Respeitosa, Mackenzie Dern elogia Nina Nunes e adota cautela ao falar de cinturão no UFC | SUPER LUTAS

Respeitosa, Mackenzie Dern elogia Nina Nunes e adota cautela ao falar de cinturão no UFC

Aposta brasileira no peso palha do Ultimate, atleta falou com exclusividade ao SUPER LUTAS sobre o embate deste sábado e os planos de carreira

M. Dern vem de quatro vitórias consecutivas no UFC. Foto: Reprodução/Instagram

Pronta para fazer sua primeira luta em 2021, Mackenzie Dern terá um duro compromisso neste sábado (10), pelo UFC Las Vegas 23. Adversária de Nina Nunes no card principal, a brasileira poderá dar um salto importante no peso palha (até 52,1kg.), caso vença e, conversa exclusiva com o SUPER LUTAS, falou sobre o confronto. A lutadora também falou sobre os planos para o futuro na carreira.

Veja Também

Considerada uma das grandes promessas tupiniquins para a divisão liderada por Weili Zhang, Mackenzie vem fazendo valer a expectativa sobre seu nome. Lenda no jiu-jitsu, Dern vem embalada por três vitórias consecutivas e apresenta clara evolução a cada apresentação.

Guerra na última luta

Temida pela sua especialidade na luta agarrada, Mackenzie, antes de ser confirmada como rival de Nina, passou por um grande teste no octógono. Em dezembro de 2020, a combatente travou uma verdadeira guerra contra Virna Jandiroba e provou que vem melhorando na trocação. A atleta, então, falou sobre como a vitória sobre a baiana foi importante para seu currículo.

“Aquela luta (contra Jandiroba) foi a melhor coisa que poderia ter acontecido na minha carreira. A Virna trouxe para mim uma estratégia que eu acho que a maioria das meninas vão fazer: ‘levar para a decisão, bater e sair, me fazer ir atrás’. Foi bom para me mostrar para as meninas da categoria. No final, é coração, garra, quem quer mais. Isso tudo faz diferença. Pressionei, tive algumas adversidades, tipo meu nariz quebrado e, no terceiro round, nós duas esquecemos a estratégia e trocamos socos. No final, ganhamos mais respeito das meninas”, contou Mackenzie.

Próximo passo: Nina Nunes

Após vencer a batalha contra Jandiroba, Dern, que tem ficado conhecida pela sua frequência no octógono, falou sobre a preparação para atuar cerca de quatro meses depois do triunfo. O nariz quebrado em dezembro, fruto de uma joelhada de Virna, atrasou o retorno aos treinos, mas a brasileira garantiu estar em grande forma para o desafio contra Nunes.

“Eu dei uma recuperada no meu nariz. Voltei a treinar, mas eram quatro semanas até eu poder tomar soco no rosto. Fiquei umas duas semanas com capacete e, depois, dois meses e meio sem capacete. Quanto mais perto você chega dos seus sonhos, você não quer tirar tempo de descanso. Às vezes meu técnico me pede para descansar, mas você não quer. Eu já estava de volta na academia quando me ofereceram a Nina. Então fiquei feliz de ter um camp (período de treinamento) inteiro, de focar na mesma menina. Isso tudo conta. Eu trouxe meu preparador físico do Brasil, Rogério Camões. Ele ficou dois meses comigo, na Califórnia. Ganhei uma massa muscular, que eu estava sentindo falta desde a gravidez. Só agora, depois de quatro lutas, que eu senti. Antes, eu estava só focada na trocação e no meu chão (jiu-jitsu). Agora, eu superei o que eu deixei quando fiquei grávida e estou preparada para tudo”, afirmou Dern.

Pós-parto de Nina: vantagem?

Promovida pelo UFC como a ‘Luta das Mamães’, Mackenzie sabe que Nina, que deu à luz à pequena Raegan – filha com Amanda Nunes – pode ter dificuldades em sua primeira apresentação após o parto. A norte-americana retorna à ativa seis meses depois e Dern apontou alguns aspectos que pode explorar, apostando na falta de ritmo da rival. Vale lembrar que a brasileira passou por situação semelhante em 2019, quando retornou à ativa quatro meses depois de se tornar mãe de Moa.

“Só lutando, você consegue recuperar isso (o ritmo). Pode ser gravidez, lesão, mas essa coisa de tomar soco de quatro onças (luvas), e 100%, ninguém faz isso no sparring (treino). (…) Uma coisa que eu senti na luta contra Amanda Ribas, quando perdi, é que ela estava raciocinando mais rápido, no tempo certo. Você meio que esquece essa sensação, de tomar um soco. Só lutando você ganha de volta. Acredito que, nessa primeira luta (para Nina), ela não vai ter isso 100% de volta. (…) É uma coisa que vou explorar bastante nela, colocar pressão e deixar ela bem desconfortável. (…) Ninguém está ligando se a pessoa está com lesão, se voltou da gravidez. Ninguém ligou quando eu voltei da gravidez (risos). Eu respeito muito ela e a Amanda (Nunes). A gente quer até tirar foto das nossas filhas juntas, mas estamos nós duas indo atrás do sonho. Eu senti isso quando eu voltei e quero colocar minha experiência nessa luta”, revelou a combatente.

Perigos de Nina

Consciente de que terá um compromisso duro pela frente, Mackenzie analisou o confronto contra Nunes. A brasileira apontou as qualidades da adversária e expôs onde pode encontrar dificuldades.

“A Nina tem experiência. Ela tem cinco lutas a mais do que eu, contra meninas de alto nível. Já lutou com Cláudia Gadelha, Carla Esparza – que é ex-campeã -, a Tatiana Suarez. Ela tem a experiência que eu estou tentando ganhar. (…) Ela já passou por isso. Tem a Amanda Nunes, que é esposa dela. Mesmo que não seja a mesma pessoa, se você anda com essas pessoas, você pega essa energia. Você sabe o que precisa para ser a melhor do mundo. Nina tem uma defesa de queda boa, a reação. Ela move bem na hora da luta. Vai ser difícil para mim, se ela conseguir usar essa experiência dela.

Papo de cinturão

Atual número 11 no ranking das palhas, Mackenzie poderá dar um salto importante, caso saia vencedora neste sábado. Se acontecer, será difícil não falar sobre uma futura disputa de cinturão, já que Nunes, agora, ocupa a quinta posição no grupo. Dern, no entanto, adota cautela ao falar de uma luta pelo título.

“Eu acredito que estou pronta para uma luta pelo cinturão, mas meu treinador (Jason Parillo) fala que gostaria de mais uma ou duas lutas antes. Ele fala que posso ganhar da campeã tranquila, se for pelo jiu-jitsu, mas ele quer que eu seja profissional do início ao fim. (…) Ele, Parillo, vai ter a palavra de quando acha que estou pronta ou não”, disse a brasileira.

Desfecho ideal contra Nina

Mesmo mostrando mais armas, além do jiu-jitsu, Dern acredita que, caso dê tudo certo no sábado, a vitória virá com base na ‘arte suave’. A brasileira, inclusive, arriscou quando acontecerá o desfecho diante de Nunes.

“Eu acredito que essa luta vai ser finalização. Penso que não passa do segundo round e acredito que com um bônus (US$50 mil) de ‘Luta da Noite”, finalizou.

Histórico das atletas

Aos 28 anos, Dern se encaminha para sua 12ª luta como profissional no MMA. Lenda do jiu-jitsu, a brasileira, hoje, soma 10 vitórias e uma derrota no esporte.

Com 35, Nina fará seu 17º embate nas artes marciais mistas. A norte-americana, que não luta desde junho de 2019, tem 10 triunfos e seis reveses.

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments