Dana White sobre McGregor: ‘Ele não é mais o cara. Agora, Khabib dá as cartas’

Presidente do Ultimate questiona importância de irlandês para companhia, afirmando que o momento é do russo, campeão dos leves

Dana White

D. White em coletiva após o UFC Boston. Foto: Reprodução/YouTube

Os ventos definitivamente mudaram para Conor McGregor, e não de uma maneira agradável. Sem lutar há mais de um ano e vivendo de uma fama que conquistou com todos os méritos, o irlandês esbarra na arrogância e começa a perceber, só agora, que não é mais o homem forte do UFC a ponto de não ter mais seus desejos realizados pela organização. Em entrevista ao ‘The Boston Globe’, o presidente do Ultimate, Dana White, fala sobre a atual situação do ‘Notório’ na organização.

Veja Também

McGregor é acusado por novo caso de estrupro na Irlanda
H. Cejudo
Henry Cejudo volta a provocar Aldo: ‘Quero a cabeça do José’
Gabriel Napão aplica duro nocaute em Pezão em evento de boxe sem luvas
Dana promete conversa com Weidman após nova derrota: ‘Ou volta para os médios ou se aposenta’

“Ele vai voltar no ano que vem. Khabib é o cara agora. Conor não é mais o cara. Então, Khabib é quem tem o direito de dizer contra quem ele quer lutar”, disse o chefão.

O entrave entre McGregor e o Ultimate começou quando a diretoria negou ao irlandês a oportunidade de enfrentar Frankie Edgar, ex-campeão dos leves (até 70,3kg.) e que, nos últimos anos, atuava entre os penas (até 65,7kg.). O pedido por Edgar veio após o norte-americano afirmar que desejava descer aos galos (até 61,2kg.) depois de ser derrotado em mais uma tentativa frustrada de conquistar o cinturão da divisão que é hoje dominada por Max Holloway.

A negativa enfureceu o irlandês, que deu início a uma série de provocações ao mandatário da companhia. Segundo o próprio Conor, o desejo de enfrentar Frankie se dava pelo motivo de o embate representar uma espécie de treinamento para um novo combate contra Khabib, já que Edgar tem como arma principal o Wrestling, modalidade dominada pelo russo.

A peleja, no entanto, para White, soou mal aos ouvidos dos entusiastas das artes marciais mistas, pois se trata de dois atletas de divisões completamente diferentes, pelo menos no momento, já que McGregor subiu para os leves já faz um tempo e Edgar, já em fim de carreira, não poderia apresentar um desafio competitivo para o ‘Notório’.

Mesmo contrariando seu antigo pupilo, White fez questão de apresentar algumas opções para o futuro de Conor no esporte. Para ele, o atleta está na linha de frente para desafiar o vencedor entre Jorge Masvidal e Nate Diaz, que se apresentam na luta principal do UFC 244, em novembro. Além dos meio-médios, Dana abriu o leque para outras possibilidades.

“No mês que vem, no Madison Square Garde (UFC 244), nós vamos ter (Nate) Diaz contra (Jorge) Masvidal. Está marcado. Então, quem vencer aquele combate, poderia enfrentar Conor. Nós temos (Donald) Cowboy Cerrone, Justin Gaethje, mas Conor, agora, quer, de fato, a revanche contra Khabib (Nurmagomedov). Então, nós vamos ver como as coisas vão sair”, disse Dana. Mas, no momento, temos a luta entre Khabib e Tony Ferguson. Georges St-Pierre também quer lutar, e, só aí, temos a luta de Conor McGregor”, explicou o mandatário.

Conor conquistou fama internacional quando, em 2015, bateu José Aldo, até então campeão incontestável dos penas em um duelo que teve provocações duras do irlandês na promoção do combate. McGregor, no entanto, tanto falou, mas fez acontecer, ao nocautear o brasileiro em apenas 13 segundos, na luta principal do UFC 194.

Após isso, o ‘Notório’ se tornou uma estrela mundial, chegando a conquistar mais um cinturão, dessa vez pelos leves e, inclusive, conseguindo o feito de realizar um confronto de boxe contra o lendário campeão mundial Floyd Mayweather, em agosto de 2017.

A fama e dinheiro fizeram com que Conor se tornasse um atleta bastante inativo dentro do UFC, o que, em certo momento, fez com que o título dos leves fosse tomado do lutador. A última vez que subiu ao octógono foi em outubro do ano passado, quando tentou recuperar seu cinturão e acabou derrotado por Khabib Nurmagomedov por finalização no round quatro, na luta principal do UFC 229, que foi um dos eventos mais assistidos da história do MMA.

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments