Cejudo afirma que amaria ‘afogar’ Petr Yan, mas pede ‘bolsa cheia de dinheiro’ para deixar aposentadoria

Após ter pedido negado para disputar o título dos penas, o ex-campeão se disse disposto a retomar o cinturão dos galos

H. Cejudo quer enfrentar P. Yan na Rússia (Foto: Montagem/SUPER LUTAS)

Henry Cejudo continua alimentando a possibilidade de retornar ao octógono do UFC. Aposentado desde maio de 2020, o ex-campeão peso mosca (até 56,7 kg) e peso galo (até 61,2 kg) recentemente tornou público seu desejo de se tornar o primeiro campeão de três divisões da história da organização ao desafiar Alexander Volkanovski, dono do cinturão dos penas (até 65,7 kg). A ambição do lutador, entretanto, foi refutada pelo presidente Dana White, que afirmou não fazer sentido dar a disputa de cinturão a um lutador aposentado que nunca atuou pela categoria.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Se a possibilidade de lutar direto pelo terceiro título não existe, Henry Cejudo afirmou estar disposto a fazer um caminho mais longo. O ex-campeão levantou a possibilidade de enfrentar o russo Petr Yan, campeão interino dos galos, na Rússia, pela quantia certa de dinheiro.

“Eu amaria ir à Rússia e enfrentar Petr Yan, aquela batata feia, segurando uma bandeira russa dessa vez e chutando a b**** dele na frente de seus compatriotas. Sim, eu vou derrubar esse cara. Ele é um ótimo striker, posso dizer isso. Quando falo sobre posição, postura e distância, Petr Yan é realmente bom nisso, mas eu sou um competidor bom demais para ele. Sou muito esperto para esse cara. Vou derrubá-lo e literalmente afogá-lo com meu wrestling. Vou colocá-lo contr ao cage, e eu não sou nenhum Aljamain Sterling. Sou muito mais técnico, muito melhor que esses caras. Sou um outro nível de competidor. Michael Jordan foi o melhor no basquete, agora pense se ele conseguiria fazer a mesma coisa no futebol americano. Foi isso que eu fui capaz de fazer. Eu tenho a experiência e só preciso da oportunidade e de uma bolsa cheia de dinheiro”, afirmou.

PUBLICIDADE:

Cejudo, no entanto, reforçou que a questão financeira é importante para a decisão de deixar ou não a aposentadoria e revelou estar chateado por não ser valorizado pelo Ultimate.

“No final das contas, eu posso falar isso tudo, mas se eu não for pago, eu não vou fazer. Tem que valer meu legado. Estou sendo um cretino ou estou sendo honesto? Estou sendo honesto. Estou um pouco chateado”, finalizou.

PUBLICIDADE:

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276