Mais lutadores se recusam a lutar em Las Vegas por apoio a Nick Diaz

Leslie Smith e Aljamain Sterling se juntaram a Henry Cejudo na lista de 'grevistas'; lutadora propôs a criação de uma associação de atletas

N. Diaz (foto) está suspenso por cinco anos e recebeu uma multa em dinheiro. Foto: Divulgação

N. Diaz (foto) está suspenso por cinco anos e recebeu uma multa em dinheiro. Foto: Divulgação

Imediatamente após ser anunciada, a punição da Comissão Atlética de Nevada de cinco anos e quase R$ 600 mil pelo uso de maconha para Nick Diaz desencadeou uma série de reações entre os principais atletas de MMA do planeta. Mais do que isso, a causa se tornou um boicote às lutas em Las Vegas, a começar pelo campeão olímpico Henry Cejudo, e que agora ganhou mais dois apoiadores: o promissor Aljamain Sterling e a peso galo Leslie Smith.

Veja Também

Revoltado com caso Diaz, Cejudo de nega a lutar em Nevada
Ronda parte em defesa do amigo Nick Diaz: ‘Muito injusto’
‘Se vencer Aldo, McGregor lutará em estádio na Irlanda’, promete Dana White
Sonnen ‘entrega’ que UFC planeja casar Fedor x Anderson

“Eu apoio essa causa. Os lutadores deveriam se unir e mostrar para a Comissão Atlética de Nevada que eles precisam ser imparciais e conduzir os processos de maneira justa. Talvez o Nick Diaz não fizesse o mesmo por mim, não sei. Mas se as pessoas fizessem esse tipo de coisa mais vezes, o mundo seria um lugar melhor”, escreveu Sterling em seu perfil oficial no Twitter.

Já Leslie Smith, que ficou famosa após sofrer um grave corte na orelha durante o UFC 180 no ano passado, usou seu perfil na rede social esportiva “Sqor” para demonstrar seu apoio à causa. “Eu estou declarando e vou ficar ao lado dos meus colegas lutadores Nick Diaz e Henry Cejudo, e me recusar a lutar em Nevada enquanto a draconiana e arbitrária punição contra o Nick estiver em vigor”, escreveu.

Além disso, Leslie aproveitou a situação para lançar um convite aos seus colegas de MMA e propor a criação de um órgão para representação do interesse dos atletas. “Essa situação é só o mais recente exemplo que demonstra a necessidade dos lutadores de MMA se unirem. Para influenciar nosso esporte e ter nossa voz ouvida falando juntos como uma associação de atletas das artes marciais mistas”, afirmou.

Até o momento, apesar da comoção gerada com a punição, a Comissão Atlética de Nevada não se manifestou publicamente sugerindo qualquer tipo de intenção de rever a sanção. Enquanto isso, Nick Diaz e seus advogados prometem recorrer até mesmo à justiça comum.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments