GSP defende Diaz: ‘Quiseram fazer dele um exemplo’

Ex-campeão do UFC acredita que comissão pegou pesado com suspensão de cinco anos ao norte-americano por doping com maconha

St. Pierre partiu em defesa de seu antigo rival. Foto: Josh Hedges/UFC

St. Pierre partiu em defesa de seu antigo rival. Foto: Josh Hedges/UFC

Há poucos anos, Georges St. Pierre e Nick Diaz protagonizaram uma das rivalidades mais intensas do UFC, tendo como ápice a luta entre eles pelo cinturão dos meio-médios, em 2013. Porém, atualmente o canadense deixou o passado turbulento de lado e partiu em defesa do norte-americano, que recebeu uma pesada suspensão por doping.

Veja Também

Diaz recebe cinco anos de suspensão por doping em luta contra Anderson
Ronda parte em defesa do amigo Nick Diaz: ‘Muito injusto’
Revoltado com caso Diaz, Cejudo de nega a lutar em Nevada
Mayweather: ‘Deixem Nick Diaz fumar maconha e curtir sua vida’

No mês passado, Diaz levou nada menos que cinco anos de gancho por parte da Comissão Atlética de Nevada por ter sido flagrado com maconha na luta que fez com Anderson Silva, em janeiro. A nível de comparação, o brasileiro, que também caiu no exame na ocasião, com anabolizantes, pegou somente um ano de suspensão.

GSP, que é um dos maiores defensores de uma fiscalização antidoping mais rígida no MMA, desta vez mudou o tom e afirmou que Diaz recebeu uma punição desproporcional em relação à sua infração.

“Eu, particularmente, acho cinco anos tempo demais. Especialmente quando você vê que Anderson Silva e outros caras que foram flagrados no doping receberam uma suspensão mais leve. Acho que quiseram fazer dele um exemplo e mandar uma mensagem, porque ele é um personagem que chama a atenção e faz barulho. Infelizmente, isso caiu sobre ele, mas todos deveriam ter uma segunda chance”, disse St. Pierre, em entrevista ao site canandese “RDS”.

O ex-campeão reconhece que o uso de maconha representa um descumprimento à regra, mas diz que seus benefícios são menos impactantes do que o de outras substâncias. “Sim, maconha é uma droga, mas acho que deveria haver diferentes punições para certos produtos, porque não faz sentido. Maconha pode ajudar alguém que sofre de ansiedade, mas não te deixa mais forte ou poderoso. Eu não acho que isso deveria ser julgado com tanto rigor”, completou.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments