AO VIVO

Acompanhe o UFC 276, com disputas de cinturão e Alex Poatan

Johnny Walker quer ‘agenda cheia’ na temporada e se diz aberto para luta no peso pesado em março

Estrela do UFC Las Vegas 48, brasileiro afirma que, caso vença de forma rápida no sábado, pretende atuar já no evento de Londres

Grande estrela do UFC Las Vegas 48, Johnny Walker quer uma agenda cheia em 2022. Adversário de Jamahal Hill neste sábado (19), o brasileiro confirmou o desejo de se manter ativo na temporada. Em entrevista exclusiva ao SUPER LUTAS, o atleta de Belford Roxo (RJ) garantiu que pretende realizar até cinco confrontos. Um compromisso nos pesados (até 120,2kg.), inclusive, não é descartado.

PUBLICIDADE:

Veja Também

“Eu quero lutar todos os dias, se der, o máximo possível. Estou entrando no meu auge agora, com 29 anos. Cheguei no top 10 (dos meio-pesados) agora e a galera fica com medo de lutar para não perder a posição no ranking. Eu quero é lutar, fazer dinheiro. Aproveitar enquanto eu estou novo. Depois, quando eu ficar velho, não vou conseguir fazer mais isso”, afirmou.

Com o primeiro compromisso na temporada acontecendo neste fim de semana, o brasileiro pode ser visto novamente em ação já em março. O combatente, no entanto, entende que precisa passar sem lesões por Hill, mas vê a chance como real.

PUBLICIDADE:

“Essa é a primeira luta que estou fazendo neste ano. Talvez, dê para lutar umas três ou quatro vezes. Eu já queria lutar em Londres (em 19 de março), se der. Se eu nocautear o Jamahal rápido, vou pedir para lutar em Londres, no peso pesado, no meio-pesado. Só quero que me avisem o mais rápido possível, para saber se vou precisar fazer dieta ou não”, explicou.

Promessa brasileira na divisão liderada por Glover Teixeira, Walker busca se recuperar dentro da organização. Em seu último compromisso, o atleta acabou superado nos pontos por Thiago Marreta, em confronto marcado pelo equilíbrio.

PUBLICIDADE:

Hoje, Johnny figura na 10ª posição dos meio-pesados. Seu rival deste sábado está em 12º.

PUBLICIDADE:

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276