Cormier espera mudança drástica na vida de Jones após expulsão de academia: ‘Tudo ou nada’

Maior rival de ‘Bones’ no UFC evita criticar antigo adversário em momento conturbado na carreira do lutador

D. Cormier (esq.) pega J. Jones (dir.) no UFC 214. Foto: Reprodução Youtube UFC

Maior rival na carreira de Jon Jones, Daniel Cormier mantém a postura de não criticar o rival no momento mais conturbado da vida do lutador. Depois da prisão por violência doméstica e posterior expulsão da ‘Jackson Wink MMA’, DC voltou a falar sobre a situação do atleta. Em longo desabafo, o antigo duplo campeão do Ultimate disse que a situação exige uma mudança drástica.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Me deixa triste saber que a filha dele pediu para chamar a polícia. É uma coisa que entristece. (…) Ninguém é perfeito, mas, em um momento, você precisa tomar uma decisão não só por você, mas por suas filhas, noiva, família, por tudo. Acho que agora é o momento”, disse Cormier, em seu canal no YouTube.

Para Daniel, as últimas notícias envolvendo Jon levaram o lutador ao fundo do poço. Cormier, então, seguiu destacando que não há mais tempo para erros e é momento de tomar uma atitude.

PUBLICIDADE:

“A parte mais assustadora é quando você começa a perder aliados. Eles podem agir de duas formas: uma, você pode se levantar e colocar a cabeça no lugar, ou permanecer na baixa. É muito importante para as pessoas que estão próximas a Jones ajudá-lo a decidir e descobrir como ele vai seguir em frente. (…) É tudo ou nada. (Mike) Winkeljohns se foi, Jackson (Wink) se foi. Malki e Abraham (Kawa, antigos empresários) se foram. Os principais parceiros foram saindo um a um. Quando você é deixado sozinho, como você responde? As dúvidas, questionamentos sobre como você chegou até ali, como você administra? Quem tem problemas, normalmente não lida com isso muito bem. É um grande momento para Jon Jones”, afirmou.

Por fim, Cormier descartou qualquer possibilidade de críticas ou artifícios que pudessem piorar o que já está crítico. Rival de ‘Bones’ no octógono, o lutador espera a recuperação da lenda.

PUBLICIDADE:

“Não chutamos quem está no chão. Em tudo o que construímos, dizendo coisas desagradáveis um para o outro, isso é no trabalho. (…) Vamos esperar que ele esteja bem. (…) É um lugar complicado para Jon Jones. (…) Para mim, nunca seremos amigos, mas é um ser humano. Se recupere e mostre algum remorso antes de usar as redes sociais. Você precisa pensar no que está dizendo. Parece que tem mentido para você mesmo e começou a mentir para eles. Seja envolvido por pessoas que te dirão a verdade e encontre respostas. Do contrário, você estará acabado. Está perto de estar acabado”, encerrou.

PUBLICIDADE:

O nome de Jones tomou grande notoriedade nesta semana depois que o lutador foi oficialmente expulso da Jackson Wink MMA, academia responsável por ajudá-lo em suas conquistas históricas. Lenda das artes marciais mistas, o atleta não luta desde fevereiro de 2020 e vem acumulando polêmicas fora do octógono.

Após os acontecimentos recentes, o atleta se manifestou nas redes sociais. Depois de lamentar o desligamento da academia, o combatente surpreendeu ao afirmar que foi vítima de abuso em sua infância.

Podcast #40: José Aldo ainda pode ser campeão no UFC?