Ex-técnico de Johnny Walker rebate acusação de ‘calote’: ‘Deveria ter preservado nossa história’

Leonardo Gosling dá versão sobre suposta dívida de R$120 mil denunciada pelo meio-pesado e revela bastidores do UFC 244 que, segundo o antigo ‘mentor’, influenciaram na derrota para Corey Anderson

J. Walker (foto) enfrenta problemas com antigo treinador. Foto: Reprodução/Instagram @johnnywalkerufc

Nesta semana, o brasileiro Johnny Walker fez declarações sérias sobre um possível ‘calote’ aplicado por seu antigo treinador, Leonardo Gosling. Na ocasião, o atleta cobra do ex-técnico uma quantia de US$30 mil aplicadas para a construção de uma academia na Tailândia. Na intenção de se justificar, Gosling, em entrevista ao ‘Ag.Fight’, falou sobre o caso e desmentiu a versão do meio-pesado (até 93kg.).

Veja Também

Próximo de retorno ao octógono, Cigano mantém sonho de recuperar cinturão: Objetivo é ser o número um’
Dos Anjos aceita rótulo de ‘porteiro’ e desafia McGregor para luta contra ‘verdadeiro meio-médio’
Gaethje espera que Conor o enfrente após vitória sobre Cerrone: ‘Está mais confiante agora’

“Fomos para Tailândia, arrumei camp (período de treinamentos) de graça na AKA (American Kickboxing Academy). Eu que fazia essa parte. (…) Gostamos de lá e dei a ideia de ficarmos. Arrumar um lugar para dar aula. Ele e o irmão gostaram e consegui um lugar. Eu propus: ‘Vamos construir um Dojo (local de treinamento) na academia do cara, porque só tem muay thai. Você paga metade e eu pago a outra quando começar a fazer dinheiro’. E ele mandou US$10 mil (cerca de R$42 mil) e construímos do zero. Tenho as fotos todas. Mas ficou obscuro, não ficou legal lidar com contrato com tailandês. A lei lá é bem louca. A gente não se deu bem realmente e entendemos que era melhor sair, aceitar esse prejuízo”, afirmo Leonardo.

O treinador também desmentiu sobre o valor denunciado por Walker. Segundo Gosling, o combatente de Belford Roxo (RJ) investiu cerca de R$84 mil a menos do que o afirmado em sua entrevista.

“Não foram US$30 mil (R$120 mil). Não sei de onde surgiu isso. Tomamos um atraso. Não foi calote. Estava ruim, não tinha aluno, a academia era escondida, teria que investir em marketing. Combinei que ia tirar da minha porcentagem e iria amortizando (pagando) aos poucos esses 5 mil”, contou.

Leonardo também comentou sobre os bastidores de Johnny nas vésperas do UFC 244. Segundo o técnico, próximo da luta o brasileiro não estava focado como deveria para a luta contra Corey Anderson, na qual acabou sofrendo sua primeira derrota pelo Ultimate.

“Na semana da luta, ele marcou com uma mulher para ficar com ele no hotel. Eu combinei com uma colega lutadora para ela ir, falei com o Johnny para ver se ele tinha ingresso. Pedi para ele e ele disse: ‘ok’. Chegamos lá ele disse que ficaria com ela no quarto, aí eu disse: ‘Pô, Johnny, não vai transar na semana da luta. Não é legal. Vamos focar na luta’. E ele: ‘Eu vou destruir ele (Corey). Relaxa. Confia em mim’. Calei minha boca e fui embora. Nunca discuti com ele. Na segunda vez que encontrei com ele”, contou.

Leonardo ainda contou que previu a derrota para Anderson. Percebendo a forma com que o brasileiro estava agindo antes da disputa, o técnico afirmou que, para ele, o revés era iminente.

“Antes dele perder a luta, eu já tinha comentado com algumas pessoas que ele estava muito prepotente, que ia tomar um nocaute. Treinador sente”, contou.

Por fim, o técnico revelou a mágoa com o antigo pupilo. Para Leonardo, o brasileiro deveria ter mantido o assunto entre eles, para não gerar desconforto. No entanto, não foi o que aconteceu. Gosling ainda comentou que teme pelo futuro do brasileiro, a quem afirma estar ‘balançado’ pelo último resultado.

“Eu não fui o melhor, mas fui o suficiente para ele chegar até lá (no UFC). Fui treinador de todas as modalidades. Eu não sou bom em nenhuma, mas eu fui de todas. Então, ele tinha que preservar nossa história, ele ter morado comigo, ter ficado comigo esse tempo todo. Porque eu estaria sempre agradecendo, postando, elevando o trabalho do meu mentor, se eu fosse o Johnny. E isso nunca aconteceu, esse reconhecimento. Pelo contrário, eu estou vendo agora que eu era ruim, que ele vai procurar uma coisa melhor, que ele quer evoluir, que não quer perder mais. Ele está completamente ‘baratinado’ com essa derrota. Ele está fingindo que está tudo bem, que ele é forte, mas ele vai inseguro para essa luta, com dúvidas. Eu conheço ele mais do que ninguém, sei das dúvidas que ele tem. Então, espero que quem vá ajudar entenda um pouco dele e possa ajudá-lo”, finalizou.

Johnny recentemente afirmou que está em negociações para treinar com Firas Zahabi (técnico de Georges St. Pierre) e John Kavanagh (treinador de Conor McGregor). Segundo Walker, ele fará testes com os dois ‘mentores’ e, no futuro, definirá quem ficará em seu corner para os próximos compromissos.

O meio-pesado atualmente se prepara para sua luta no UFC Brasília. O atleta irá trocar forças com Nikita Krylov em uma das apresentações mais aguardadas do card.

 

Notícias relacionadas

Deixe seu comentário

1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments
Fábio Sodré
Fábio Sodré
8 meses atrás

A pergunta é… Quem foi responsável pelo resultado das últimas lutas que Jonny Walker venceu?
Colocar a culpa no treinador?
Isso é coisa de fraco.