Inspirado em Rocky Balboa, Maldonado torce por luta ‘sangrenta’ contra Rampage

Brasileiro admite que ficou nervoso ao saber de nova mudança de seu adversário, mas destaca: ‘Queria essa luta desde 2003’

F. Maldonado (foto) agora é o 14º no ranking peso meio-pesado. Foto: Josh Hedges/UFC

F. Maldonado (foto) quer luta violenta contra o ex-campeão. Foto: Josh Hedges/UFC

Muitos dos lutadores de MMA preferem ganhar seus combates de maneira rápida, sofrendo a menor quantidade de danos possível dentro do octógono. Porém, este não é o caso de Fábio Maldonado, que, no UFC 186, neste sábado (25), espera protagonizar uma verdadeira batalha diante do veterano Quinton Rampage Jackson.

Veja Também

Justiça derruba liminar favorável ao Bellator e Rampage está de volta ao card do UFC 186
A 10 dias de acontecer, luta entre Mayweather e Pacquiao ainda não teve contrato assinado
Anderson confirma participação em seletiva olímpica: ‘Não estou preocupado em passar vergonha’

Inspirado nos clássicos filmes do personagem Rocky Balboa, o brasileiro, que fará o segundo combate mais importante da noite, torce para que sua luta contra o ex-campeão dos meio-pesados seja violenta. “Eu quero uma luta sangrenta. Isso não vai encurtar a minha carreira, eu não tomo soco em treino. Eu adoro [lutas assim], porque eu via filmes do Rocky Balboa e queria ser o Rocky Balboa com 10 anos de idade. Por isso que eu gosto de lutas sangrentas”, disse Maldonado, em entrevista ao site norte-americano “MMA Fighting”.

Contudo, até a confirmação de sua luta contra Rampage, Maldonado viveu um turbilhão de emoções. A luta estava originalmente confirmada para o card, mas, pouco depois, Rampage foi cortado do evento devido a uma briga judicial com o Bellator. Substituído por Steve Bosse, o norte-americano retornou à atração nesta semana, quando a liminar foi revertida, o que o permitiu voltar a ser escalado no UFC 186.

Maldonado admitiu que ficou nervoso ao descobrir a novidade, mas destaca que a luta diante de Rampage era um sonho antigo. “Eu fiquei um pouco nervoso no meu quarto. Eu sempre pedi essa luta – desde 2003 eu tenho vontade de lutar com ele, mas agora eu já estava concentrado em outro. Fiquei pensativo por algumas horas, mas está tudo certo e no final fiquei muito feliz”, afirmou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments