essa é a luta que ele também queria”, disse Dana.

O combate, inclusive, deve marcar a despedida de Nate Diaz com as luvas do Ultimate, onde compete desde 2007. Recentemente, o ‘bad boy’ chegou a dizer que a organização estaria o mantendo como um ‘refém’ ao oferecer ofertas de contrato lucrativas, ao invés de marcarem uma luta. Pouco tempo depois, o UFC anunciou que o norte-americano fará o duelo principal de nº 279 diante da sensação Khamzat Chimaev.

PUBLICIDADE:

Diaz entrou no Ultimate depois de vencer o ‘The Ultimate Fighter 5’ e chegou a disputar o título em dezembro de 2012, quando foi derrotado por Ben Henderson. Em sua trajetória, ele superou nomes relevantes como Conor McGregor, Anthony Pettis, Donald Cerrone e Jim Miller e ficou conhecido por seu poder de promover lutas, além de sua resistência no octógono.

Chimaev, por sua vez, ocupa a terceira colocação no ranking dos meio-médios (até 77kg.) e pode alcançar a chance pelo cinturão, caso passe pelo ‘bad boy’. O sueco está invicto em sua carreira, com 11 lutas no cartel.

Podcast #73: MAIOR DE TODAS? Amanda Nunes volta a reinar no UFC