Com luta no UFC Vegas 33, Glorinha de Paula chama torcida brasileira e garante: 'Vou buscar o nocaute o tempo inteiro' | SUPER LUTAS

Com luta no UFC Vegas 33, Glorinha de Paula chama torcida brasileira e garante: ‘Vou buscar o nocaute o tempo inteiro’

Representante brasileira neste sábado, brasileira falou com exclusividade ao SUPER LUTAS, avaliando a derrota na estreia e analisando o compromisso contra Cheyanne Buys

G. De Paula busca a primeira vitória com as luvas do Ultimate no UFC Las Vegas 33. Foto: Reprodução/Instagram

Promessa brasileira no peso palha (até 52,1kg.) do Ultimate, Glorinha de Paula está perto de sua segunda apresentação na empresa. Derrotada na estreia, a atleta, que enfrenta Cheyanne Buys no UFC Las Vegas 33, neste sábado (31), falou com exclusividade ao SUPER LUTAS sobre a expectativa pelo primeiro resultado positivo. A combatente comentou sobre o revés, analisou a adversária e pediu o apoio da torcida tupiniquim para o embate.

Veja Também

Revelada pelo ‘Dana White’s Contender Series’, Glorinha conquistou o contrato com o Ultimate após uma grande apresentação diante de Pauline Macias, em novembro de 2020. Neste fim de semana, a lutadora fará sua nona peleja no MMA profissional.

Nervosismo na estreia

Em março desta temporada, Glorinha fez o sonhado debute no UFC. A paulista, porém, acabou derrotada por Jinh Yu Frey, na decisão dos juízes. Passados quatro meses do revés, a brasileira falou sobre a sensação da estreia, admitiu nervosismo, mas não tirou o mérito da rival.

“Perder é péssimo, principalmente em uma estreia. Eu senti um pouco de nervosismo. Acho que isso influenciou um pouco. Mas a Jinh teve total mérito, ela fez o jogo certo. Saí de lá querendo voltar logo para academia para acertar as coisas do meu jogo e queria lutar logo”, contou.

Aprendizado com a derrota

Com apenas 26 anos, Paula entende que ainda há muito para evoluir como profissional no MMA. A tupiniquim, então, revelou pontos importantes que foram corrigidos durante a preparação para o desafio deste sábado.

“Eu corrigi alguns pontos do meu grappling, mas acho que o fundamental foi a mentalidade. Acredito que todas as vezes que eu entrar no octógono terão pessoas tentando fazer o antijogo. Então, estou preparada para isso”, admitiu.

Questões a melhorar

Famosa pelo poder de nocaute, Glorinha falou sobre aspectos que precisam ser aperfeiçoados para sua evolução no esporte. A brasileira, assim, expos um detalhe importante que foi trazido ao seu período de treinamento para que tenha vantagem sobre suas futuras oponentes.

“Agora, estou pensando em melhorar mais na movimentação, para impedir que as meninas cheguem (perto), para evitar usar o grappling (risos). É lógico que estou evoluindo em todas as áreas, mas meu foco é manter a luta em pé”, contou Paula.

Análise da adversária

Neste fim de semana, Glorinha enfrentará uma oponente que também foi revelada pelo ‘Contender’ e, assim como a brasileira, busca o primeiro resultado positivo na organização. A peso palha falou sobre os pontos fortes da oponente e não escondeu a empolgação para um grande show.

“Eu achei uma luta excelente. Quando assisti a estreia dela (Cheyanne Buys) no UFC eu pensei que seria uma ótima luta para mim, porque o jogo dela é parecido com o meu. Ela vai para a luta o tempo inteiro. Não fica amarrando. Acho que a gente vai dar um grande show. Estou muito empolgada”, afirmou.

Problema em enfrentar brasileiras?

Inserida em uma categoria que tem exibido ao público brasileiro grandes representantes para o país, Paula poderá ter um ‘problema’ em breve. Das 15 mais bem ranqueadas no grupo, seis defendem o verde amarelo. A tupiniquim, então, esclareceu se teria problemas em dividir o octógono com uma compatriota. Sem se esquivar, Glorinha foi direta.

“A gente nunca gosta de lutar contra brasileira, mas faz parte do trabalho. Na hora que chega no top 15, não tem para onde fugir. Você tem que ser profissional e fazer seu jogo, independente onde a pessoa seja”, disse.

Desfecho ideal

Na tentativa de cravar de vez seu nome no Ultimate, Glorinha não esconde o desejo de dar show no UFC Las Vegas 33. Para isso, a brasileira sabe que uma vitória em grande estilo seria determinante. Assim, a paulista descreveu o que pretende fazer para superar a oponente.

“Com certeza, quero entrar lá e soltar o jogo, mostrar quem eu realmente sou. Vou buscar o nocaute o tempo inteiro e quero me divertir. Se rolar 15 minutos, estou preparada e quero me divertir. É o mais importante para mim”, admitiu.

Mensagem à torcida brasileira

Primeira tupiniquim a subir no octógono neste fim de semana, Paula faz questão de chamar a torcida brasileira para acompanhar seu compromisso. Com promessa de emoção, a peso palha fez o convite.

“Sábado estarei lutando no UFC e conto com a torcida de todos vocês. Prometo representar o Brasil com todo o meu coração”, encerrou.

Histórico das atletas

Neste sábado, Glorinha se encaminha para seu nono embate nas artes marciais mistas. Hoje, a atleta soma cinco triunfos e três resultados negativos no esporte.

No MMA desde 2018, Cheyanne Buys, de 26 anos, fará a oitava luta na modalidade. A norte-americana, atualmente, tem cinco vitórias e dois reveses.

Podcast #30: Aquecimento para o UFC 266 com duas disputas de cinturão e migué de Romero no Bellator

Comentários

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments