Entenda os principais pontos sobre o doping de Jones

SUPER LUTAS explica os fatos que já são sabidos a respeito da saída repentina do norte-americano do UFC 200, neste sábado (9)

J. Jones enfrentaria Cormier no UFC 200. Foto: Josh Hedges/UFC

J. Jones enfrentaria Cormier no UFC 200. Foto: Josh Hedges/UFC

O mundo do MMA foi pego de surpresa com uma notícia bombástica no início da madrugada desta quinta-feira (7): Jon Jones, principal estrela do UFC 200, foi flagrado em um exame antidoping surpresa, e, consequentemente, cortado da atração deste sábado.

Veja Também

Jon Jones cai em exame antidoping e está fora do UFC 200
Presidente do UFC se diz ‘extremamente decepcionado’ com doping de Jones
Cormier, sobre doping de Jones: ‘Muito triste’

Trata-se de mais uma mancha no currículo altamente vencedor de Jones. Aos 28, o norte-americano foi do céu ao inferno nos últimos anos. Em 2011, tornou-se o campeão mais jovem da história a conquistar um cinturão linear do UFC; em seguida, enfileirou uma série de desafiantes altamente gabaritados para se firmar como um dos atletas mais dominantes de sua geração.

Porém, em 2015, tudo veio abaixo: primeiro, Jones foi flagrado com cocaína e viu sua reputação ser afetada. Depois, provocou uma batida de trânsito controversa e acabou punido pelo UFC com a perda de seu cinturão.

Para entendermos um pouco mais sobre a polêmica mais recente envolvendo Jones, trazemos mais uma edição do FAQ SUPER LUTAS, que colocará em detalhes o que já se sabe sobre o episódio.

Por que Jones foi retirado do UFC 200?

Na noite da última quarta-feira (6), a Comissão Atlética de Nevada e o UFC foram notificados de que Jones havia cometido uma “potencial irregularidade” em um exame antidoping surpresa. O teste em questão foi realizado no dia 16 de junho, no meio do período de treinamentos de Jones para a luta que faria com Daniel Cormier.

Qual foi a essa irregularidade encontrada?

A irregularidade não foi revelada pela USADA, a Agência Antidopagem dos Estados Unidos, entidade que conduziu o teste. No entanto, pode-se descartar que tenha envolvido drogas recreativas, como maconha ou cocaína (substâncias com as quais Jones assumidamente se envolveu no passado).

Drogas recreativas só são consideradas proibidas pelo regulamento antidoping dentro do chamado “período de competição”, ou seja, uma janela de tempo que engloba seis horas antes e seis horas depois da luta em si. Portanto, segundo as normas, Jones não poderia ser punido por ser flagrado com drogas recreativas tanto tempo antes do UFC 200.

Se o teste foi feito em junho, por que o resultado saiu só agora?

Normalmente os testes para substâncias proibidas levam algumas semanas para terem seus resultados definidos. É preciso checá-los extensivamente antes de virem a público, de modo que o intervalo visto neste caso não foge da normalidade.

Que teste foi esse realizado com Jones?

Desde meados de 2015, o UFC possui parceria com a USADA, entidade que realiza testes de forma independente nos atletas sob contrato com a organização. Assim, a USADA examina todos os atletas do UFC, independentemente se há luta marcada ou não, de forma aleatória. Um desses testes aconteceu em junho, durante a preparação de Jones para o UFC 200.

O que deve acontecer com Jones?

Como se trata de uma “potencial violação”, sem que haja mais detalhes sobre o caso, a situação de Jones permanece obscura. Normalmente os atletas que falham em exames pedem pela contraprova e vão a julgamento para provar sua inocência. Foi o que aconteceu com Yoel Romero, lutador dos médios, que teve sua pena reduzida ao comprovar que ingeriu um suplemento contaminado.

No entanto, a política do UFC com a USADA possui penas pré-estabelecidas para os atletas que cometem irregularidades, o que depende, claro, da natureza da infração. Como Jones se trata da primeira irregularidade real de Jones em exames antidoping, ele estaria sujeito às seguintes punições:

Flagrado com esteroides: três anos de suspensão
Flagrado com estimulantes: dois anos de suspensão
Flagrado com diuréticos:
um ano de suspensão
Flagrado com sedativos, relaxantes musculares, soníferos, ansiolíticos: 18 meses de suspensão

O que acontece com o UFC 200?

Com a saída de Jones, a luta entre Brock Lesnar e Mark Hunt foi promovida à atração principal do UFC 200. Os pesos pesados fariam o segundo combate mais importante da noite, e, pelo fato de a mudança ter acontecido em cima da hora, ela permanece com a programação original de três rounds.

O que acontece com Daniel Cormier?

O UFC não descarta totalmente a possibilidade de encontrar um novo oponente para Cormier, mas o presidente da organização, Dana White, admite que esta possibilidade é pequena. Caso o lutador seja retirado do card, White revelou que Cormier não deverá receber o salário que receberia para lutar.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments