Com atuação segura, Thomas Almeida atropela Morales no UFC São Paulo

Serginho e Claudinha Gadelha também vencem, enquanto Warlley Alves e Thales Leites são derrotados

Thominhas nocauteou Morales na segunda luta mais importante do UFC São Paulo. (Getty Images)

Thominhas nocauteou Morales na segunda luta mais importante do UFC São Paulo. (Getty Images)

Thomas Almeida está de volta! Agressivo, a jovem promessa da Chute Boxe nocauteou Albert Morales na segunda luta mais importante do UFC São Paulo, realizado neste sábado (19), e retornou ao caminho das vitórias após a perca da invencibilidade. Número 11 no ranking dos galos, Thominhas chegou a incrível marca de 22 vitórias e apenas um derrota na carreira, sendo cinco triunfos no Ultimate.

Veja Também

Vídeo: Assista o nocaute de Thomas Almeida no UFC São Paulo
UFC São Paulo: Bader não dá chances e massacra Minotouro na revanche
UFC São Paulo: Brasileiros brilham em card preliminar movimentado
UFC São Paulo – Bader x Minotouro – Resultados

“Entrei calmo, fiz todas as coisas que treinei, não me expus tanto, encaixei meu jogo e voltei pro caminho das vitórias. Cada luta é uma luta, eu quero sempre vencer, quero ser campeão. Foi maravilhoso lutar em casa, com a torcida gritando o meu nome. É sempre uma motivação a mais para lutar e buscar uma vitória depois da outra”, falou Thominhas após a vitória.

A luta

A luta começou com os dois girando no centro do octógono, com Thominhas medindo a distância e saindo do raio de ação do rival, que arrisca mais que o brasileiro. A torcida começou a gritar o nome de Thominhas, que passou a caçar Morales no octógono e soltar seu jogo. Thominhas acertou um bom direto de direita em Morales, que sentiu. O brasileiro foi para cima tentando encerrar a luta, mas o norte-americano sobreviveu. Nos segundos finais, os dois partiram para trocação franca, com vantagem para o lutador da Chute Boxe.

Thominhas voltou com a mesma postura, cercando o adversário. Agressivo, o brasileiro conectou um bom golpe em Morales, que sentiu e recuou. Foi o suficiente para Almeida partir para cima e conectar uma saraivada de golpes, nocauteando Morales ainda em pé, para delírio total do público presente no ginásio do Ibirapuera.

Estratégica, Claudinha Gadelha bate Casey e volta a vencer

Gadelha não deu chances para C. Casey e venceu na decisão. (Foto: Getty Images)

Gadelha não deu chances para C. Casey e venceu na decisão. (Foto: Getty Images)

Com uma atuação bastante estratégica e segura, a ex-desafiante peso palha Claudinha Gadelha superou Cortney Casey na decisão unânime dos juízes (triplo 30×27) e se recuperou da derrota sofrida para a campeão Joanna Jedrzejczyk. Com a vitória, a brasileira se mantém como na primeira posição do ranking dos palhas, e volta a sonhar com uma nova disputa de título. Esse foi o terceiro triunfo de Gadelha no Ultimate.

“Eu estou feliz pela vitória, mas eu quero mais que isso. Sobre o chute, eu ia chutar o corpo dela, achei que ela fosse levantar e o chute fosse pegar no corpo. Mas ela não levantou e o chute acabou pegando de raspão na cabeça. Se eu tivesse feito de maldade, o chute teria ido em cheio na cabeça. Eu queria deixar claro que foi um acidente. Agora eu quero lutar com a Carla Esparza”, declarou a brasileira.

Claudinha começou a luta pressionando e acertando um bom cruzado de direita em Casey, que passou a circular no octógono. O duelo ficou estudando, com as duas lutadores estudando o jogo da adversária. Claudinha foi para as pernas da norte-americana e aplicou uma linda quedada, levantando o público presente. Por cima no chão, a brasileira controlou as ações, mas sem muita efetividade.

O segundo round começou de maneira parecida, com as duas se estudando e Gadelha acertando bons golpes. As duas ensaiaram uma trocação franca, mas a luta foi novamente para o clinche. Mais confortável na luta, Gadelha aplicou outra bela queda, mas a luta ficou poucos segundos no chão. Ciente da desvantagem, Cortney passou a “caçar” a brasileira no octógono, mas foi novamente quedada, faltando cerca de 30 segundos para o fim.

Casey voltou para o último round buscando mais a luta, porém ia sendo frustrada pela brasileira a cada tentativa de golpe, que passava no vazio. Pela terceira vez, Gadelha aplicou uma linda queda, mas vacilou ao acertar um chute ilegal na adversária, que ainda estava no chão. A luta ficou paralisada por alguns minutos até a norte-americano ter condições de retornar ao duelo. Após a paralisação, Gadelha encurralou Casey na grade e disparou fortes golpes, para na sequência levar a luta novamente para o solo. Por baixo, Cortney “laçou” o pescoço de Gadelha, que conseguiu se livrar e ficou em pé. No minuto final, Claudinha quedou e tentou buscar as costas, mas não teve tempo para trabalhar.

Jotko anula jogo de Thales e engata a quinta

Jotko (dir) venceu T. Leites (ao fundo) por decisão unânime. (Foto: Getty Images)

Jotko (dir) venceu T. Leites (ao fundo) por decisão unânime. (Foto: Getty Images)

O peso médio Thales Leites não suportou o jogo de pressão de Krzysztof Jotko e acabou sendo derrotado por decisão unânime dos juízes (30×27, 29×27, 30×27). Thales sofreu a terceira derrota nas últimas quatro lutas, enquanto Jotko conseguiu sua quinta vitória seguida na organização, se aproximando do top 10 da divisão.

Thales começou o duelo colocando o polonês contra a grade, tentando levar a luta para o chão, mas Jotko abriu a base e conseguiu defender. Com a luta no centro do octógono, Thales entrou nas pernas do adversário e quedou. No chão, ele tentou aplicar uma chave de braço, mas Jotko escapou e caiu por cima, ficando preso dentro da guarda do brasileiro até o final do round.

Leites voltou determinado a levar a luta para o chão e buscou a queda logo no início, mas não obteve sucesso. Em pé, Jotko levava vantagem no duelo, acertando bons golpes no brasileiro, que chegou a sentir. No desespero, Thales entrou nas pernas do adversário, mas acabou caindo por baixo. Da mesma forma que aconteceu no primeiro round, Krzysztof ficou controlando por cima, sem nenhuma efetivada, até Mario Yamasaki intervir e recolocar a luta em pé. Mas por pouco tempo, já que Jotko surpreendeu e quedou, garantindo o round a seu favor.

O último round começou com Jotko, de novo, aplicando bons golpes no brasileiro, que estava visivelmente cansado. No entanto, o polonês se desequilibrou e caiu ajoelhado na frente de Thales, que tentou encaixar uma guilhotina, mas não conseguiu encaixar. Jotko aplicou nova queda em Leites, que permaneceu por baixo sem esboçar muita reação, e Krzysztof seguiu pontuando no ground and pound.

Warlley Alves é dominado e perde a segunda consecutiva

Warlley (esq) foi anulado por K. Usman (dir). Foto (Getty Images)

Warlley (esq) foi anulado por K. Usman (dir). Foto (Getty Images)

Não foi dessa vez que Warlley Alves retornou ao caminho das vitórias. Derrotado pela primeira vez na carreira no UFC 198, em maio, o campeão do TUF Brasil 3 foi dominado por Kamaru Usman e perdeu a segunda consecutiva, também por decisão unânime (30×27, 29×28, 30×26), ficando com um cartel de quatro vitórias e duas derrotas no Ultimate. Usman, por sua vez, engatou a quarta vitória seguida e começa a pensar no top 15 dos meio-médios. Ao fim da luta, o nigeriano ainda desafiou Demian Maia

Os dois lutadores começaram a luta com cautela, com pouca ação dos dois lados. Aos poucos, Usman passou a cercar o brasileiro contra a grade e desferir alguns golpes, mas Warlley respondia com chutes na perna. Com pouca efetividade na luta, o público ensaiou algumas vaias. O nigeriano seguia tomando as ações, enquanto o brasileiro atuava apenas no contragolpe. Na reta final do round, Warlley ainda acertou uma boa joelhada no rival.

O segundo round iniciou da mesma forma que o primeiro, com Usman pressionando e buscando o clinche, mas Warlley se defendeu bem. Alves continuou aceitando o jogo de pressão do adversário, e chegou a sentir um cruzado de direita. Sangrando, o brasileiro recebeu duros golpes e por pouco não caiu. O ritmo da luta continuou igual até a buzina soar.

Usman voltou para o round derradeiro buscando encerrar o duelo e novamente castigou o brasileiro, que tentava se defender. No clinche, Warlley puxou para guarda e tentou uma guilhotina, que chegou a ficar bem encaixada, mas o nigeriano conseguiu escapar e ficou por cima, desferindo cotoveladas no brasileiro, que mal se defendia. Ainda teve tempo para Kamaru tentar um katagatame, porém Alves resistiu até o final.

Serginho Moraes supera Ottow em luta equilibrada 

Serginho (dir) venceu Ottow (esq) na decisão dividida dos árbitros. (Foto: Getty Images)

Serginho (dir) venceu Ottow (esq) na decisão dividida dos árbitros. (Foto: Getty Images)

Na primeira luta do card principal, o peso meio-médio Serginho Moraes derrotou Zak Ottow na decisão dividida dos juízes (30×27, 28×29, 30×27). Com o resultado positivo, Serginho somou sua quinta vitória no Ultimate, aumentando sua invencibilidade que já dura seis lutas – ele ainda possui uma derrota e um empate na organização.

A luta começou com os dois circulando no centro do cage, com bastante estudo de ambas as partes. Serginho tentou dois chutes altos, bem defendidos pelo norte-americano. Ottow telegrafou um chute na linha de cintura, mas Moraes agarrou a perna do rival e levou a luta pro chão. Por cima, Serginho trabalhou dentro da guarda do adversário, que tentava travar os ataques do brasileiro. A luta continuou com pouca ação até o fim do round.

Ottow voltou mais agressivo, encurralando o brasileiro, que respondeu com uma joelhada voadora. Os dois continuaram trocando golpes no centro do octógono, com vantagem para o americano, que encurralou Serginho contra a grade e acertou um bom chute alto. Em desvantagem em pé, Moraes tentou a queda, sem sucesso. A luta se manteve em pé até a buzina soar.

O último round começou com Serginho desferindo bons golpes em Ottow, que balançou. Serginho foi para cima tentando dar números finais ao combate, mas Zak puxou para guarda e ficou se defendendo por baixo. Com a luta novamente em pé, o americano acertou bom chute na linha de cintura do brasileiro, que respondeu com um bom cruzado de esquerda. Visivelmente cansado, o brasileiro ficou encurralando na grade, enquanto Ottow aproveitava para golpear. Nos 10 segundos finais, os dois partiram para a trocação franca, mas sem muita efetividade.

UFC SÃO PAULO

CARD PRINCIPAL
Peso meio-pesado: Ryan Bader nocauteou Rogério Minotouro a 1m10 do R3
Peso galo: Thomas Almeida nocauteou Albert Morales (socos) a 1min37s do R2
Peso palha: Cláudia Gadelha derrotou Cortney Casey na decisão unânime dos juízes (triplo 30×27)
Peso médio: Krzysztof Jotko derrotou Thales Leites na decisão unânime dos juízes (30×27, 29×27, 30×27)
Peso meio-médio: Kamaru Usman derrotou Warlley Alves na decisão unânime dos juízes (30×27, 29×28, 30×26)
Peso meio-médio: Serginho Moraes derrotou Zak Ottow na decisão dividida dos juízes (30×27, 28×29, 30×27)
CARD PRELIMINAR
Peso médio: Cézar Mutante finalizou Jack Hermansson (katagatame) aos 2min11s do R2
Peso meio-pesado: Gadzhimurad Antigulov finalizou Marcos Pezão (guilhotina) a 1min07s do R1
Peso galo: Johnny Eduardo derrotou Manny Gamburyan por nocaute técnico (socos) aos 46s do R2
Peso pesado Luis Henrique KLB finalizou Christian Colombo (guilhotina) aos 2min12s do R3
Peso galo: Pedro Munhoz finalizou Justin Scoggins (guilhotina) a 1min59s do R2
Peso meio-pesado: Darren Stewart derrotou Francimar Bodão por nocaute técnico a 1min34s do R1;

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments