Ansiosos por Poatan x Blindado? Então, relembre outras lutas entre brasileiros que mexeram com o coração dos fãs

Confronto entre compatriotas no UFC Las Vegas 50 entra para lista de embates tupiniquins que agitaram os ânimos no Ultimate

A. Nunes (esq.) venceu C. Cyborg por nocaute em dezembro de 2018. Foto:Reprodução / Facebook ufc

O aguardado confronto entre Alex Poatan e Bruno Blindado, que abre o card principal do UFC Las Vegas 50, neste sábado (12), dividirá o coração de alguns brasileiros. Com duas promessas dos médios (até 83,9kg.) medindo forças no octógono e parte dos fãs ansiosos para a disputa, a equipe do SUPER LUTAS decidiu relembrar alguns combates entre tupiniquins que movimentaram o mundo do MMA. Estrelas como Anderson Silva, Amanda Nunes e José Aldo estão em destaque.

PUBLICIDADE:

Veja Também

Neste fim de semana, Poatan e Blindado viverão seus maiores compromissos como profissionais no MMA. Mesmo no início de suas trajetórias no Ultimate, o confronto tem grande importância, pois pode levar o vencedor ao top 15 e acelerar o processo para uma futura disputa de cinturão.

No passado, brasileiros dividiram o octógono e agitaram os fãs ao redor do mundo. Entre os desafios, havia em jogo disputas de cinturões, ‘briga’ por uma chance de atuar pelo título, embate entre treinadores do TUF e confronto de nocauteadores.

PUBLICIDADE:

Anderson Silva x Vitor Belfort (2011)

O ano era 2011 e o Ultimate ficou marcado pelo encontro de dois dos maiores pesos médios de todos os tempos. Chamada de ‘Luta do Século’, a peleja movimentou a cidade de Las Vegas, que, naquela noite, teve dois brasileiros como principais estrelas disputando o título mundial da divisão até 83,9kg., no UFC 126.

Após grande promoção e provocações, o show foi do então campeão Anderson Silva. Lenda do MMA, ‘Spider’ fez história ao brutalizar o antigo companheiro de treinos com um chute que ficou marcado na história do esporte.

PUBLICIDADE:

Anderson Silva x Demian Maia (2010)

Pouco menos de um ano antes de atropelar Belfort, Anderson Silva passaria por uma das lutas mais polêmicas já vistas no Ultimate. Especialista na trocação e acostumado a surpreender os adversários com contragolpes fatais, ‘Spider’ tinha pela frente Demian Maia, famoso por seu jiu-jitsu de excelência.

PUBLICIDADE:

Disposto a defender seu trono, Silva fez uma luta estratégica e o suficiente para vencer. O confronto, realizado em Abu Dhabi, foi marcado pela falta de combatividade e vaias por parte do público presente no show. Ao fim de 25 minutos, Anderson venceu na decisão dos juízes.

Irritado com a performance ‘displicente’ do campeão, Dana White se negou a cumprir o protocolo e sequer afivelou a cinta em Anderson. Na sequência, como ‘castigo’, a lenda foi escalada para enfrentar Chael Sonnen.

Anderson Silva x Thales Leites (2009)

Considerado por muitos como o melhor peso médio da história, Anderson Silva pagou, de fato, o preço por sua qualidade acima do normal. Acostumado a colecionar vítimas no octógono, um encontro com compatriotas se tornava inevitável em certo momento.

Em 2009, ‘Spider’ buscava sua quinta defesa de cinturão e teve pela frente Thales Leites. O desafiante vivia grande momento na organização, vindo de cinco vitórias consecutivas, sendo três delas por finalização. Diante de Silva, no entanto, o niteroiense não conseguiu repetir as boas atuações, e acabou superado por Anderson na decisão unânime dos juízes.

Lyoto Machida x Maurício Shogun (2009-2010)

Entre 2009 e 2010, os brasileiros Lyoto Machida e Maurício Shogun disputavam para saber quem seria o ‘rei’ dos meio-pesados (até 93kg.) do Ultimate. Campeão da divisão depois de massacrar Rashad Evans, o carateca teve como primeiro desafiante justamente a lenda do Pride e ‘cria’ da Chute Boxe.

No primeiro encontro, em um embate apertado, Machida conseguiu convencer a maioria dos juízes e defendeu seu trono após cinco rounds de disputa. Maurício, por sua vez, teve direito a uma revanche imediata, realizada em 2010. No embate, o ‘cria’ da Chute Boxe e lenda do Pride chocou o mundo ao surpreender o talentoso ‘Dragão’ e afivelou o cinturão com um duro nocaute ainda no primeiro round.

Cris Cyborg x Amanda Nunes (2018)

Considerada uma das mulheres mais temidas na história do MMA, constrói, ainda nos dias de hoje, uma trajetória de sucesso no esporte. Agressiva e implacável, a curitibana colecionou vítimas por todas as organizações em que passou, mas a sina da lenda acabou tendo um capítulo adverso em 2018.

Dona do trono dos penas (até 65,7kg.) desde sua terceira participação no UFC, Cyborg encontraria a primeira – e única – derrota na empresa de forma dura, quando foi escalada para enfrentar Amanda Nunes. Favorita nas casas de apostas, Cris não contava com a trocação afiada da ‘Leoa’ e, em embate aguardado pelos brasileiros, sucumbiu à baiana com um duro nocaute ainda no primeiro round, perdendo o título do grupo.

Uma revanche sempre foi pedida pela curitibana. Com problemas com a diretoria do Ultimate, a veterana, no entanto, acabou deixando a empresa sem ter a oportunidade de se reencontrar com a ex-rival no octógono. Até hoje, Nunes reina absoluta nos penas da companhia.

Marlon Moraes x José Aldo

Destaque, por anos, do peso galo no MMA mundial, Marlon Moraes sempre foi um ícone na categoria, desde sua estreia no Ultimate. Com um título do WSOF no currículo, o lutador foi o atleta escolhido para dar as ‘boas-vindas’ ao lendário José Aldo, que buscava um recomeço na carreira na divisão até 61,2kg.

Considerado por muitos como o melhor peso pena (até 65,7kg.) da história, o ‘Campeão do Povo’ decidiu deixar sua antiga divisão e provar, no grupo de baixo, que ainda é capaz de atuar em alto nível. O manauara, assim, foi escalado para encarar Marlon no UFC 245, e os atletas entregaram uma verdadeira batalha no octógono. Ao fim de cinco rounds, Moraes foi declarado vencedor na decisão dividida, mas, com moral inabalada, o ‘Rei do Rio’ acabou recebendo uma disputa de cinturão na sequência.

Rodrigo Minotauro x Fabrício Werdum II (2013)

Treinadores do The Ultimate Fighter (TUF) Brasil 2, Rodrigo Minotauro e Fabrício Werdum encabeçaram o evento do UFC realizado em Fortaleza (CE). Destaques dos pesados (até 120,2kg.) da companhia e referências no jiu-jitsu, os ‘gigantes’ buscavam mostrar aos alunos quem seria superior no confronto.

Ex-campeão interino da divisão até 120,2kg., Minotauro acabou não conseguindo repetir a vitória conquistada sobre o compatriota em 2006, quando ainda calçavam as luvas do Pride. A lenda brasileira acabou superada, e de forma quase trágica. Após ser surpreendido por uma chave de braço, Rodrigo teve uma lesão, mas não chegou a fraturar o membro. Dois compromissos depois de superar Minotauro, Fabrício conquistaria o cinturão interino do grupo (2014) e, na sequência, unificaria o trono diante de Cain Velasquez (2015).

Wanderlei Silva x Vitor Belfort (1998)

Antes mesmo de o UFC se tornar o fenômeno de promoções que é hoje, a organização conseguiu promover um encontro entre ‘gigantes’ no esporte, e em solo brasileiro. No primeiro evento do Ultimate realizado em território tupiniquim, Wanderlei Silva e Vitor Belfort foram duas das principais estrelas do show. O confronto, no entanto, acabou de forma trágica para o ‘Cachorro Louco’.

No embate entre dois dos mais agressivos atletas já revelados nas artes marciais mistas, melhor para o ‘Fenômeno’. Famoso por suas ‘mãos pesadas’, Belfort não permitiu que Wand impusesse seu jogo e atropelou o compatriota de forma histórica, vencendo com um nocaute em apenas 44 segundos.

Podcast #68: Adesanya, Poatan e Volkanovski: Tudo sobre o UFC 276