Cejudo deixa rivalidade de lado e explica por que concorda com vitória de Dillashaw no UFC Las Vegas 32 | SUPER LUTAS

Cejudo deixa rivalidade de lado e explica por que concorda com vitória de Dillashaw no UFC Las Vegas 32

Carrasco de TJ em 2019, ‘Triplo C’ analisa triunfo do antigo desafeto contra Cory Sandhagen no último sábado

H. Cejudo (foto) atropelou T. Dillashaw em 2019 e defendeu o cinturão dos moscas. Foto: Reprodução/Instagram @ufc

A vitória de TJ Dillashaw sobre Cory Sandhagen na decisão dividida dos juízes, no último sábado (24), ganhou um apoiador de peso. Carrasco do ex-campeão dos galos (até 61,2kg.) em 2019, Henry Cejudo saiu em defesa do compatriota e afirmou concordar com o resultado. Em vídeo publicado nas redes sociais, ‘Triplo C’ analisou o confronto.

Veja Também

“Na verdade, eu estou muito surpreso com TJ. Não estava apostando nele, de verdade, porque sempre achei que Sandhagen era melhor no que TJ se propunha. Mas temos que creditar essa luta ao wrestling, plano e vontade”, disse Cejudo, em sua conta no Twitter.

Aposentado desde 2020, Henry foi além em sua análise da luta principal do UFC Las Vegas 32. Segundo o norte-americano, Cory conseguiu ser mais contundente, mas, para o antigo duplo campeão do Ultimate, Dillashaw foi capaz de dominar o oponente por mais tempo no octógono.

“A razão por TJ ter vencido a luta – e eu acredito que ele venceu -, apesar de ele ter sido ferido, é que ele controlou na maioria do tempo. Penso que nós não damos crédito a isso. Na maior parte do tempo, ele estava em uma posição melhor, manteve ele (Sandhagen) contra as grades, levou ao chão. Não impôs muito dano, mas fez o suficiente para ‘roubar’ os rounds até o fim. Você tem que dar o mérito. Não achava que ele (TJ) venceria, e não queria que ele vencesse, mas acho que ele fez o que precisava para derrotar Cory”, encerrou.

O compromisso do fim de semana marcou o retorno de Dillashaw ao octógono depois de cumprir dois anos suspensão por doping. Em sua última luta, TJ havia descido aos moscas (até 56,7kg.) para tentar seu segundo cinturão, há mais de dois anos. O adversário da vez era o próprio Cejudo, que acabou atropelando o oponente com apenas 32 segundos de disputa, mantendo o título. Meses depois do revés, o ícone dos galos seria flagrado e punido pela USADA (Agência Antidoping dos Estados Unidos).

Após a volta com vitória, TJ se colocou em ótima posição para tentar recuperar seu antigo título, tomado em 2019. Agora, o combatente deve aguardar o desfecho da novela envolvendo o campeão dos galos, Aljamain Sterling e Petr Yan, que têm pendências a resolver desde a polêmica luta no UFC 259.

 Qual o futuro de Anderson Silva e Vitor Belfort no Boxe?

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments