Invicta no MMA, multicampeã judô desafia Cyborg para luta no PFL

Campeã Olímpica, Kayla Harrison entra na onda e desafia brasileira para integrar organização de luta concorrente do UFC

K. Harrison em vitória pelo PFL. Foto: Reprodução/Instagram @judokayla

Desde que a brasileira Cyborg ficou oficialmente fora dos planos do Ultimate, na última semana, as especulações sobre o futuro da atleta tem aumentado cada vez mais. Aproveitando a oportunidade, atletas de companhias concorrentes do UFC têm desafiado a lutadora para combates. Desta vez, foi a norte-americana Kayla Harrison que, após o convite da atual campeã das palhas (até 65,7kg.) do Bellator, desafiou a curitibana para tentar a sorte no PFL (Professional Fighters League). A declaração foi feita em entrevista recente ao ‘TMZ Sports’.

Veja Também

Após assistir duelo contra Jones pela primeira vez, Marreta acredita ter vencido três rounds
Após derrota relâmpago, Askren brinca sobre fama de Masvidal: ‘Deveria me agradecer’
Após grande estreia, Michel Pereira volta ao octógono em setembro e promete show

“Cris, ouvi que você perdeu seu emprego, mas, se você estiver interessada, o PFL tem um lugar muito especial para você e é o segundo”, provocou Kayla.

A lutadora, então, tratou de explicar os motivos pelos quais a brasileira deveria optar por atuar na companhia em que integra atualmente. A questão do peso, um fator que sempre incomodou a carreira da curitibana, passaria a não ser tão impactante, já que dentro da empresa as lutadoras atuam no peso leve (até 70,3kg.).

“Acho que ela encaixaria bem no PFL. Primeiro de tudo, é peso-leve, então ela não teria que morrer para bater o peso como faz no peso-pena. E acho que não existe mais ninguém que vá desafiá-la. Eu vou bater Cris Cyborg se ela for para o PFL, e não acho que qualquer outra organização pode oferecer isso a ela. Além do mais, é o tipo de atmosfera que você ganha, você luta, você segue, então, ela vai ter que se preocupar sobre os promotores gostarem dela ou não, o que parece ser um grande problema para ela. Você ganha, você tem que continuar”, disse a norte-americana.

Harrison ficou conhecida nos Estados Unidos e pelos entusiastas de judô após conquistar por duas vezes a medalha olímpica na modalidade. A atleta venceu pelo seu país em Londres, em 2012 e nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

A norte-americana migrou para o MMA há pouco mais de um ano. Desde então, a lutadora realizou cinco embates e venceu em todas as oportunidades. Dos cinco triunfos, Harrison conquistou dois nocautes, duas finalizações e um combate foi para a decisão dos juízes. O perigoso desafio à brasileira parece, no entanto, não assustar Kayla, que treina na mesma academia de Amanda Nunes, último algoz de Cyborg.

“Eu não diria que a trocação dela (Cris) é incrível. Eu diria que ela é grande, forte e poderosa. Mas ela não movimenta a cabeça e anda para a frente. Ela é uma brigadora, com certeza. Meu objetivo é ser a melhor lutadora de MMA do mundo. É me tornar técnica e completa. Posso não ser a melhor striker do mundo, mas vou ser a melhor lutadora de MMA”, finalizou a lutadora.

Harrison lutou pela última vez em 11 de julho. Seu próximo compromisso será contra Genah Fiabian, que fará sua quarta luta de MMA na carreira em 11 de outubro, em Las Vegas.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário