Invicto no UFC, Danilo Marques contém empolgação por bom início e analisa confronto deste sábado | SUPER LUTAS

Invicto no UFC, Danilo Marques contém empolgação por bom início e analisa confronto deste sábado

Promessa brasileira nos meio-pesados fala com exclusividade ao SUPER LUTAS, comenta luta contra Kennedy Nzechukwu e adota ‘pés no chão’ sobre futuro na empresa

Invicto em duas apresentações pelo Ultimate, Danilo Marques é um nome a ser observado de perto pela torcida brasileira. Adversário de Kennedy Nzechukwu no UFC Las Vegas 30, que acontece neste sábado (26), o meio-pesado (até 93kg.) falou com exclusividade ao SUPER LUTAS sobre o desafio deste fim de semana. Respeitoso, o combatente adotou cautela ao analisar o bom momento e abriu o jogo sobre o futuro na empresa.

Veja Também

Após duas vitórias convincentes na organização, Marques busca seguir a trajetória rumo ao topo da categoria liderada por Jan Blachowicz. Para isso, uma grande apresentação no fim de sema é importante, podendo aproximá-lo do top 15.

Senso crítico apurado

Em sua estreia na companhia, realizada em setembro de 2020, Danilo aceitou o desafio de encarar Khadis Ibragimov de última hora. Mesmo dominando o russo e vencendo na decisão unânime dos juízes, o brasileiro expôs críticas à sua atuação.

“Não consegui desempenhar meu melhor, até porque pegue (a luta) com uma semana e cinco dias. Sem desculpa nenhuma, eu fiz um jogo para ganhar a luta contra um cara duríssimo – o cara mais forte que eu enfrentei, até agora. Na segunda, eu tive um camp (período de treinamento) completo. Claro, a gente sempre tem erros, mas consegui lutar em uma melhor condição do que na primeira, conseguindo uma finalização. O trabalho foi feito”, disse o atleta.

Cautela sempre

Mesmo com duas atuações seguras, Marques se mostra consciente sobre seu avanço na empresa. O brasileiro revelou que prefere adotar a postura de seguir ‘passo a passo’, para não prejudicar a trajetória dentro de uma das divisões mais perigosas da companhia.

“Meus amigos falam que sou meio ‘bitolado’ com cautela. Depois de tudo o que eu passei para chegar – não que os outros não tenham passado -, eu tenho muito cuidado com as coisas. Esse passo, agora, é importante. Vou fazer o meu melhor e, depois do descanso, a gente começa a pensar em outras coisas. Não projeto muito.  Projeto o dia a dia”, admitiu Marques.

Preparação para o UFC Las Vegas 30

Neste fim de semana, Danilo não irá enfrentar o adversário que foi confirmado de início. O brasileiro enfrentaria Ed Herman. O veterano, no entanto, deixou o embate e acabou dando lugar a Kennedy, há cerca de duas semanas. A alteração de última hora não preocupa o paulista, que seguia auxiliando companheiros de equipe em suas respectivas apresentações.

“Eu teria que lutar com o Ed Herman, mas eles mudaram com algumas semanas de antecedência. Eu já estava treinando. Eu ajudei o Fabrício (Werdum), o Marvin (Vettori), então, são uns três meses treinando. Tive até que dar uma diminuída no ritmo, porque senão fica uma coisa desgastante. Não tem desculpa nenhuma. Estudei o Kennedy. Vou fazer o meu melhor, porque tive a oportunidade de trabalhar para isso”, contou.

Estratégia contra promessa

No UFC Las Vegas 30, Nzechukwu tentará provar que está totalmente recuperado de sua primeira derrota na carreira, sofrida na sua estreia no Ultimate, em 2019. Embalado com duas vitórias, o norte-americano conhecido pela força de nocaute, no entanto, deve se preocupar com Danilo, que está preparado para trocar forças em todas as áreas.

“Eu venho para lutar MMA. Fiz o camp na ‘Kings MMA’, trocando muita porrada. Estou preparado para lutar em pé, para colocar para baixo – que é uma coisa que eu faço muito e está no meu jogo. Tenho o plano na cabeça, sei o que eu vou fazer, mas luta é luta. Às vezes, mais ou menos, e você dá uma improvisada, às vezes não dá certo e tem que estar preparado também. Treinei com (Fabrício) Werdum, com Marvin (Vettori), caras bem experientes em relação às quedas, a trocação. Estou confiante no meu trabalho”, destacou.

Ascensão nos meio-pesados

Dentro de uma categoria marcada por grandes desafios, Marques é sincero ao avaliar seu futuro. Apostando no trabalho como essência para o sucesso, o atleta falou sobre os cuidados necessários para não ter o plano de carreira frustrado.

“Essa categoria de 93kg. é uma categoria em que as coisas acontecem meio rápido. Nas outras, na minha opinião, não é bem assim, porque elas têm mais lutadores e o nível esteja mais equiparado. Eu nunca pensei em quanto tempo (chegarei à elite). Eu não entrei novo no UFC, mas, para a minha categoria, é uma idade razoável. (…) Você trabalhando certinho – claro, tem as pedras no caminho -, as coisas acontecem rápido. Então, você tem que estar preparado para isso e não ficar ansioso. (…) Já vi meus amigos passarem por isso milhões de vezes. Estou preparado para os percursos da divisão”, encerrou.

Histórico dos atletas

Profissional no MMA desde 2014, Marques chega para sua 14ª luta no esporte. Hoje, o combatente de 35 anos soma 11 vitórias e duas derrotas. O atleta vem de quatro triunfos em sequência.

Promessa norte-americana na divisão, Kennedy atingirá a marca de 10 confrontos nas artes marciais mistas neste sábado. O atleta, 29, tem oito triunfos e um revés.

A queda do ‘Império Pitbull’ no Bellator e a prévia para o UFC 265

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments