Após batalha no UFC 204, Bisping recebe suspensão médica de seis meses

Ao todo, sete atletas receberam 180 dias de suspensão; Belfort, nocauteado por Mousasi, terá que ficar fora por 45 dias

Bisping ficou bastante machucado após vencer revanche contra Henderson. (Foto: Getty Images)

Bisping ficou bastante machucado após vencer revanche contra Henderson. (Foto: Getty Images)

A vitória sobre Dan Henderson na luta principal do UFC 204, evento realizado no último sábado (08), em Manchester, na Inglaterra, custou mais cara que o esperado para Michael Bisping, que recebeu uma suspensão médica do Ultimate de, no mínimo, 60 dias, mas que pode ser estendida até 180 dias (seis meses), a menos que exames médicos o liberem.

Veja Também

Após nova derrota, Vitor Belfort despenca no ranking do UFC
Weidman se diz envergonhado por Bisping após UFC 204
Assista aos melhores momentos do UFC 204 em câmera lenta

Além de um corte grande abaixo do olho esquerdo, o inglês precisa passar por uma tomografia computadorizada maxilo facial e da cabeça para ser liberado de uma suspensão maior. Hendo, que fez a última luta de sua carreira, foi suspenso por 30 dias. Vitor Belfort, nocauteado por Gegard Mousasi na segunda luta mais importante da noite, terá que ficar 45 dias afastado, 30 sem treino de contato.

Além de Bisping, mais seis lutadores receberam suspensões de 180 dias, incluindo os brasileiros Adriano Martins e Iuri Marajó, com lesões no tornozelo esquerdo e cotovelo esquerdo, respectivamente. Os outros atletas foram Ovince St. Preux, Russell Doane, Davey Grant e Danny Roberts.

Vale ressaltar que as suspensões médicas geralmente são impostas pelas comissões atléticas locais, mas nesse caso, por Manchester não possuir uma entidade, o próprio UFC ficou responsável pelo papel de regulamentar o evento e estipular os prazos.

Confira a lista completa de suspensões médicas:

Michael Bisping: Suspenso por 180 dias, ou até ser liberado por tomografia computadorizada maxilofacial e da cabeça; suspensão mínima de 60 dias, com 45 dias sem treino de contato por causa de laceração intraorbital no lado esquerdo
Dan Henderson: Suspenso por 30 dias com 21 dias sem treino de contato por conta de laceração
Gegard Mousasi: Suspenso por 30 dias com 21 dias sem treino de contato
Vitor Belfort: Suspenso por 45 dias com 30 dias sem treino de contato
Jimi Manuwa: Suspenso por 30 dias com 21 dias sem treino de contato
Ovince St. Preux: Suspenso por 180 dias, ou até ser liberado por exame de raio-X no joelho esquerdo; suspensão mínima de 45 dias com 30 dias sem treino de contato
Daniel Omielanczuk: Suspenso por 30 dias com 21 dias sem treino de contato
Russell Doane: Suspenso por 180 dias ou até ter o cotovelo direito liberado; suspensão mínima de 30 dias com 21 dias sem treino de contato
Iuri Marajó: Suspenso por 180 dias ou até ser liberado por exame de raio-X no cotovelo esquerdo; suspensão mínima de 30 dias com 21 dias sem treino de contato
Brad Pickett: Suspenso por 30 dias com 21 dias sem treino de contato
Davey Grant: Suspenso por 180 dias ou até ser liberado por exame de raio-X e ressonância magnética no cotovelo esquerdo; suspensão mínima de 30 dias com 21 dias sem treino de contato
Lukasz Sajewski: Suspenso por 30 dias com 21 dias sem treino de contato
Mike Perry: Suspenso por 45 dias com 30 dias sem treino de contato
Danny Roberts: Suspenso por 180 dias ou até ser liberado por oftalmologista; suspensão mínima por 45 dias com 30 dias sem treino de contato
Leonardo Santos: Suspenso por 30 dias com 21 dias sem treino de contato por laceração
Adriano Martins: Suspenso por 180 dias ou até ter o tornozelo esquerdo liberado; suspensão mínima de 30 dias com 21 dias sem treino de contato

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments