De olho em retorno, St. Pierre promete nova vitória sobre Diaz: ‘Será ainda pior’

Canadense, que não luta desde 2013, revelou que já passou a integrar a política antidopagem da USADA para poder voltar à ativa

St. Pierre lutou pela última vez em 2013. Foto: Josh Hedges/UFC

St. Pierre lutou pela última vez em 2013. Foto: Josh Hedges/UFC

Ex-campeão dominante dos meio-médios do UFC, Georges St. Pierre ainda não oficializou seu retorno ao MMA. No entanto, o canadense expressou o desejo de, caso de fato volte às lutas, enfrentar novamente um velho conhecido no octógono: Nick Diaz.

GSP já bateu Diaz no passado, com uma decisão unânime em 2013. Recentemente, porém, Nick veio a público para dizer que “havia sido drogado” por algum funcionário do canadense antes do combate, além de ter acusado o rival de não bater o peso.

Veja Também

‘Me drogaram antes da luta com GSP’, acusa Diaz
GSP minimiza cinturão: ‘Quero lutar com os maiores nomes’
St. Pierre responde a desafio de novo campeão e se diz interessado na luta
St. Pierre se diz pronto para retornar e pede por luta com Bisping pelo cinturão

Em entrevista ao site norte-americano “Bloody Elbow”, St. Pierre declarou que aceitaria sem problemas um novo confronto com Diaz. “Eu não ligo se vai ser minha primeira, segunda ou terceira luta [depois do retorno]. Se querem que eu lute cm Nick Diaz, será um prazer. Eu não ligo, não tenho medo de Nick Diaz. Já o venci da última vez e será ainda pior. O venceria de maneira ainda pior da próxima vez que nos enfrentarmos”, declarou o canadense.

Para poder voltar sem grande controvérsia, St. Pierre revelou que já passou a integrar a política antidoping da USADA, a Agência dos Estados Unidos que é parceira oficial do UFC no combate às substâncias proibidas. O regulamento prevê que todo atleta que estava anteriormente afastado deverá passar por um período de quatro meses obrigatórios de exames para ser liberado para as competições.

“Não quero ser uma exceção, porque sempre fui muito aberto sobre substâncias de aumento de performance. Seria ruim para minha reputação se eu fosse uma exceção. E eu não quero ter passe livre, quero ser como todos os outros. É por isso que iniciei o processo no dia 10 de agosto. Não tenho nenhuma luta marcada, mas vai acontecer: se estou sendo testado é por algum motivo”, comentou o canadense.

Caso passe pelos quatro meses obrigatórios de exames, St. Pierre só estaria liberado para lutar a partir do dia 10 de dezembro. Isso o deixaria fora, por exemplo, do primeiro evento que será realizado pelo UFC em Nova York, no dia 12 de novembro, no qual chegou a ser especulado.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments