Em provocação a Amanda, Cris Cyborg mostra que camiseta vai usar no UFC 232

A curitibana lançou a blusa que vai utilizar no confronto em dezembro; a camiseta tem a frase 'Keep Brasil Creonte Free'

C. Cyborg mostrou a camiseta durante evento em Curitiba. Foto: Reprodução/Instagram @criscyborg

O confronto entre Cris Cyborg e Amanda Nunes acontecerá apenas dia 29 de dezembro, no UFC 232, em Las Vegas (EUA). No entanto, as provocações entre da curitibana a rival vem aumentando a cada dia. A campeã peso pena rotulou a compatriota como ‘creonte’ e a noiva da ‘Leoa’ em resposta a acusou de estar sendo estúpida. Mesmo assim, a curitibana foi além e produziu uma camiseta especial para o confronto que tem estampada a frase: “Keep Brasil Creonte Free”.

Veja Também

Cris Cyborg dispara contra Amanda Nunes e chama rival de ‘creonte’
Cris Cyborg pede reserva para confronto com Amanda Nunes no UFC 232
Cris Cyborg x Amanda Nunes: estão abertas as apostas para a superluta feminina

Após lançar a blusa em suas redes sociais, Cyborg mostrou a camisa que vai usar durante a semana do UFC 232 em Las Vegas. A apresentação ocorreu durante o evento, batizado como Nação Cyborg em Curitiba.

“Na verdade todo mundo sabe o que é creonte. A gente deveria crescer o esporte no Brasil. Ela faz parte do time do Colby (Covington), que saiu falando um bando de coisa do Brasil, que o país é um lixo. A Amanda, como brasileira, nunca se posicionou. Na minha equipe ninguém vai falar mal do Brasil, se falar, não vai fazer parte dela. Isso é uma das coisas que não curti. Depois a vi torcendo, quase sendo córner, contra a Jéssica (Bate-Estaca). Tudo bem ser amiga dela (Tecia Torres), mas por respeito ao Brasil, à história da Jéssica, a Amanda não poderia ter feito dessa forma, com os brasileiros em volta dela. Por isso eu acho que ela é uma creonte e isso foi uma creontagem. Essa vai ser a blusa da nação Cyborg para o UFC”, disse Cris em entrevista ao site do canal Combate.

A gíria ‘creonte’ foi criada pelo mestre Carlson Gracie para apelidar atletas que trocavam de equipe. Mesmo isso ser comum atualmente, era um fato inusitado durante as décadas de 80 e 90.

Camiseta criada por C. Cyborg. Foto: Reprodução/Instagram @criscyborg

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário