Vítima de nocaute brutal, Frankie Edgar reclama de ‘interrupção precoce’ de árbitro no UFC 268

Norte-americano contesta paralisação de Todd Anderson no duelo diante de Marlon Vera e diz que poderia seguir no combate

F. Edgar sofreu nocaute por chute frontal no UFC 268. Foto: Reprodução/Instagram

No último sábado (6), Frankie Edgar acabou sendo nocauteado por Marlon Vera no terceiro round do UFC 268, realizado em Madison Square Garden, em Nova York (EUA). Apesar de ter sido surpreendido com um chute frontal devastador do equatoriano, o norte-americano acredita que poderia ter continuado na luta, apesar de entender a interrupção.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Achei que estava indo bem na luta, principalmente no primeiro round. O segundo assalto foi um pouco mais equilibrado. No terceiro round, eu também achei que estava indo muito bem. Comecei a pegar o ritmo, acertando muitos socos. Fui atingido por aquele chute frontal, mas acho que o árbitro poderia ter deixado rolar um pouco mais. Acho que foi uma parada precoce? Sim. Mas eu não estou no trabalho dele de ter a certeza que os lutadores estão seguros, então eu entendo”, afirmou Edgar, em entrevista ao ‘Champ and the Tramp’.

Em seguida, Frankie também questionou sobre o critério adotado pelos árbitros – que decidem por não interromperem de forma rápida alguns duelos, mas optam pela paralisação em outras lutas. Ele ainda destacou um pequeno diálogo que teve com Todd Anderson no instante em que foi nocauteado.

PUBLICIDADE:

“Se você olhar para duas lutas entes de mim, eles deixaram alguns caras lutarem até quase morrerem. Eu fui atingido por um chute, mas minha cabeça nem encostou no chão – apenas minha mão bateu no tapete. Vera fez com que eu parecesse pior do que eu realmente estava, mas quando o árbitro parou, eu olhei para cima e pensei: ‘Cara, não. Eu estava bem. O que você fez?’ e ele afirmou que era uma boa paralisação. Mas tudo bem, é passado. Eu perdi”, finalizou.

Ex-campeão dos leves (até 70,3kg.), Frankie Edgar sempre foi um atleta de grande destaque em sua passagem pelo Ultimate. Em sua carreira, são 23 vitórias – incluindo Charles do Bronx, Chad Mendes e Urijah Faber. Ainda assim, ele vem em uma sequência de dois duros nocautes sofridos e, ao todo, também tem dez derrotas.

PUBLICIDADE:

Podcast #40: José Aldo ainda pode ser campeão no UFC?