Cinco motivos para assistir ao UFC 246, com o retorno de Conor McGregor contra Donald Cerrone

Ex-campeão dos penas e leves, McGregor retorna ao octógono na divisão de meio-médios; Carlos Diego Ferreira é o representante brasileiro

Acabou a espera. O Ultimate está de volta após quase um mês de férias e, logo de cara, promove aos fãs um grande espetáculo que acontece neste sábado (18), com o UFC 246, em Las Vegas (EUA). Com 12 lutas, o card promete levantar o público presente na T-Mobile Arena e traz como ‘cereja do bolo’ o retorno de um dos maiores nomes do MMA atual, Conor McGregor em luta contra Donald Cerrone.

Veja Também

McGregor e Cerrone batem peso, mas rival de Gadelha falha e luta de brasileira é retirada do UFC 246
Werdum colabora com USADA, tem pena reduzida e pode retornar ao octógono em abril
Tyron Woodley retorna ao octógono e enfrenta Leon Edwards no UFC Londres, diz site

Sem lutar desde que foi derrotado por Khabib Nurmagomedov, no UFC 229, em outubro de 229, o ‘Notório’ dividirá com Cerrone o protagonismo da noite. Vindo de derrotas, os dois atletas buscam a redenção em suas carreiras vitoriosas e ainda almejam grandes feitos dentro do esporte.

Além das estrelas principais, o brasileiro terá um motivo a mais para acompanhar o espetáculo deste final de semana. Na primeira luta do card principal, Carlos Diego Ferreira trocará forças com um grande ícone do esporte, Anthony Pettis.

Para entrar no clima do evento, a equipe do SUPER LUTAS selecionou cinco motivos para assistir o UFC 246. Confira:

1) McGregor retorna ao octógono

C. McGregor posa com seus antigos cinturões. Foto: Reprodução/Instagram @ufc

Desde que estreou pelo Ultimate, em abril de 2013, Conor McGregor já se mostrava diferente dos demais atletas presentes na organização. Com estilo provocativo e com qualidade técnica inquestionável, o irlandês precisou de cinco apresentações para conquistar o título interino dos penas (até 65,7kg.) e, em seguida, vencer o lendário José Aldo, se tornando o campeão linear.

Ao derrotar o brasileiro, Conor se tornou uma verdadeira estrela da organização, batendo recordes de vendagem de pay-per-views e se consolidando como um dos maiores nomes da história do MMA atual. Após se sagrar campeão dos penas, o irlandês foi além. O combatente se arriscou nos leves e voltou a levantar o cinturão da empresa na divisão de cima.

A grande fase do ‘Notório’, no entanto, viria a esmorecer depois que o atleta se afastou do esporte, em 2017. O lutador voltou a ser atração ao conseguir uma luta contra Floyd Mayweather, um dos maiores nomes da história do boxe. Conor acabou derrotado, mas conquistou cifras milionárias no confronto.

Em 2018, a surpresa. O atleta decidiu retornar ao MMA para tentar recuperar o título dos leves, retirado do lutador por inatividade dentro da companhia. Em embate contra Khabib Nurmagomedov, em outubro de 2018, McGregor acabou dominado pelo russo e não foi capaz de superar as habilidades do rival na luta agarrada.

Em 2019, o irlandês sinalizou que poderia retornar ao esporte no decorrer do ano, porém, o fato não se consolidou e veio a ser confirmado apenas para o início de 2020, após mais de um ano de afastamento.

Para o retorno, Conor deverá provar contra Donald que ainda é capaz de atuar em alto nível e performar como há alguns anos, quando encheu os olhos dos fãs das artes marciais mistas.

2) Donald Cerrone: 51 lutas

D. Cerrone completa 51 lutas no UFC 246. Foto: Reprodução/Facebook UFC

Neste sábado, Donald Cerrone irá completar uma marca impressionante em sua vitoriosa carreira no MMA. Além de conquistar um dos maiores pagamentos de sua carreira – se não o maior – o norte-americano chega a 51 apresentações, desde que estreou como profissional no MMA.

Ex-desafiante ao título dos leves (até 70,3kg.), Donald é um dos atletas mais carismáticos da empresa. Conhecido por sempre estar disposto a se apresentar no octógono, o ‘Cowboy’ não atravessa a melhor fase de sua carreira. O combatente vem de duas derrotas consecutivas na divisão reinada atualmente por Kamaru Usman, mas, para encarar McGregor, o norte-americano aceitou retornar aos meio-médios (até 77kg.) e tentará retomar o caminho das vitórias.

Próximo de completar 37 anos, Donald busca, neste final de semana, chegar à sua 37ª vitória em sua carreira. O atleta tem 13 derrotas e um empate no seu cartel oficial.

3) ‘Notório’ x ‘Cowboy’, duelo de ícones

C. McGregor (esq.) e D. Cerrone (dir.) em encarada para o UFC 246. Foto: Reprodução/Instagram @ufc

Vindos de derrota, a disputa entre McGregor e Donald vai além de um embate com cifras milionárias. Embora os dois lutadores não escondam que atuam pensando em grandes cheques, quando sobem no octógono, tanto o irlandês quanto o norte-americano são capazes de realizar espetáculos de levantar o público.

Ao que tudo indica, neste sábado não será diferente. Embora os combatentes tenham adotado uma postura respeitosa, isenta de provocações, nada impedirá que, quando o árbitro autorizar o início da disputa, os atletas se doem ao máximo para sair com a vitória.

Em 2019, Cerrone esteve na linha de frente para uma futura disputa de cinturão, no entanto, o norte-americano esbarrou em duas lutas cruciais para que o fato se concretizasse. Em junho, o ‘Cowboy’ aceitou trocar forças contra Tony Ferguson, mas acabou batido pelo compatriota. Três meses depois, Donald já era visto em duelo contra Justin Gaethje e, novamente, saiu derrotado, ocupando a quinta posição no ranking e distante de encarar o atual campeão, Khabib Nurmagomedov.

Mesmo sem lutar há mais de um ano, Conor continuou figurando na elite da categoria dos leves. Derrotado por Khabib em sua última apresentação, o irlandês atualmente ocupa a quarta colocação no grupo e, mesmo com confronto disputado entre os meio-médios, uma vitória pode recolocar o irlandês em condições de desafiar o vencedor entre o russo e Ferguson, que se enfrentam em 18 de abril, pelo UFC 249.

4) Holly Holm e a tentativa de redenção

H. Holm precisa voltar a vencer no UFC 246. Foto: Reprodução/Facebook UFC

A norte-americana, Holly Holm já esteve no topo do mundo do MMA uma vez. Conhecida por ser a atleta a ter destronado a lendária Ronda Rousey, em 2015, a lutadora ganhou fama por ostentar o cinturão que pertencia àquela que já foi considerada a melhor atleta da história das artes marciais mistas entre as mulheres.

No entanto, na mesma velocidade em que a fama abraçou a ‘Filha do Pastor’, a estrela viu seu ‘império’ desabar e acabou caindo logo em sua primeira defesa de cinturão, quando foi finalizada por Miesha Tate, em 2016.

Após o duro revés, Holm atuou em mais seis oportunidades, mas acabou sendo derrotada por quatro vezes; a última, em duelo contra Amanda Nunes, novamente pelo cinturão das galos (até 61,2kg.).

Aos 38 anos, há que diga que Holly deva se aposentar do esporte, porém, neste sábado, contra Raquel Pennington, a norte-americana tentará mostrar que ainda pode render frutos ao MMA e ser competitiva dentro do Ultimate.

Rival da ex-campeã, Pennington busca emplacar seu segundo triunfo consecutivo. A atleta vem de um resultado positivo contra Irene Aldana e deixou dois reveses em sequência para trás.

5) Diego Ferreira e o maior desafio na carreira

Carlos Diego vence no UFC Austin. Foto: Twitter / UFC Brasil

Primeiro brasileiro a atuar pelo Ultimate no ano, Carlos Diego Ferreira está prestes a realizar um sonho. No UFC 246, o amazonense terá pela frente o desafio de derrotar o ex-campeão dos leves, Anthony Pettis.

Contra um ícone do esporte, Diego quer vencer para chegar de vez aos holofotes da organização. Vindo de cinco vitórias, o retrospecto recente do tupiniquim pode ajudar e fazer com que a crise na carreira de Pettis aumente.

Dono da cinta entre os anos de 2013 e 2015, Anthony é mundialmente conhecido no MMA pelos golpes de efeito que desfere em seus confrontos. Com três derrotas em suas últimas cinco apresentações, o norte-americano de 32 anos, no entanto, ainda é capaz de promover grandes espetáculos e surpreender seus rivais, como aconteceu em seu último triunfo, quando derrotou o promissor Stephen Thompson com um soco voador, em março do ano passado.

Relação de lutas do UFC 246

DIA: 18 de fevereiro de 2019

HORA: A partir das 20h15 (horário de Brasília)

LOCAL: T-Mobile Arena, Las Vegas, Nevada, EUA

COMO ASSISTIR: SUPER LUTAS (as duas primeiras lutas AO VIVO) e canal Combate (todo o card)

CARD PRINCIPAL (0h, horário de Brasília):

Peso meio-médio (até 77.1 kg.): Conor McGregor x Donald Cerrone

Peso galo (até 61.2 kg.): Holly Holm x Raquel Pennington

Peso pesado (até 120.2 kg.): Alexey Oleinik x Maurice Greene

Peso leve (até 70.3 kg.) : Anthony Pettis x Carlos Diego Ferreira

Peso mosca (até 56.7 kg.): Tim Elliott x Askar Askarov

CARD PRELIMINAR (20h15, horário de Brasília):

Peso mosca (até 56.7 kg.): Roxanne Modafferi x Maycee Barber

Peso pena (até 65.7 kg.): Andre Fili x Sodiq Yusuff

Peso leve (até 70.3 kg.): Drew Dober x Nasrat Haqparast

Peso meio-pesado (até 93.1 kg.): Aleksa Camur x Justin Ledet

Peso galo (até 61.2 kg.): Brian Kelleher x Ode Osbourne

Peso mosca (até 56.7 kg.): Sabina Mazo x JJ Aldrich

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments